sexta-feira, 30 de maio de 2008

Copa do Brasil: efeitos antagônicos das penalidades máximas

As semifinais da Copa do Brasil foram marcadas por grandes emoções. Os finalistas da competição foram conhecidos apenas nos pênaltis, o que aumentou a ansiedade dos fanáticos torcedores. Melhor para Corinthians e Sport, que chegam à final como meros azarões. Este tipo de decisão, ao mesmo tempo que pode consagrar um jogador, pode levar a carreira de um atleta ao abismo.

Corinthians ressurge e afunda Cuca

O Corinthians, que em dezembro do ano passado fora rebaixado para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro, conquistou cinco meses depois o feito de chegar à final da Copa do Brasil. O Timão venceu o Botafogo no tempo normal por 2 a 1, mesmo placar da primeira partida, e teve que decidir a sua vaga nas cobranças de pênaltis.

No tempo normal, o Corinthians abriu o placar aos 6min com o uruguaio Acosta (foto), depois de bela jogada do argentino Herrera. A alegria paulista perdurou por apenas dois minutos, já que Renato Silva, que havia falhado no gol corinthiano, igualou o marcador. No entanto, aos 19min, Chicão cobrou falta com perfeição e levou a decisão para as penalidades.

Nos pênaltis, a vaga para a final foi confirmada depois que Felipe defendeu o último pênalti da série. Com a eliminação, o técnico botafoguense, Cuca, não êxitou em pedir demissão. São dois anos no comando do time carioca e mesmo com bons trabalhos, o treinador não conquistou sequer um título.

Com Edmundo indo de herói a vilão, Sport está na final

Após 19 anos, o Sport está de volta a uma final de Copa do Brasil. Nelsinho Batista, treinador do rebaixamento corinthiano para a Série B do Brasileirão também mostrou poder de superação. No duelo entre Vasco e Sport, o experiente Edmundo teve o papel de ator principal.

O "Animal" se transformou em herói ao marcar o segundo gol do Vasco aos 46min da etapa complementar - o primeiro tento havia sido marcado por Leandro Amaral. No entanto, poucos minutos depois, nos pênaltis, Edmundo virou o vilão de São Januário. Ele simplesmente isolou a bola em sua cobrança, sendo o único a errar, decretando, desta forma, o feito merecido do Leão na busca do inédito título.

Nesta quinta-feira, Edmundo apareceu em São Januário de cabeça raspada e com o surpreendente anúncio do fim da carreira. "Não agüento mais isso e estou indo na sala do Eurico para dizer que não jogo mais. Parei", disse o atacante. Mas, para muitos no Vasco, o "Animal" declarou a decisão de cabeça quente. A cúpula vascaína acha que ele deve permanecer no time cruzmaltino até o término do contrato, em janeiro de 2009.

Datas das finais:

Corinthians x Sport – Morumbi – 04 de junho
Sport x Corinthians – Ilha do Retiro – 11 de junho

Imagens: lancenet


Luciano Dias

terça-feira, 27 de maio de 2008

Mineiros conquistam a Europa

Os times júnior de Atlético e Cruzeiro foram ao velho continente e venceram algumas das competições que participaram. Em um dos torneios eles se enfrentaram na semifinal.

O time alvinegro foi comandado pelo treinador Leonardo Condé e os jogadores que viajaram para os torneios foram:

Goleiros: Camilo, Renan Ribeiro
Laterais: Thiago , Marco Aurélio e Luís Gustavo
Zagueiros: Lázaro, Werlei e Vagner
Meio-campistas: Denilson, Douglas, Danilo, Gustavo, Chiquinho, Raphael Aguiar, Gabriel e Yuri
Atacantes: Hudson, Kleber, Taffarel e Vinicius.

Com esses jovens, o Atlético conquistou dois bicampeonatos: em Ennpetal na Alemanha e Terborg na Holanda. É a primeira vez que o Galinho vence os dois torneios no mesmo ano. No torneio alemão, o Atlético se manteve invicto ao vencer o Hamburgo SV por 1 a 0, o Olympiakos por 3 a 0, o Schalke 04 por 1 a 0, e novamente o Olympiakos por 1 a 0.

Na Holanda, o Galinho teve mais dificuldades para triunfar. Estreou com vitória de 2 a 1 sobre o De Graafschap, depois foi derrotado pelo Fenerbahçe por 1 a 0, se recuperando sobre o Ajax com vitória de 2 a 0. Em seguida duas vitórias emocionantes nos pênaltis: uma sobre o Porto pelas semifinais (empate em 0 a 0 no tempo normal e vitória de 4 a 2 nos pênaltis), e na final derrotou o PSV por 4 a 3 nas penalidades depois de empatar em 0 a 0 no tempo normal. Em Ennepetal, o atacante Kléber do Atlético foi eleito o melhor jogador do torneio, e em Terborg o meia Yuri foi eleito o melhor jogador.

Antes do terceiro torneio em Amsterdã o Atlético perdeu o zagueiro Werlei, o volante Denilson e o meia Yuri que se apresentaram para a equipe principal - o último ainda atuou no empate contra o Atlético Paranaense.

O time júnior do Cruzeiro, que nada tem a ver com as perdas atleticanas, foi para cima de seus adversários na Copa Amsterdã e conquistou o bicampeonato - o time havia conquistado este título em 2006. Os jogadores que participaram desta campanha foram:

Goleiros: Douglas Pires e Douglas Borges
Zagueiros: Luizão, Cléberson e Alisson
Laterais: Marcos, Vítor, Anderson e Diego Renan
Meio-Campistas: Fidel. Bernardo, Mateus, Pablo, Carlos Magno
Atacantes: Eliandro, Joabe, Bruno e Washington

O time celeste foi campeão invicto. Empatou em 1 a 1 com o Ajax da África do Sul, em seguida venceu a Juventus por 2 a 0 e o Ajax da Holanda por 2 a 1. Na semifinal, o Cruzeiro derrotou o Atlético por 1 a 0, promovendo em terras holandesas o super clássico mineiro. Na final enfrentou mais uma vez o Ajax da Holanda, desta vez vencendo por 1 a 0, ficando com a taça da competição. O time celeste ainda teve Douglas Pires como o melhor goleiro do torneio e o equatoriano Fidel, como o artilheiro com três gols.

O time júnior do Atlético já está de volta ao Brasil para cumprir seus jogos em amistosos e outros torneios, além da preparação para a Copa BH de futebol júnior. Já o Cruzeiro permanece na Holanda para disputar a Copa PSV. Na fase classificatória a equipe vai enfrentar somente clubes holandeses. O primeiro adversário é o Twente, depois enfrenta o Heerenveen, e em seguida o Feyenoord.

Imagens: Terborg e Amsterdã

Pedro Rotterdan

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Palmeiras cede empate para a Lusa

Em São Paulo também teve clássico. Após seis anos sem se enfrentarem no Campeonato Brasileiro, Portuguesa e Palmeiras empataram em 1 a 1 (o placar mais repetido da rodada), neste domingo, no Pacaembu. O Verdão, apontado como um dos favoritos ao título, ocupa apenas a zona intermediária da tabela, com apenas quatro pontos. A Lusa, por sua vez, está na zona de rebaixamento, com apenas dois pontos.

O gol do Verdão foi marcado aos 21min do primeiro tempo, com o zagueiro Devid, que após bela jogada de Valdívia concluiu no canto esquerdo do goleiro Eduardo Gottardi. No entanto, o mesmo Deivid permitiu que Diogo, com tranquilidade, decretasse o empate aos 14min da etapa complementar. O atacante Alex Mineiro ainda desperdiçou um pênalti quando o confronto estava 1 a 0 para o time de Luxemburgo.

Mesmo com o empate percebe-se quais os objetivos das duas equipes neste campeonato. O Verdão, com um bom elenco e com um treinador renomeado, deve brigar por uma classificação na Libertadores ou até mesmo pelo título. Já a Lusa, com um modesto time deve lutar mesmo pela Sul-Americana ou pela fuga da segundona.

O Palmeiras volta a campo domingo para enfrentar o Atlético Paranaense, no Palestra Itália. A Portuguesa, por sua vez, busca sua primeira vitória no Brasileirão contra o Atlético Mineiro, no Mineirão.

Abatido, São Paulo não sai do empate contra o Coritiba

Agora dedicado exclusivamente ao Campeonato Brasileiro, o São Paulo não conseguiu superar a eliminação da Copa Libertadores. O Tricolor apenas empatou por 1 a 1 com o Coritiba neste domingo, no Morumbi. Rubens Cardoso e Jorge Wagner marcaram os gols da partida. O resultado faz com que o São Paulo continue distante dos primeiros colocados, totalizando dois pontos em três jogos disputados. O Coritiba, por sua vez, está com quatro pontos, na oitava posição.

No próximo domingo, o Tricolor buscará reabilitação em clássico contra o Santos, na Vila Belmiro, enquanto o Coxa receberá o Cruzeiro no Couto Pereira.

Imagem: Lancepress


Luciano Dias

Homônimos empatam no Paraná

Tudo igual no duelo de xarás realizado neste domingo na Arena da Baixada, em Curitiba. Os Atléticos paranaense e mineiro empataram por 1 a 1, no jogo que marcou também estréias de treinadores - Roberto Fernandes no Furacão e Alexandre Gallo no alvinegro. Com o resultado, o time paranaense, que começou o Brasileirão com triunfo fora de casa, perdeu a oportunidade de encostar nas primeiras colocações, ao empatar duas vezes seguidas na Arena. Já o Galo, se mantém invicto, em compensação segue sem vencer, ocupando apenas a 15ª posição no torneio.

Roberto Fernandes manteve no Furacão o esquema 3-5-2 dos tempos de Ney Franco. Mas, ele fez duas alterações por ordem técnica: Piauí entrou na ala-esquerda na vaga de Léo Medeiros, enquanto o apenas rápido Rogeirinho fez companhia a Marcelo Ramos no ataque. Alexandre Gallo também utilizou o 3-5-2 no time mineiro, sendo Rafael Miranda o escolhido para deixar a equipe titular. Destaques também para a dupla de ataque formada por Almir e Eduardo, além da estréia do lateral-esquerdo Calisto.

