quarta-feira, 23 de julho de 2008

Sem muito esforço, Botafogo goleia o Galo

Escrita mantida e com goleada. O Botafogo é realmente o maior algoz atleticano nos últimos anos. O Fogão, que eliminou o Galo nas duas últimas edições da Copa do Brasil, derrotou a equipe mineira mais uma vez, desta vez por 4 a 0, no Engenhão, em jogo válido pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com a vitória, o time carioca subiu para o 10º lugar com 18 pontos. Já o Atlético é agora o 17º colocado com apenas 15 pontos.

O Botafogo, que mostra um tímido reacerto com o técnico Ney Franco, entrou em campo no esquema 3-5-2, com Carlos Alberto ganhando a posição de Jorge Henrique. Já o Atlético, não contou com o maestro Petkovic, suspenso, e Renan, vendido para o futebol espanhol. Para os respectivos lugares, Alexandre Gallo escalou Renan Oliveira e Francis.

A goleada botafoguense foi escrita antes do primeiro minuto da partida. César Prates cometeu pênalti em Wellington Paulista e na cobrança Lúcio Flávio finalizou no canto direito de Edson. Na busca de um empate, o Atlético tinha maior posse de bola, mas esbarrava nas deficiências técnicas, principalmente pela falta de um armador. A equipe até que fez um gol, mas foi mal anulado pela arbitragem, que alegou impedimento.

O Botafogo também mostrou pouca inspiração durante a etapa inicial. Carlos Alberto, ainda fora de peso, ficava muito distante de Wellington Paulista, não desenvolvendo, desta forma, jogadas trabalhadas.

O panorama do jogo mudou pouco no início do segundo tempo. Enquanto o Botafogo praticamente não incomodava, o Atlético esbarrava na baixa qualidade técnica e inoperância de seus atletas. Alexandre Gallo tentou dar fôlego novo ao setor ofensivo, trocando Renan Oliveira pelo experiente Marques.

Mas a expulsão de César Prates (puxou a camisa de Welington Paulista e recebeu o segundo amarelo), aos 14min, fez com que o embate tomasse outros rumos. O Fogão acordou na partida, e com tranquilidade foi em busca da ampliação do marcador. Aos 23, Triguinho fez o segundo, aparecendo como jogador surpresa na área atleticana.

Para piorar a situação mineira, aos 36min, o garoto Yuri (mais uma promessa atleticana lançada na fogueira) foi expulso depois de fazer uma falta dura e infantil sobre Túlio. Com dois jogadores a menos e com uma defesa jogando em linha, o Atlético facilitou para o Botafogo, que decretou o marcador com mais dois gols - feitos por Carlos Alberto, aos 42, e Gil, aos 44min.

Na próxima rodada o Atlético tenta sair da zona de rebaixamento diante do Vitória, no Mineirão. Já o Botafogo faz o clássico carioca contra o Flamengo no Maracanã.

Imagem: Cézar Loureiro/O Globo


Luciano Dias

Um comentário:

bruno miranda disse...

time mediocre, q depende do petkovic...tá complicado viu