Jogando em casa, o Furacão tomou a iniciativa do embate, mas a falta de objetividade do meio-campo tornou as pretensões ineficazes. Já o Galo se preocupou em apenas se defender no primeiro tempo, não acertando os pretendidos contra-ataques. Netinho e Petkovic, responsáveis pelas criações das duas equipes, pouco apareceram na etapa inicial.

Insatisfeito com a postura do Galo, o técnico alvinegro alterou o time na volta para o segundo tempo. Marques entrou no lugar de Marcos (o mais baixo entre os três zagueiros), fazendo com que a equipe atuasse no 4-4-2, já que Almir passou a recompor o meio-campo. A modificação surtiu efeito, já que o conjunto mineiro passou a segurar mais a bola no ataque. Neste contexto, o Galo abriu o placar aos 10min, com Eduardo de cabeça, aproveitando cobrança de falta de Pet pela direita.

Desorganizado e pressionado pelas vaias da torcida o time paranaense procurava o gol de empate. O alvinegro perdeu Márcio Araújo aos 14min, entrando em seu lugar Rafael Miranda. Se por um lado, o time ganhou em maior poder de marcação, perdeu em mobilidade na saída de bola. O empate do Furacão aconteceu aos 17min, com o veterano Marcelo Ramos. O atacante aproveitou cruzamento de Wallyson da direita e cabeceou para as redes de Juninho, contando com o desvio de Leandro Almeida antes de entrar.

Para complicar a situação alvinegra, Eduardo foi expulso depois de jogada imprudente sobre Chicão. Com um jogador a mais, os paranaenses pressionaram de todas as formas, mas Juninho, em uma atuação segura, garantiu mais um empate dos mineiros.

O próximo confronto do Galo na competição será contra a Portuguesa, no próximo domingo, no Mineirão. Já o Furacão enfrenta, no mesmo dia, o Palmeiras, no Palestra Itália, em São Paulo.

Imagem: Jonathan Campos/Gazeta do Povo



Luciano Dias

Cruzeiro goleia Santos e assume liderança do Brasileirão

Pelé, Tostão, Pepe, Dirceu Lopes...Grandes craques e inesquecíveis confrontos marcaram a história de Cruzeiro e Santos, principalmente nas décadas de 60 e 70. Atualmente a realidade é diferente, já que nossos principais jogadores atuam fora do país. Mesmo com essa realidade, o duelo deste domingo, no Mineirão, foi pertinente aos belos jogos, com as duas equipes procurando os gols em todo momento. Melhor para o Cruzeiro, que inspirado, goleou o time santista por 4 a 0. De quebra, a equipe estrelada se consolidou na liderança isolada do Brasileirão, com 100% de aproveitamento.

A equipe celeste entrou em campo com a formação ideal (para Adilson Batista), sem a presença de Marcelo Moreno, que deve ser negociado ao futebol da Ucrânia. No lugar do boliviano, Adilson promoveu a estréia de Jajá - artilheiro do Campeonato Mineiro deste ano. O Santos, ainda abatido com a eliminação da Libertadores, atuou no 4-4-2, com a manutenção de Betão na lateral-direita.

O embate deste domingo foi muito movimentado, sendo que o primeiro tempo foi marcado por investidas de ambos os lados. O Cruzeiro abriu o placar aos 18min, com Guilherme, que de bico, arrematou belo lançamento de Jajá. O placar da etapa inicial poderia ter mais gols para os dois lados, mas Wágner, em duas ocasiões, Guilherme, em outras duas, perderam incríveis oportunidades. O Santos teve as suas chances, mas também pecou nas finalizações, principalmente Molina, que frente-a-frente com Fábio tentou encobri-lo, mas a bola saiu caprichosamente para a linha de fundo.

O colombiano nem voltou para o segundo tempo, entrando em seu lugar o atacante Wésley. A alteração, no entanto, fez com que o Peixe perdesse o meio-campo. O sobrecarregado Jadilson (o Santos atacava em demasia pelo seu setor) também deixou o campo no intervalo, dando lugar a Jonathan. Com a alteração, o polivalente Marquinhos Paraná atuou na lateral-esquerda, melhorando a marcação no setor. As modificações não tiraram o intenso ritmo do duelo, principalmente por parte da equipe mineira.

Chances continuaram sendo perdidas, fazendo de Fábio, do Cruzeiro, e Fábio Costa, do Santos, importantes figuras do jogo. De tanto insistir, a Raposa ampliou com Guilherme, aos 17min. O atacante recebeu belo passe de Jonathan, e dentro da área, cortou o zagueiro e colocou com categoria no canto direito do arqueiro santista. O terceiro tento saiu aos 24, com Wagner, que após rápida cobrança de falta, tocou na saída de Fábio Costa. Explorando os contra-ataques, Maicossuel, que entrara no lugar de Jajá (bela estréia), decretou o placar aos 35min.

Na partida de número 4.300 da história cruzeirense, um 8 a 4 não seria nenhum exagero, mas as grandes defesas dos goleiros e a displicência dos atacantes não permitiram o exagerado placar. O próximo confronto do Cruzeiro será o Coritiba, no próximo domingo, no estádio Couto Pereira, no Paraná. Já o Santos promove contra o São Paulo o clássico San-São, na Vila Belmiro.

Ipatinga conquista seu primeiro ponto na Série A

Goiás e Ipatinga fizeram no Serra Dourada uma partida condizente a atual situação das duas equipes. Em jogo de baixo nível técnico e muitos erros de passes, a equipe esmeraldina empatou com o Tigre por 1 a 1. Paulo Baier de falta, logo aos 5min, abriu o placar para os donos da casa. Mas, com a expulsão de Júlio César e Paulo Henrique, o time goiano cedeu o empate ao Ipatinga no segundo tempo, com gol de Neto Baiano.

Os dois times seguem sem vencer no Brasileirão. O Goiás, com 2 pontos, é o 16º, enquanto o Tigre é o lanterna com apenas um ponto - o primeiro do time mineiro na Série A.

Imagem: Marcos Michelin/EM


Luciano Dias

domingo, 25 de maio de 2008

Clássico carioca termina empatado

No primeiro clássico carioca do Brasileirão, Botafogo e Vasco empataram neste domingo por 1 a 1 no Engenhão. Eduardo Luiz abriu o placar para o time vascaíno e Lúcio Flávio de pênalti empatou.

O confronto marcou também o primeiro clássico no estádio Engenhão. Poucos torcedores compareceram, mas não se decepcionaram, apesar de ambas as equipes serem mistas. Foram 90min de muita raça e determinação de ambas equipes.

O Vasco foi melhor durante todo o primeiro tempo e criou boas chances, principalmente com Allan Kardec. Já o Botafogo, errou muitos passes e pouco criou. A torcida do Fogão estava insatisfeita e, inclusive chegou a vair durante alguns momentos enquanto via a derrota, mas após empatar voltaram a apoiar.

Veja os gols do clássico:



O empate deixou as duas equipes com quatro pontos na competição. Na próxima rodada, o Botafogo irá até Recife onde pega o Náutico, domingo, ás 16h. Já o Vasco, receberá o Grêmio em São Januário, sábado, às 18h10.

Video: youtube

Christiano Soares

Dodô perde pênalti e Flu é derrotado para Sport

Aos 45min do segundo tempo, o artilheiro dos gols bonitos, Dodô, perdeu um pênalti e o Fluminense foi derrotado pelo Sport por 2 a 1, neste domingo na Ilha do Retiro. Ambas as equipes atuaram com o time misto, poupando os titulares para a semifinal da Copa do Brasil.

Apesar de serem times mistos, Sport e Fluminense fizeram um jogo aberto e logo no inicio perderam gols. Os mandantes com Carlinhos Bala, e os visitantes com Dodô. Luciano Henrique também perdeu uma boa chance. Depois de uma bela jogada individual, ele chutou fraquinho nas mãos do goleiro Fernando Henrique.

Os pernambucanos abriram o placar após cobrança de falta de Júnior Maranhão aos 22min. Foi o primeiro gol do brasileiro do time de Nelsinho Batista. A reposta veio três minutos mais tarde com Romeu. O meia arriscou um chute de longa distância, Magrão ainda tocou na bola antes que ela batesse no travessão.

Aos 29, o Sport quase ampliou. Roger recebeu cruzamento de Luciano Henrique e, de cabeça, obrigou Fernando Henrique a fazer excelente defesa. Embalado pela torcida, os mandantes dominaram o resto do primeiro tempo, mas não conseguiram ampliar.

A etapa final ficou mais disputada. Mas a forte marcação causou diversas faltas deixando o jogo bastante truncado. O Spot administrou a partida e passou a arriscar chutes de longe, enquanto o Flu buscou o empate com o toque de bola e jogadas aéreas.

A melhor chance dos cariocas vieram dos pés de Dodô. O artilheiro arriscou de fora da área obrigando Magrão a fazer boa defesa mandando a córner. Na cobrança, o mesmo Dodô chutou, e desta vez, em cima da linha, Daniel Paulista tirou.

Os cinco minutos finais foram emocionantes. O Sport ampliou com Leandro Machado aos 42min após receber de Carlinhos Bala. Um minuto depois o zagueiro Gabriel foi expulso após entrada violente em Léo Itaperuna. Dodô bateu e diminuiu. Aos 45, Léo foi derrubado dentro da área e o árbitro assinalou pênalti. Magrão saltou e defendeu a cobrança de Dodô.

O triunfo deixou o Sport com quatro pontos na décima primeira posição. Já o Flu é o penúltimo com apenas um ponto. Os dois times voltam a campo pela quarta rodada no próximo final de semana. O Sport irá até Rio Grande do Sul onde encara o Inter, sábado às 18h10. No mesmo horário, o Fluminense terá o Flamengo, no domingo.

Imagem: terra

Christiano Soares

Flamengo bate Inter de virada e segue sem perder no Brasileirão

Dois times considerados favoritos ao título se enfrentaram neste sábado: Flamengo e Internacional. De virada, o Fla levou a melhor e superou os gaúchos por 2 a 1. Nilmar fez para os visitantes, enquanto Marcinho e Souza para os mandantes.

O Inter jogou melhor nos minutos iniciais e desperdiçou boas oportunidades. Nilmar, de bicicleta quase marcou aos oito minutos. Aos 20, Jonas cruzou na área, Fernandão mandou de cabeça e Bruno salvou.

A resposta dos mandantes ocorreu dois minutos depois. Léo Moura fez boa jogada, chutou e Renan mandou a córner. Mas o Inter foi quem abriu o placar. Nilmar, aos 33min, recebeu na entrada da área e tocou na saída de Bruno.

A postura do Flamengo mudou. A apartir de então, a equipe de Caio Júnior acordou e passou a dominar a partida, mas não teve no restante do primeiro tempo nenhuma chance clara de gol.

Jônatas voltou para o segundo tempo no lugar de Jaílton. E não demorou para o empate acontecer. Logo aos cinco minutos, Fábio Luciano toucou de cabeça, após cruzamento de Juan, Renan deu rebote e Marcinho empurrou para o gol.

A torcida rubro negra ainda comemorava. Quatro minutos mais tarde, Tardelli avançou pela esquerda, tentou passar por Renan e a bola sobrou para Souza mandar para o gol vazio.

A virada deixou o time gaúcho perdido em campo. Somente após os 20min, que Abel Braga conseguiu organizar a casa. Aos 25, Nilmar perdeu uma chance incrível. O velocista passou por Bruno, chutou e Léo Moura salvou em cima da linha.

Veja os gols da vitória rubro-negra:




Com o triunfo, o Flamengo permanece sem perder no Brasileiro, agora com sete pontos. Na próxima rodada, a equipe carioca irá até a Ilha do Retiro onde enfrentará o Sport, sábado as 18h10. Já o Inter continua com três pontos e voltará ao Maracanã no Domingo onde jogará diante do Fluminense.


Vitória vence a primeira

Ainda neste sábado pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro, o Vitória venceu a primeira na competição. Atuando em casa, no Barradão, os baianos fizeram 4 a 0 sobre o Figueirense. Os gols da partida foram de jackson, Dinei (2) e Ricardinho.

Vídeo: youtube

Christiano Soares

Grêmio vence Náutico e segue invicto

Sem dificuldades o Grêmio venceu o Náutico por 2 a 0, neste sábado, 24, no estádio Olímpico, em Porto Alegre. Com sete pontos, duas vitórias e um empate, o tricolor gaúcho segue invicto no Brasileirão.

O primeiro tempo foi fraco, com as duas equipes errando passes e sem criar grandes chances de gol. Uma para cada lado e só. Mesmo assim, aos 33 minutos, o zagueiro Léo arriscou no ataque, tabelou com o meia Roger e recebeu na área para marcar.

No segundo tempo a partida melhorou. O Náutico foi pra cima e deixou espaços no meio campo. O atacante Felipe, do Timbu, perdeu uma chance cara a cara com o goleiro do Grêmio. E aos 20, em uma bola enfiada por Soares, o zagueiro Everaldo falhou feio e o atacante colombiano Perea ainda tirou mais um zagueiro da jogada antes de fazer o segundo.

Na quarta rodada, o Grêmio visita o Vasco, sábado às 18h10. Já o Náutico recebe o Botafogo, nos Aflitos, domingo, às 16h.

Imagem: globo

Guilherme D´Assumpção

sábado, 24 de maio de 2008

Massa domina treino e larga em primeiro

A etapa mais charmosa de toda a temporada de Fórmula 1 já possui seu pole position. Felipe Massa da Ferrari demonstrou a qualidade como piloto em circuitos lentos e com muitas curvas e garantiu a primeira posição em Mônaco, seguido de seu companheiro de equipe Kimi Raikkonen. A segunda fila, com o terceiro e quarto lugares, foi dominada pela Mclaren que irá largar neste domingo com o carro um pouco mais pesado.

Rubens Barrichello que vinha fazendo um ótimo treino foi atrapalhado pela forte batida de David Coulthard da RBR contra o guard rail interno da pista. Larga em 15º lugar e Nelsinho Piquet em 17º.

Confira o grid de largada completo :

Piloto Equipe Tempo

1 F. Massa (BRA) Ferrari 1m15s787

2 K. Raikkonen (FIN) Ferrari 1m15s815

3 L. Hamilton (ING) McLaren 1m15s839

4 H. Kovalainen (FIN) McLaren 1m16s165

5 R. Kubica (POL) BMW Sauber 1m16s171

6 N. Rosberg (ALE) Williams 1m16s548

7 F. Alonso (ESP) Renault 1m16s852

8 J. Trulli (ITA) Toyota 1m17s203

9 M. Webber (AUS) RBR 1m17s343

10 D. Coulthard (ESC) RBR sem tempo

11 T. Glock (ALE) Toyota 1m15s907

12 J. Button (ING) Honda 1m16s101

13 N. Heidfeld (ALE) BMW Sauber 1m16s455

14 K. Nakajima (JAP) Williams 1m16s479

15 R. Barrichello (BRA) Honda 1m16s537

16 S. Bourdais (FRA) STR 1m16s806

17 N. Piquet (BRA) Renault 1m16s933

18 A. Sutil (ALE) Force India 1m17s225

19 S. Vettel (ALE) STR 1m16s955 (punido)

20 G. Fisichella (ITA) Force India 1m17s823 (punido)

imagem : globo.com


Roberto Lopes

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Santos vence pelo placar mínimo e dá adeus ao sonho do tri na Libertadores

Não deu para o Peixe. Precisando tirar uma diferença de dois gols, o Santos venceu o América-MEX apenas por 1 a 0, nesta quinta-feira, na Vila Belmiro e se despediu do sonho do tricampeonato da Libertadores. A equipe mexicana, que nas oitavas eliminou o Flamengo de forma heróica, enfrenta nas semifinais a LDU, do Equador.

Emerson Leão (foto) escalou uma equipe ofensiva para enfrentar os mexicanos. Para tentar reverter a desvantagem, o Peixe entrou em campo com três atacantes:Wésley, Kléber e Lima. Além disso, o treinador santista contou com retorno do zagueiro Marcelo, recuperado de lesão muscular na coxa direita, o que possibilitou a escalação de Betão na lateral-direita. O América, por sua vez, atuou com uma retranca incrível, apostando nos contra-ataques puxados por Cabañas e Esqueda.

Diante de uma defensiva muito forte, o Santos abusava de cruzamentos e de arremates de fora da área. No entanto, a equipe mexicana conta com um goleiro que vive uma excelente fase. Guillermo Ochoa deu mostras de elasticidade, principalmente em chutes de Rodrigo Souto e Molina.

Na volta do intervalo, Leão promoveu a entrada de Trípodi, no lugar de Wésley, que parece ter sentido a importância da partida. Mesmo com suas limitações, Trípodi, deu mais movimentação ao ataque santista. Em um de seus lances, o argentino fez um belo lançamento para Kléber Pereira, que foi derrubado dentro da área, mas o árbitro uruguaio Jorge Larrionda ignorou, revoltando Emerson Leão.

O Peixe insistia em jogar pelos lados, mas Betão mostrava claramente que a lateral-direita não era a sua posição. Para dar mais qualidade ao setor, o treinador santista colocou Quiñones no lugar do improvisado Betão. E no primeiro lance, aos 17min, o equatoriano cruzou para Kleber Pereira marcar o gol do Peixe, renovando as esperanças dos torcedores.

A Vila Belmiro se transformou em um verdadeiro caldeirão, mas diante das deficiências ofensivas e da catimba mexicana, o Santos não conseguiu fazer mais gols, dando, desta forma adeus ao sonho do tricampeonato. Emerson Leão creditou a eliminação santista a arbitragem das quartas-de-final. No primeiro confronto, no México, o argentino Hectro Baldasi e seus auxiliares anularam gol legal de Kléber Pereira. No confronto desta quinta-feira, Jorge Larrionda não marcou pênalti sobre Kléber Pereira, o que para Leão foi um erro grotesco.

LDU elimina San Lorenzo nos pênaltis

Muita emoção em Quito. Depois de um empate de 1 a 1 (mesmo placar da partida de ida na Argentina), a LDU venceu o San Lorenzo nos pênaltis por 5 a 3 e se qualificou às semifinais da Libertadores. O experiente goleiro Jose Cevallos defendeu a penalidade de Aureliano Torres e se trasnformou no herói do triunfo equatoriano.

Confrontos das semifinais:

LDU (EQU x América (MEX)
Fluminense x Boca Juniors

Imagem: Reuters


Luciano Dias

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Estrela de Washington brilha e Tricolor carioca elimina o paulista

A emoção esteve presente nesta quarta-feira no Maracanã. No confronto de Tricolores, o Fluminense venceu o São Paulo por 3 a 1 e pela primeira vez se classificou para as semifinais da Libertadores. Em uma partida para quem tem um coração forte, brilhou aquele que há quatro anos sofreu com problemas cardíacos: Washington (foto). O coração valente marcou dois gols do Flu, sendo que o último foi feito nos acréscimos.

Mesmo necessitando de uma vitória, o Fluminense entrou em campo com apenas Washington no ataque. Entretanto, o centroavante tinha as aproximações de Conca e dos laterais, principalmente Júnior César pela esquerda. Pelo setor direito do São Paulo, o time das Laranjeiras criava as principais jogadas. O São Paulo, que entrou no tradicional 4-4-2, era encurralado pelos cariocas, não conseguindo criar seque uma jogada de perigo. O grande prejudicado foi Jancarlos, que sofreu na marcação, já que o Flu jogava em demasia pelo seu setor.

Os cariocas quase abriram o marcador aos 9min, com Cícero, mas Rogério Ceni fez boa intervenção. Mas três minutos depois, não teve jeito, começava a brilhar a estrela de Washington. Júnior César arriscou de fora da área, Zé Luis cortou para alto e, na seqüência da jogada, Cícero ganhou disputa de cabeça e Washington desviou livre dentro da área para vencer Rogério Ceni.

O tento sofrido, fez com que o São Paulo saísse para o jogo, mas o excesso de erros de passes e as péssimas apresentações de alguns jogadores, como Dagoberto, prejudicaram os paulistas. Já o Flu não continuou com o mesmo ímpeto inicial, mas em jogadas isoladas, principalmente com Conca, assustava os visitantes. Aos 38 minutos, o habilidoso argentino observou o Rogério Ceni adiantado e chutou de fora da área no travessão. Na sobra, Thiago Neves perdeu uma chance inacreditável ao cabecear para fora com Rogério Ceni caído.

Para tentar corrigir as dificuldades na marcação pelo setor direito, o técnico são-paulino, Muricy Ramalho, na volta para o segundo tempo, promoveu a entrada de Joílson no lugar do sobrecarregado Jancarlos. Já Renato Gaúcho, alterou o Fluminense apenas aos 9min da etapa complementar. O treinador deixou a equipe mais ofensiva ao tirar o volante Arouca e colocar o atacante Dodô. Muricy respondeu ao promover a entrada de Aloísio na vaga do apático Dagoberto. A principio, a alteração do São Paulo surtiu mais efeito, já que Adriano e Aloísio organizavam perigosas tabelas. A equipe paulista passou a dominar o meio-campo, encurralando o Flu na defesa.

A dupla ofensiva dos visitantes funcionou efetivamente aos 25min. Aloísio foi até a linha de fundo na esquerda e cruzou para a cabeçada certeira de Adriano, sem chances para Fernando Henrique. No entanto, a resposta do Fluminense veio com Dodô em seguida. Ele recebeu dentro da área e chutou fraco, mas contou com a ajuda de Rogério Ceni, que permitiu a passagem da bola no meio das suas pernas.

Neste contexto, a partida ficou emocionante e aberta. Para aumentar o sofrimento dos são-paulinos, Joilson foi expulso aos 39min, depois de puxar a camisa de Júnior César e receber o segundo cartão amarelo. Mas não teve jeito para os paulistas, e na base do abafa, o time carioca conseguiu a classificação. Nos acréscimos, após cobrança de escanteio, Washington ganhou disputa pelo alto com a zaga adversária e marcou o terceiro.

O Maracanã se transformou em um caldeirão de alegria, neste que foi o principal jogo da história do Fluminense. Já o São Paulo, que pelo segundo ano consecutivo é eliminado por uma equipe brasileira (ano passado o Grêmio foi o algoz), resta pensar no Brasileirão e na Sul-Americana, além de se contentar com uma provável saída do imperador Adriano.

Na próxima etapa, o Fluminense ainda espera o adversário, que será definido após o fim das quartas-de-final. Como o regulamento obriga times do mesmo país a se enfrentarem antes da decisão, independente da divisão das chaves, o time carioca pode enfrentar Boca Juniors, da Argentina, Santos ou até o América, do México.

Palermo cala o México e Boca avança

Se não pôde contar com a Bombonera na partida de ida, em Buenos Aires, o Boca Juniors fez valer a sua força fora de casa, no jogo de volta, no México, e garantiu a vaga nas semifinais da Copa Libertadores. Com três gols do artilheiro Martín Palermo (o último um golaço de cobertura), os argentinos venceram o Atlas, nesta quarta-feira, em pleno Jalisco, em Guadalajara, por 3 a 0. O time de Buenos Aires aguarda, agora, seu adversário e ele pode ser argentino, caso o San Lorenzo elimine a LDU, no Equador.

Imagem: Agência/EFE


Luciano Dias

Em apenas um tempo, Sport vence Vasco e está perto da final da Copa do Brasil

O caldeirão fez novamente a diferença. Com mais de 30 mil pessoas na Ilha do Retiro, o Sport venceu o Vasco por 2 a 0, nesta quarta-feira, no primeiro jogo das semifinais da Copa do Brasil. Agora o Leão pode perder por 1 a 0 no duelo da volta (próxima quarta - 28) e caso faça um gol em São Januário, o time pernambucano se classifica mesmo perdendo por dois tentos de diferença. O único placar que leva a decisão para os pênaltis é o 2x0.

Jogando em casa, o Sport entrou em campo com três atacantes: Carlinhos Bala, Enilton e Leandro Machado. Mas, na verdade a equipe atuou no 4-4-2, ao invés do esperado 4-3-3, já que Carlinhos Bala atuou recuado, ajudando Romerito nas armações de jogadas. Já o Vasco, entrou com o 3-5-2, com a expectativa de liberar os laterais Wagner Diniz e Madson, o que não aconteceu.

Prevaleceu a formação leonina. No impulso dos torcedores, o Sport foi para cima para tentar decidir o confronto logo na etapa inicial. O Vasco foi encurralado pelos rubro-negros, não conseguindo armar seque uma jogada de perigo. A estratégia de pressão exercida pelo Sport deu certo, já que aos 15min, Luisinho Netto cobrou falta pelo lado direito e Durval cabeceou para as redes, contando com o desvio do zagueiro vascaíno Jorge Luiz. O segundo gol rubro-negro não demorou muito para sair. Aos 19, Enílton recebeu um lançamento na área, matou no peito e rolou para Daniel Paulista soltar forte arremate no canto direito do goleiro vascaíno.

O time pernambucano retornou para o segundo tempo com o mesmo ímpeto, mas encontrou um Vasco mais ofensivo e com o meio-campo mais coeso. O time cruzmaltino passou a dominar o jogo, mas não criou grandes chances para diminuir o marcador. Para o torcida do Sport ficou um sabor de “quero mais”, já que a equipe começou o embate de forma avassaladora.

No finalzinho, Botafogo vira para cima do Corinthians

O outro confronto das semifinais da Copa do Brasil aconteceu na última terça-feira. No estádio Engenhão, o Botafogo derrotou, de virada, o Corinthians por 2 a 1 e abriu uma pequena vantagem para o segundo jogo. O gol do Timão foi marcado por Carlos Alberto na etapa inicial. Mas, no tempo complementar, Lúcio Flávio, em cobrança de pênalti, e Jorge Henrique, aos 43min, garantiram o triunfo do Fogão.

As duas equipes voltam a campo para decidir a vaga na decisão no dia 28, no estádio do Morumbi. Depois do resultado desta terça, o Corinthians terá de vencer por 1 a 0 ou por dois gols de diferença para assegurar a vaga. Já o Botafogo se classifica com qualquer empate em São Paulo.

Imagem: Inês Campelo/ Diário de Pernambuco


Luciano Dias

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Nos pênaltis, Manchester vence Chelsea e consagra-se campeão pela terceira vez

Em Moscou, na final da Liga dos Campeões, o Manchester United venceu o Chelsea nos pênaltis por 6 a 5 depois de um empate em 1 a 1 e garantiu pela terceira vez a cobiçada Taça européia. Van Der Sar foi o herói dos Reds Devil ao defender o último pênalti cobrado pelo francês Anelka – para a sorte do português Cristiano Ronaldo que havia desperdiçado.

O Chelsea teve a chance de vencer com o capitão Terry, após Cech defender a cobrança de Cristiano Ronaldo, mas o zagueiro escorregou na “hora H” e chutou para fora. Ai brilhou a estrela do goleiro holandês.

O Manchester chegou a decisão por três vezes e venceu as três. A primeira foi em 1968, quando os Reds Devil venceram o Benfica por 4 a 1. A segunda ocorreu em 1999, desta vez, o triunfo foi em cima do Bayer de Munique por 1 a 0. desta vez, o Chelsea foi a vítima, deixando os Reds Devil 100% na decisão da Liga.

A partida

Um começo bem nervoso. Foi o que aconteceu nos minutos iniciais da decisão. Muita marcação e nenhuma jogada de efeito. Rooney, esperança de gols dos Reds Devil, praticamente não apareceu durante todo o duelo. O matador dos Blues também não. Drogba ficou preso à marcação e pouco produziu.

Depois dos 15min que o confronto passou a ficar emocionante. O Chelsea dominava a partida, mas não mostrava perigo para Van Der Sar. Suas principais jogadas vieram dos pés de Malouda. Já o Manchester, passou a explorar bem os contra ataques principalmente com Cristiano Ronaldo.

Aos 26min, Brown tabelou com Scholes, cruzou na área e Cristiano Ronaldo, livre, abriu o placar de cabeça. O duelo passou a ficar ainda mais emocionante. Sete minutos depois veio a resposta. Drogba alçou bola na área e o zagueiro Ferdinand cabeceou contra o patrimônio obrigando o goleiro a fazer excelente defesa.

Assustado, o Manchester respondeu em menos de um minuto. Cristiano Ronaldo cruzou da esquerda, Tevez cabeceou e Cech salvou. No rebote, Carrick chutou de primeira e novamente o arqueiro evita o gol. No minuto final, Lampard empatou após chute de Essien, a bola ainda desviou em Malouda antes de sobre para o volante livre.

Depois do intervalo, os Blues voltaram mais ativos e tomaram a iniciativa. Em busca da virada, aos 10min, Essien faz boa jogada individual e manda por cima. Os Reds Devil não conseguiam sair em contra ataques como no primeiro tempo e pouco produziram.

Com isso, o Chelsea dominou o segundo tempo e por pouco não virou.Aos 21min, após cobrança de escanteio, Terry subiu sozinho e mandou para fora. Dez minutos mais tarde, Drogba recebeu na entrada da área e acerta a trave.Sem forças para uma reação, o Manchester recuou-se ainda mais, bloqueando os Blues ate o fim.

Na prorrogação, logo aos quatro minutos, Lampard acertou o travessão depois de uma boa triangulação. A resposta veio cinco minutos mais tarde. Evra foi até a linha de fundo, deixou Giggs livre, praticamente sem goleiro. O meia chutou e Terry, de cabeça tirou em cima da linha.

No segundo tempo da prorrogação, ambas as equipes ficaram mais recuadas e nenhuma chance clara surgiu. Drogba ainda foi expulos após dá um tapa no rosto de Vidic.

Imagem: uefa

Christiano Soares

terça-feira, 20 de maio de 2008

Emocionantes disputas marcam a etapa de Papagaios

Papagaios recebeu neste final de semana (17 e 18 de maio) a 2ª Etapa do Campeonato Mineiro e 1ª Etapa da Copa Minas de MotoCross. A pista, toda irrigada, passou por melhorias e a área do evento recebeu uma arquibancada enorme, um bom camarote e uma excelente sonorização. O público presente foi muito grande e deu um show de incentivo aos pilotos, principalmente os participantes da casa.

Confira os resultados da etapa de Papagaios:

Intermediária

A prova contou com a participação de três pilotos de Papagaios, o que fez com que o público já se emocionasse na primeira bateria do dia. A briga pelo triunfo ficou por conta de Vinícius Almeida, o Amin, e Everaldo Fonseca, piloto de Papagaios. Amim venceu a prova, depois que Everaldo, então líder, se atrapalhou ao ultrapassar um retardatário. Mesmo atrapalhado, Everaldo terminou a corrida em segundo lugar. Adélio Júnior, que não fez uma boa largada, conseguiu se recuperar e terminar na terceira posição. No quarto lugar, o piloto de Papagaios Joaquim Jr, seguido pelo quinto colocado Fabiano Silva.

Máster

A briga ficou por conta de Evaristo Lemos, da cidade de Passos, e Tunico Miranda, que estava sumido das pistas. A vitória ficou com o Evaristo, que durante a prova fez manobras variadas para ultrapassar Tunico, incluindo X. Tunico até tentou recuperar a liderança, mas teve que se contentar com o segundo lugar. Dário de Oliveira Júnior, o Darinho, não teve uma boa largada, mas se recuperou e com belas ultrapassagens terminou na terceira posição. Wilson Lambari terminou em quarto, seguido por Robson Morato, que fez uma largada incrível, mas não conseguiu segurar o ímpeto dos adversários

Nacional


Na categoria Nacional, a expectativa era de uma boa prova de Tuniquinho Miranda e Everaldo Fonseca. Mas foi Kennedy Alves que fez uma boa largada e assumiu a ponta. Entretanto, prevaleceu a experiência de Tuniquinho Miranda, que mesmo não largando bem terminou em primeiro. Alex, o Chicletes, foi ultrapassado na última volta, tendo que se contentar com a segunda colocação. Kennedy Alves, graças a uma bela largada, terminou em terceiro, seguido por Tiago Martins, em quarto, e Rone Ribeiro, em quinto.

65cc

Sem contar com a presença de Vinícius Gadernal, que se recupera do acidente sofrido em Três Marias, a 65cc teve mais uma vez um show de Gustavo Lima, o Gustavinho. Ele largou muito bem e soube administrar a prova, vencendo a etapa de Papagaios. Filipe Gonçalves terminou na segunda colocação e somou pontos importantes no campeonato. Reges, muito pressionado por Rodriguinho Chulipinha, terminou na terceira posição. Chulipinha se contentou com o quarto lugar, seguido por Gabriel, o Tomatinho, em quinto. A categoria também foi marcada pelas quedas de Talles Lara, o Doidinho, que caiu quando estava na segunda colocação. Talles, que estava voltando de lesão no pé, voltou a sentir e deverá ficar afastado das pistas novamente. Outra queda marcante foi de Hugo Evantuil, o Tuilzinho, que estava em um ritmo muito forte na prova e se acidentou antes do salto de chegada. Ele sentiu bastante o joelho, que já estava lesionado e também é dúvida para as próximas corridas.

MX2

A MX2 marcava o encontro de Tuniquinho Miranda e Rômulo Bottrel, o Onça. Mas, Tuniquinho contrariou os prognósticos de disputa acirrada e com tranqüilidade venceu a categoria. César Boaventura, o Cesinha, largou muito bem e estava na segunda colocação quando sofreu uma queda na curva. Ele viu todos os outros pilotos passarem por ele e no final ainda teve sua moto danificada não podendo voltar à pista. A briga pela segunda colocação ficou por conta Evaristo Lemos e Rômulo Bottrel, que não largou muito bem. Evaristo, mais experiente e de 450cc, tentava de todas as formas conter os ataques de Onça, bem mais jovem e de 125cc. O duelo dos dois foi eletrizante, prevalecendo a juventude de Onça. Evaristo se contentou com o terceiro posto. A quarta colocação ficou com Dário de Oliveira Jr, O Darinho, seguido por seu irmão André Leal, na quinta posição.

50cc

Show de técnica de João Vitor Xavier Salles, o Dederinha. Com tranqüilidade, Dederinha sobrou na pista e venceu mais uma etapa do Mineiro. Dederinha lidera todos os campeonatos que está disputando na categoria 50cc, dando mostras de que está na hora de começar na 65cc e manter o mesmo ritmo. Arthur Lima, o Tuta, está voltando às pistas depois de ter fraturado o braço e já mostrou que vem para brigar pelo título. Ele largou na segunda colocação e chegou na mesma posição com muita persistência, já que faltando poucos metros, sua embreagem acabou e o pequeno Tuta trouxe a moto na marra até o final. Gabriel Souza terminou em terceiro, seguido por Eduardo Pereira, em quarto, e Marcos Vinícius, em quinto.

85cc

A 85cc tinha um sabor de revanche, já que Gustavo Lima, o Gustavinho, há alguns dias havia vencido Luis Miranda, o Lôro, em Três Marias. Mas, nesta briga, Lôro levou a melhor, conquistando a corrida. A segunda posição ficou com Victor Garcia, piloto que venceu a primeira etapa do mineiro em Patrocínio. Pedro Melo terminou na terceira colocação, seguido por Tauane, que largou muito mal, mas teve boa recuperação. Gustavinho, que andou de 85cc no meio das 150cc, terminou na quinta posição.

Força Livre

A bateria de maior emoção do dia. O show ficou por conta Tuniquinho Miranda. Mesmo voltando de contusão o piloto de Três Marias fez os seus incríveis saltos acrobáticos. Assim como na MX2, a disputa pela segunda colocação ficou por conta de Rômulo Bottrel, que novamente não largou bem, e Evaristo Lemos. Depois de vários toques e tombos, desta vez quem levou a melhor foi Evaristo, conquistando a segunda colocação. Rômulo Onça, mesmo com as quedas, terminou na terceira colocação. César Boaventura, O Cesinha, terminou na quarta posição, seguido pelo quinto colocado André Leal. Darinho e Hugo Morato se envolveram em um acidente e abandonaram a prova.

Destaque da Prova

O destaque da etapa de Papagaios foi Rômulo Bottrel (foto), o Onça, que mostrou novamente que está vivendo um ótimo momento e está se dedicando muito ao esporte sobre duas rodas. Onça, mesmo correndo com uma 125cc, mostrou que dará muito trabalho este ano. Ele deu show novamente e espera continuar andando forte daqui para frente.

Imagem:
romulobottrel


Christian Mascary

Alexandre Gallo é o novo treinador do Atlético

Depois de muita expectativa e vários nomes, o Atlético fechou o contrato com o novo treinador na noite desta segunda-feira. Trata-se de Alexandre Gallo, que havia deixado o Figueirense no domingo após a vitória de 2 a 1 sobre o Coritiba. O novo comandante acertou contrato até o dia 31 de dezembro.

Alexandre Gallo tem 40 anos e já tem três títulos em sua carreira como treinador. Em 2007 foi campeão pernambucano com o Sport, e no mesmo ano assumiu o Internacional conquistando a Recopa Sul-Americana. No final do ano passado assumiu o Figueirense e em 2008 sagrou-se campeão catarinense.

Gallo começou sua carreira como auxiliar de Parreira no Corinthians em 2002 e no ano seguinte foi auxiliar de Dario Pareyra no Grêmio. Sua primeira experiência como treinador foi em 2004 no Vila Nova de Minas. No mesmo ano foi campeão Brasileiro como auxiliar de Wanderley Luxemburgo. Depois comandou Portuguesa e Santos em 2005, e FC Tókyo em 2006.

Gallo chega ao Atlético com uma difícil missão: brigar pelo título e classificar o time para a Copa Libertadores de 2009. A contratação é uma aposta da diretoria atleticana, já que no mercado existem poucos bons treinadores. Com esta escassez, os times brasileiros apostam em novos talentos e esta receita tem dado certo. Gallo é jovem e teve a oportunidade de trabalhar com Parreira e Luxemburgo, o que pode trazer ao Atlético bons resultados.

O presidente do time atleticano, Ziza Valadares, parece ter gostado da idéia do rival Cruzeiro, que apostou no jovem Adilson Batista. As outras opções para assumir o Atlético eram Levir Culpi e Emerson Leão, mas o primeiro com alta cláusula de recisão e o segundo disputando a Libertadores, recusaram. Além destes, o time alvinegro fez propostas para Wagner Mancine, atualmente no Vitória, e Roberto Fernandes, que lidera o Brasileirão com o Náutico.

Foto: globo


Pedro Rotterdan

Nadal vence Federer e conquista Masters Series de Hamburgo

A final do Masters Series de Hamburgo colocou frente-a-frente os dois melhores tenistas do mundo. Rafael Nadal e Roger Federer repetiram a final do ano passado, mas desta vez prevaleceu a estrela do rei do saibro. Nadal venceu o suíço por 2 sets a 1 (7-5/6-7/6-3) e pela primeira vez conquistou o torneio alemão.

Esta foi uma semana muito importante no aspecto psicológico para o espanhol. Estava ameaçado de perder a vice-liderança do ranking, para o sérvio Novak Djokovic (a quem venceu nas semifinais), e vinha de derrota na estréia do Masters Series de Roma, realizado semana passada.

As expectativas agora estão voltadas para Roland Garros, que começa no próximo domingo, em Paris. Com o triunfo em Hamburgo, Nadal chega à França cheio de confiança na busca do tetracampeonato e pode orgulhar-se de já ter recebido a coroa em todos os principais torneios de saibro.

Guga espera surpreender em Roland Garros

Em entrevista coletiva na última sexta-feira, Gustavo Kuerten afirmou que, dentro das suas possibilidades, espera surpreender em Roland Garros, competição que o consagrou. “Para mim, Roland Garros é o torneio mais importante do mundo, e ser reverenciado é especial. Na verdade eu queria é poder jogar mais ainda, porque eu amo jogar tênis. Mas tudo isso está me deixando muito contente e as pessoas têm retribuído todo esse amor que eu tenho pelo esporte”, destaca.

No evento desta sexta-feira, Guga anunciou a parceria de seu instituto com o Banco do Brasil, que terá como objetivo desenvolver o tênis no país.


ATP confirma Bellucci como o número 1 do Brasil

A ATP confirmou a grande notícia para Thomaz Bellucci nesta segunda-feira. Na divulgação do novo ranking de entradas da entidade, o paulista aparece como o brasileiro mais bem colocado. Em grande fase no circuito profissional, o tenista de Tietê assumiu a 75ª colocação, duas à frente de Marcos Daniel.

Cumprindo grande ascensão na carreira, Bellucci manteve nos últimos meses uma série de 18 partidas sem derrotas, que incluiu três títulos de nível Challenger – em Florianópolis, Rabat e Túnis – e exatas 70 posições ganhas na lista. Na semana passada, conheceu sua primeira derrota desde 9 de abril no evento de Bordeaux, mas a ida às quartas-de-final já o havia colocado como número um do país

Imagem: Agência


Luciano Dias

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Náutico supera reservas do Flu e se mantém 100%

Com um futebol tecnicamente muito abaixo do esperado, o Náutico bateu os reservas do Fluminense por 2 a 0, em pleno Maracanã, e é líder da competição. Os gols da partida foram de Wellington e Warley.

Como no primeiro jogo, os garotos do Flu foram ao ataque e dominaram os minutos iniciais. No primeiro minuto, o árbitro Luiz Alberto Sardinha ignorou pênalti sobre Dieguinho após boa jogada individual.

O Náutico suportou a pressão inicial e com isso o jogo tornou-se mais disputado, mas sem nenhuma jogada bonita, ou lance nítido de gol. Aos 37min, a melhor chance até então: Felipe entrou pela esquerda, chutou cruzado e Fernando Henrique fez excelente defesa.

O segundo tempo parecia outro jogo. Mais disposição de ambas as equipes e menos falta. Logo aos seis minutos, Paulo Almeida comete pênalti em Alan. Carlinhos bateu no canto direito e o goleiro Eduardo defendeu.

A resposta do Alvirrubro veio aos 14min. Felipe, com categoria, mandou por cobertura, mas a bola bateu no travessão e saiu. Aos 26min, em cobrança de escanteio, Felipe mandou de cabeça no cantinho e Fernando Henrique não evita o gol.

O Flu esboçou uma reação, mas não conseguiu passar o bloqueio do Náutico. Os visitantes, por sua vez, passaram a administrar a partida e só saíram em contra ataque. Aos 49min, Paulo Santos cruzou da direita e Warley ampliou.

O Náutico se mantêm com 100% de aproveitamento junto com Cruzeiro, levando vantagem na liderança no número de gols marcados (4 a 3). Na terceira rodada, o Alvirrubro irá até o estádio Olímpico onde enfrentará o Grêmio, sábado às 18h10. Já o Flu, irá até a Ilha do Retiro onde encara o Sport, domingo às 16h.

Imagem: terra

Christiano Soares

Vanderlei encerra jejum de gols e Galo arranca empate em Goiânia

Duas equipes em péssimos momentos. Dois times que perderam os Estaduais de formas vexatórias e foram eliminados precocemente da Copa do Brasil. O resultado não poderia ser diferente: Goiás e Atlético empataram em 1 a 1, no estádio Serra Dourada, em Goiânia, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Os dois clubes também aparecem juntos na classificação. O Galo ocupa o 13º lugar com dois pontos, enquanto os esmeraldinos aparecem na 14ª colocação com um ponto.

O treinador da equipe goiana, Vadão, ainda procura uma formação ideal para colocar em campo. Diante de uma grande crise, várias posições continuam abertas. O craque do Goiás continua sendo o incansável Paulo Baier , que mais uma vez demonstrou a sua competência contra times mineiros. O Galo, por sua vez, teve os desfalques de Vínicius, com contratura na região anterior da coxa direita, e Marques, que sentiu dores no quadril. O técnico interino, Marcelo Oliveira, armou o time no tradicional 4-4-2, com Leandro Almeida na vaga de Vínicius e Marinho retornando ao ataque.

Diante de tantas incertezas, o futebol apresentado pelos dois times foi muito fraco. O Goiás tinha mais posse de bola, mas era pouco objetivo. Já o Atlético insistia na ligação direta da defesa, o que favorecia, na maioria das vezes, a zaga esmeraldina. Danilinho voltava em demasia, deixando o centroavante Marinho isolado. Neste contexto, poucas oportunidades foram criadas. Destaques para a chance atleticana aos 29min, com Marinho, mas o lateral esmeraldino cortou em cima da linha. Pelo Goiás, Anderson Aquino teve o melhor momento, mas, sozinho, cabeceou para fora o bom cruzamento de Victor.

O Galo voltou para o segundo tempo com uma modificação. Pet, que praticamente não pegou na bola, deu lugar ao volante Renan. Entretanto, o aspecto da partida modificou pouco, já que os erros de passes continuaram visíveis. Com péssimas disposições, dificilmente aconteceria um gol de jogada trabalhada neste duelo. A bola parada foi a sorte do Goiás, que aos 23min, chegou ao seu tento. Depois de cobrança de escanteio, Paulo Baier, o carrasco dos mineiros, aproveitou a sobra na pequena área e mandou para as redes de Juninho. O gol levado pelo Galo foi muito parecido com o sofrido na partida de quarta-feira contra o Botafogo, mostrando a deficiência atleticana na jogada aérea.

A sorte do Galo veio na base do chutão e com um jogador perseguido pela torcida. Aos 40min, Vanderlei recebeu na área e bateu forte no canto direito de Harlei. O atacante encerrou um jejum de 491 minutos do ataque alvinegro. O empate atleticano é comemorável pelas circunstâncias, mas não afasta a crise que atormenta a equipe, que não vence há cinco jogos.

O próximo compromisso do Goiás pelo Brasileirão será no próximo domingo, novamente no Serra Dourada, contra o Ipatinga. No mesmo dia, o Atlético encara o homônimo paranaense, na Arena da Baixada.

Santos humilha Ipatinga

Não foi desta vez que o Ipatinga somou seu primeiro ponto ou marcou seu primeiro gol na Série A do Campeonato Brasileiro. Com deficiências nas finalizações, o Tigre foi goleado pelo Santos por 4 a 0, na Vila Belmiro. A segunda derrota na elite do futebol nacional jogou a equipe mineira para a lanterna. Já o Peixe aparece na sétima colocação, com três pontos. O destaque do triunfo santista foi o atacante Kléber Pereira, que marcou três gols no confronto. O lateral-esquerdo Kléber completou a goleada.

O próximo compromisso do Santos pelo Brasileirão será o Cruzeiro, no próximo domingo, no Mineirão. Mas antes, a equipe tem um confronto importante pela Libertadores, quando na quinta-feira enfrenta o América (MEX), na Vila Belmiro, precisando tirar uma diferença de dois gols.

Imagem: Íris Roberto/ Diário da Manhã


Luciano Dias

No estádio Olímpico, Grêmio e Flamengo ficam no zero a zero

Em jogo movimentado, neste domingo, 18, em Porto Alegre, o Grêmio não saiu do empate sem gols com o Flamengo. O maior destaque da partida foi o goleiro rubro-negro Bruno, que impediu a vitória gaúcha com grandes defesas.

No primeiro tempo, a partida começou em alta velocidade, com espaços no meio de campo. O tricolor dos pampas teve as melhores chances, principalmente em uma cabeçada do atacante Soares defendida por Bruno. Nos contra-ataques o Flamengo criava boas oportunidades, mas pecava na finalização.

Confira os melhores momentos deste duelo:



Na etapa final, o Grêmio de cara acertou uma bola na trave com o zagueiro Pereira. Minutos depois o tricolor esbarrou na trave de Bruno, em um chute do lateral- esquerdo Helder. Na melhor chance do Flamengo, Marcinho cara a cara com o goleiro Victor furou o chute.

Na terceira rodada, o Grêmio recebe o Náutico no sábado as 18h10. No mesmo dia e horário, o Flamengo pega o Internacional no Maracanã.

Vídeo: youtube

Guilherme D´Assumpção

domingo, 18 de maio de 2008

No ritmo de Edmundo, Vasco conquista três pontos

Pela segunda rodada do campeonato brasileiro, o Vasco venceu a Portuguesa por 3 a 1, neste sábado, em São Januário. Edmundo entrou no segundo tempo, e foi o destaque vascaíno marcando dois gols. Leandro Amaral também deixou o dele e Diogo de pênalti descontou.

Confira os gols do duelo de portugueses:



Na terceira rodada, o Vasco faz o clássico contra o Botafogo, no domingo, às 18h10, no Engenhão. No mesmo dia e horário, a Portuguesa jogará em casa diante do Palmeiras.

Duelo nordestino termina sem gols

Também neste sábado, Spot e Vitória empataram sem gols na Ilha do Retiro. No primeiro tempo, a equipe da casa, foi melhor, mas não conseguiu balançar as redes. Na etapa final, os visitantes equilibraram, mas também não levaram perigo ao gol adversário.

Na terceira rodada, o Sport enfrentará o Fluminense em casa enquanto o Vitória jogará diante do Figueirense em Salvador.

Vídeo: youtube

Christiano Soares

sábado, 17 de maio de 2008

Sem brilho, Cruzeiro vence Fogão e segue 100% no Brasileiro

O Cruzeiro não teve uma boa atuação neste sábado, no Mineirão, mas foi o suficiente para derrotar o Botafogo por 1 a 0. Com o resultado, o time celeste chegou aos seis pontos, se mantendo com 100% de aproveitamento no Campeonato Brasileiro. Além disso, a Raposa quebrou um tabu que perdurava por 18 anos. A equipe estrelada não vencia seus dois primeiro confrontos no Brasileirão desde 1990, quando derrotou Botafogo e Corinthians. O Fogão continua com três pontos, na zona intermediária da competição.

O Cruzeiro entrou em campo com dois desfalques: Charles, poupado, e Marcelo Moreno, suspenso, deram lugar a Marquinhos Paraná e Jonathas. Em contrapartida, o time teve as voltas de Wagner e do lateral-esquerdo Jadilson. Os atletas deram uma nova dinâmica ao setor esquerdo. Já o Botafogo entrou em campo com uma equipe mista, visando às semifinais da Copa do Brasil contra o Corinthians, na terça-feira. Destaques para o retorno do goleiro uruguaio Castillo e da estréia do armador Carlos Alberto. A equipe carioca entrou em campo com três zagueiros: Ferrero, Renato Silva e Édson.

A equipe estrelada dominou toda a partida, mas graças a grande atuação do arqueiro botafoguense, venceu apenas com o placar mínimo. Com uma intensa pressão no inicio do duelo, o Cruzeiro logrou o gol aos 13min. Leandro Guerreiro cometeu pênalti em Wagner na entrada da área e o árbitro Paulo Cesar de Oliveira (SP) marcou sem exitar. Guilherme foi o encarregado da cobrança, mandando no canto direito de Castillo. Após abrir o marcador, o time celeste diminuiu o ritmo, mas continuou criando as melhores chances, principalmente com Guilherme, que perdeu três oportunidades incríveis – ressalta-se os méritos de Castillo.

O Botafogo retornou para o segundo tempo com duas modificações que deixaram a equipe mais ofensiva. Cuca sacou os zagueiros Ferrero e Edson e promoveu as entradas do também defensor Bruno Costa e do armador Lúcio Flávio. Entretanto, aos 16min, Túlio Souza, improvisado na lateral direita, fez falta dura em Ramires e foi expulso (recebeu o segundo amarelo) sem questionamentos. Para recompor o setor, o treinador Botafoguense improvisou mais uma vez: o volante Abedí entrou na vaga de Carlos Alberto. Foi visível a falta de ritmo de jogo do armador e acima do peso teve apenas uma estréia discreta.

O Cruzeiro quase ampliou o placar aos 24min, mas Jonathas, sozinho, se atrapalhou ao tentar driblar Castillo. A partir do tento perdido, o embate ficou devendo em qualidade técnica. O Cruzeiro apostava em contra-ataques, enquanto o Fogão tinha esperanças com as “bolas paradas” de Lúcio Flávio. No entanto, as duas equipes foram infelizes nestas apostas.

O próximo compromisso da Raposa no Brasileirão será no próximo domingo, novamente no Mineirão, contra o Santos. Já o Botafogo disputará o clássico carioca contra o Vasco, também no domingo. Antes, o alvinegro receberá o Corinthians pela primeira partida da semifinal da Copa do Brasil, na terça-feira.

Reinaldo Alagoano é a nova esperança de gols

Antes da partida contra o Botafogo, a cúpula cruzeirense apresentou o atacante Reinaldo, de 22 anos, que estava no Corinthians Alagoano. De acordo com a assessoria de imprensa do Cruzeiro, o time alagoano recebeu R$ 1,2 milhão por 50% dos direitos econômicos do jogador. Este ano, Reinaldo marcou 15 gols, sendo 10 pelo Estadual e cinco pela Copa do Brasil.


Imagens: Marcelo Sant`Anna/EM


Luciano Dias

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Cabañas marca dois e faz nova vítima brasileira na Libertadores

Parece que as brincadeiras feitas pela imprensa brasileira em relação ao peso do atacante Cabañas irritaram o jogador. E sobrou para os times do Brasil, mais precisamente Flamengo e Santos. Após liderar a classificação histórica contra o Flamengo, o 'gordinho' (a versão oficial é que o atacante tem 1,73 m e 78 kg) marcou os gols da vitória do América-MEX por 2 a 0 sobre o Santos nessa quinta-feira.

Os gols tomados no estádio Azteca, somado ao fato de não ter marcado nenhum gol, obriga o Santos a realizar uma difícil missão para se classificar às semifinais da Libertadores. O alvinegro praiano precisa vencer a partida de volta por três gols de diferença ou devolver a derrota de 2 a 0 para levar a decisão para os pênaltis. O jogo será realizado dia 22 na Vila Belmiro.

Leão escalou uma formação ofensiva, com quatro jogadores que se lançam bastante ao ataque (Wesley, Kléber Pereira, Lima e Molina). Nos minutos iniciais, parecia que a escalaçao daria resultado. Logo no segundo minuto de jogo, Kléber Pereira forçou o goleiro Ochoa a realizar grande defesa com um chute forte de fora da área.

Porém, aos poucos, os mexicanos tomaram o controle do jogo e gol parecia questão de tempo. Eis que, aos 23min, o América cobrou escanteio da esquerda, a zaga santista sofreu um apagão e Cabañas, com um domínio de peito primoroso, fuzilou o gol de Fábio Costa. Vinte minutos depois, o mesmo Fábio Costa salvou o time brasileiro de levar o segundo em chutes de Rojas e, novamente, Cabañas.

No segundo tempo, Leão tentou corrigir a vulnerabilidade defensiva colocando Rodrigo Tabata no lugar de Molina. Entretanto, a substituição não surtiu efeito. Aos 16min, o nome da partida - Cabañas - se livrou da frágil defesa santista e tirou de Fábio Costa sem dificuldades. No último minuto de jogo regulamentar, um erro da arbitragem que pode definir o confronto. Após receber preciso passe, Kléber Pereira driblou Ochoa e empurrou para o fundo das redes. O juiz argentino Hectro Baldasi anulou assinalou impedimento inexistente.

San Lorenzo cede empate para LDU e se complica

Jogando em casa, com o estádio Nuevo Gasómetro lotado, o San Lorenzo não conseguiu repetir a boa atuação que teve contra o River na rodada anterior, e ficou no empate por 1 a 1 com a LDU. No jogo de volta, dia 22, no estádio Casa Blanca, em Quito, o time argentino precisa vencer para se classificar. Um empate sem gols basta aos equatorianos.

O gol da LDU saiu em um lance bizarro do goleiro Orión. Após brincar com a bola, aos 33min, o arqueiro perdeu o controle e Bieler, aproveitando o vacilo, finalizou com precisão para abrir o placar. Três minutos depois, Gonzalez bateu falta de longe e acertou o canto esquerdo de Cevallos.

Imagem: AFP


Thiago Ricci

Federação Internacional acaba com sonho olímpico de Rebeca Gusmão

O sonho da nadadora Rebeca Gusmão de conquistar medalha olímpica terá que ser adiado, no mínimo, até 2012, data das Olimpíadas de Londres. O Painel de Doping da Fina (Federação Internacional de Natação) suspendeu a brasileira até o final de 2009, punição que a impede de disputar as Olimpíadas de Pequim. A CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) divulgou nesta quinta-feira a decisão da Fina.

A entidade brasileira informou que a Fina determinou que a decisão deve ser efetivada imediatamente e passa a valer oficialmente desde o dia em que a atleta foi afastada das competições preventivamente - 2 de novembro de 2007. O exame que condenou a nadadora foi realizado no dia 13 de julho, nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro.

Segundo a Folha, o advogado da nadadora, Breno Tannuri, afirmou que irá recorrer no CAS (Corte Arbitral do Esporte) com um pedido para que o processo seja analisado com urgência. A CAS já livrou Rebeca do primeiro processo, de exame feito em 2006. A Corte se considerou sem jurisdição suficiente para julgar o caso, e reencaminhou o processo à Fina.

Resultados

Rebeca Gusmão sagrou-se a primeira campeã pan-americana brasileira. Faturou o ouro nos 50 m livre (com recordes sul-americano e pan-americano e índice para Olimpíadas), 100 m livre (recorde pan-americano e índice olímpico).

Após a suspeita do caso de doping, a Odepa (Organização Desportiva Pan-Americana) cassou as medalhas e os tempos obtidos na competição continental, o que a impossibilitavam de usá-los como classificatórios para os Jogos Olímpicos.

Foto: Folha Imagem


Thiago Ricci

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Como no ano passado, Botafogo elimina Galo nas quartas

É o velho ditado do futebol: quem não faz, leva! Foi o que aconteceu na noite desta quarta-feira no Engenhão, onde o Botafogo venceu o Atlético Mineiro por 2 a 0. Os gols do fogão saíram nos 45min finais como Zé Carlos e Alessandro.

Apesar de atuar fora de casa, o Galo neutralizou as principais jogadas do Fogão e teve o domínio do primeiro tempo. Petkovic atuou como um legitimo camisa dez e criou boas situações.

Aos quatro minutos, Marques antecipou a zaga e mandou na rede do lado de fora após cruzamento de Thiago Feltri. Seis minutos depois, foi a vez de Marcio Araújo chutar por cima após boa triangulação do time atleticano.

O Botafogo não assustava a meta de Juninho enquanto o galo desperdiçava boas chances. Em uma delas – a melhor – o camisa dez atleticano lançou Danilinho aos 24min, que saiu livre, em posição legal, mas o atacante perdeu um gol incrível ao chutar fraco nas mãos do goleiro Renan.

A primeira chance do Fogão veio aos 27min. Lúcio Flávio bateu falta na área, Vinícius mandou de cabeça e Juninho evitou o gol contra. No rebote a zaga atleticana isolou. Em jogada semelhante, Alessandro, sozinho na área, cabeceou para fora aos 37min.

Na etapa final, as equipes voltaram completamente diferentes: o galo se perdeu em campo e em conseqüência passou a errar muitos passes. O Botafogo por sua vez, tomou o domínio da partida e neutralizou o ataque atleticano.

A mudança de postura teve resultado aos nove minutos. Lúcio Flávio cobrou escanteio, Zé Carlos subiu mais alto que a defesa atleticana e antes que a bola entrasse, Wellington Paulista, com um toque sutil abriu o placar. (Zé Carlos foi o verdadeiro autor do gol segundo o árbitro Evandro Roman)

Com o gol, o Fogão passou a ter mais tranqüilidade e passou a valorizar a posse de bola. Já o galo se desorganizou. Poucas vezes ultrapassou do meio de campo e Petkovic praticamente não recebeu a bola.

Aos 32min, o Botafogo quase ampliou. Túlio arriscou de fora da área e o goleiro Juninho só acompanhou a bola. Quando tudo indicava o fim, Alessandro ampliou. O lateral direito recebeu passe da esquerda e da marca do pênalti não desperdiçou.

O triunfo colocou o Botafogo nas semifinais da Copa do Brasil – seu adversário será o Corinthians. Já o Galo, eliminado mais uma vez pela equipe carioca e na mesma fase da competição, ainda perdeu o treinador que não suportou a pressão da torcida.

Imagem: globo

Christiano Soares

Sport desbanca Inter e já está nas semifinais da Copa do Brasil

Na base do “coração”. Assim, o técnico Nelsinho Batista definiu a classificação do Sport às semifinais da Copa do Brasil. Nesta quarta-feira, o Leão venceu o então favorito Internacional por 3 a 1, no fervor da Ilha do Retiro. O gol da classificação pernambucana saiu aos 33min, num forte chute de Durval em cobrança de falta.

O Sport apresenta uma equipe modesta, mas ao mesmo tempo muito unida. Além disso, conta com o 12º jogador: sua fanática torcida. Em 2008, o time não perdeu na Ilha do Retiro, conquistando 13 vitórias e dois empates. Precisando de um resultado positivo, Nelsinho Batista escalou o Leão com três atacantes: Enilton, Carlinhos Bala e Leandro Machado. O Inter, por sua vez, entrou o campo com três zagueiros: Sidnei, Orozco e Titi. Sem contar com a dupla de ataque colorada (Fernandão e Nilmar), que impõe respeito nos adversários, mas neste embate não foi feliz.

Partindo para o “abafa”, o Sport abriu o placar logo aos 3min, com o veterano Leandro Machado, que aproveitou cobrança de escanteio de Luisinho Netto. O Inter não se abateu com o gol e trabalhava a bola com tranqüilidade. Em uma bela combinação, aos 29min, Sidnei, que marcou na estréia do Brasileirão contra o Vasco, decretou o empate no placar.

A igualdade forçava o Sport partir para o ataque, já que agora havia a necessidade de vencer por dois tentos de diferença. Com uma forte marcação na saída de bola, a equipe de Nelsinho Batista praticamente encurralou o Colorado na etapa complementar. O segundo gol pernambucano saiu aos 16min, após um erro de Jonas na frente da área. Na seqüência da jogada Roger, que entrara no lugar de Enílton, escorou cruzamento rasteiro de Carlinhos Bala e mandou para as redes.

O tento transformou a Ilha do Retiro em um verdadeiro caldeirão. E para a alegria dos mais de 30 mil pagantes, Durval em uma bela cobrança de falta, acertou o ângulo de Clemer e fez o terceiro gol do Sport – o tento da classificação. Dificilmente o zagueiro do Leão acertará cobrança de falta semelhante.

Imagem: Agência/Lancepress

Sem muito esforço, Vasco se classifica para as semifinais

O Vasco tinha uma tranqüila missão no estádio Nelsón Feijó, em Maceió: defender um placar de 5 a 1. Mesmo assim, o time cruzmaltino logrou outro triunfo em Alagoas, ao vencer o azarão Corinthians-AL novamente, desta vez por 3 a 1.

Os gols vascaínos foram marcados por Leandro Amaral, Alex Teixeira e Rodrigo Antônio. Nil, cobrando falta e contando com falha do arqueiro Thiago , descontou para os alagoanos.
Agora, Vasco e Sport medem forças nas semifinais.


Luciano Dias

Com 1º tempo fulminante, São Paulo sai na frente no duelo brasileiro da Libertadores

Após sete meses e meio de sagrar-se pentacampeão brasileiro, o São Paulo voltou a atuar como tal. Com um 1º tempo que nada lembrou as atuações pífias de 2008 e muito lembrou o time aguerrido que foi campeão do torneio intercontinental em 2005, o tricolor paulista venceu o Fluminense por 1 a 0 na noite dessa quarta-feira.

Parece que finalmente os jogadores e torcedores assimilaram que o São Paulo está próximo de chegar à nona semifinal - em 13 participações - de Copa Libertadores. Com 61.593 pagantes, os são-paulinos estabeleceram a maior marca de público em estádios paulistas neste ano. Dentro das quatro linhas, Muricy realizou mudanças na forma em que vinha escalando o time na Libertadores. Jancarlos, que jogou contra o Grêmio no sábado, foi mantido na lateral-direita (Éder atuou na posição nos jogos anteriores), Éder Luís foi sacado e o meio-campo foi formado por Fábio Santos, Hugo e Hernanes.

Do lado carioca, Renato Gaúcho não foi tão defensivo a ponto de escalar o time só com Washington no ataque (Dodô fez companhia ao centroavante), mas também não chegou à ousadia de colocar os meias Thiago Neves e Conga juntos - o argentino foi barrado. Arouca completou o meio-campo.

No primeiro tempo, o que se viu foi o São Paulo brigador anulando completamente o Fluminense técnico - como definiram os técnicos das equipes. Em noite inspirada, Adriano conseguia se desvincilhar facilmente da zaga adversária e fazia as vezes de um clássico camisa 10, armando jogadas.

Mas engana-se quem pensa que o faro de artilheiro foi esquecido. Visivelmente inseguro, Fernando Henrique não teve a terceira 'falha' - em menos de 15 minutos - perdoada pelo atacante. Aos 20min, o 'Adriano armador' lançou Dagoberto, que chutou cruzado bola rápida mas aparentemente tranquila. O goleiro das Laranjeiras espalmou para o centro da área e o 'Adriano centroavante' só rolou para abrir o marcador.

Depois do tento, o tricolor paulista diminuiu um pouco o ritmo avassalador, mas ainda teve uma grande chance de ampliar o marcador em outra jogada de Adriano. Após receber lançamento, o Imperador deixou Dagoberto na cara do gol, mas o atacante finalizou em cima de Roger. Na segunda etapa, Dagoberto ainda perderia outra oportunidade ainda mais clara após passe de Fábio Santos.

O Fluminense, beneficiado pelo recuo são-paulino, conseguia equilibrar as ações aos poucos. A movimentação ofensiva do time carioca melhorou bastante após Conca substituir Thiago Neves, que saiu bastante irritado e abandonou o estádio separado do elenco. Ambos os tricolores tiveram uma chance cada para mudar o placar, mas nenhum gol foi marcado.

O confronto, completamente aberto, será decidio na próxima quarta-feira, no Maracanã. Qualquer empate e uma derrota por um gol de diferença, desde que marque gol, carimba o passaporte são-paulino às semifinais. O Flu precisa ganhar por dois gols de vantagens para chegar à inédita semifinal. Placar de 1 a 0 para o time carioca leva a decisão aos pênaltis.

Notas dos jogadores

São Paulo

Rogério Ceni 5,5 - Tranquilo, apareceu bem quando exigido. Entretanto, continuar a dar mostras de insegurança que podem prejudicar o time.
Miranda 6,5 - É até cansativo comentar as atuações deste zagueiro. Frio, técnico e preciso, foi mais uma vez absoluto na marcação.
Alex Silva 6,0 - Reforço fundamental para a segunda fase. Aos poucos adquire a melhor forma física e técnica e, 100%, é um baita zagueiro.
Zé Luís 6,5 - Impressionante a fase que atravessa. Joga bem na lateral, no meio, na zaga... Não perdeu uma dividida neste jogo.
Jancarlos 6,5 - Estréia na Libertadores pelo São Paulo muito boa. Firme na marcação, não se intimidou e subiu bem ao ataque.
Fábio Santos 7,0 - Melhor partida feita no São Paulo. Um leão na marcação e, surpreendentemente, com lealdade.
Hernanes 4,5 - Jogador mais regular do time, foi o pior da noite. Não conseguiu assimiliar a nova função, foi regular na marcação e muito mal na armação.
Hugo 6,5 - Um outro Hugo entrou em campo. Com raça e disposição, o meia foi importantíssimo taticamente, marcou e subiu bem ao ataque. Lembrou os bons jogos de Danilo.
Richarlyson 7,0 - Muita raça, vontade e força física. Parece que reencontrou o melhor futebol que faz jus às convocações recebidas.
Dagoberto 6,0 - Fez uma baita partida, com muita disposição e habilidade. Mas perdeu dois gols com o gol aberto que podem fazer falta na classificação. Após levar amarelo, foi substituído por Aloísio (sem nota), que foi mal no pouco tempo que jogou.
Adriano 8,5 - Parece que o Imperador voltou. Se continuar com essa força (arremessou o zagueiro Roger longe em disputa de bola), inteligência (passes precisos como dois lançamentos para Dagoberto), oportunismo e vontade, recupera a camisa 9 do Brasil rapidamente.


Fluminense

Fernando Henrique
4,5 - Se o Rogério Ceni passa alguma insegurança, FH é a falta de segurança em pessoa. Quase leva um frango no começo do jogo.
Gabriel 5,5 - Evoluiu na marcação, mas o gol foi fruto de jogada realizada em suas costas. Não foi muito bem na ataque, seu ponto forte.
Luiz Alberto 7,0 - Se não foi muito seguro no primeiro tempo, fez uma segunda etapa impecável. Ganhou a maioria das disputas com um Adriano inspirado.
Roger 6,5 - Muito tranquilo, tem posicionamento preciso. Salvou gol certo de Dagoberto.
Júnior César 6,5 - Um dos melhores laterais-esquerdo do Brasil. Consegue ser eficiente na defesa e envolvente no ataque.
Ygor 5,5 - Começou muito nervoso e assustado. Com o andamento da partida, conseguiu se recuperar e cresceu no jogo.
Arouca 6,0 - Conseguiu fazer a marcação com precisão e foi um dos únicos que realizaram a saída de bola do lado carioca.
Cícero 5,5 - Não chegou a jogar mal, mas era esperada uma atuação mais primorosa. Praticamente não apareceu no ataque.
Thiago Neves 4,0 - Lamentável. Tem atitudes vergonhosas - desde o episódio com o Palmeiras. Foi completamente anulado e ainda protagonizou 'showzinho' que pode prejudicar o ambiente do time. Substituído corretamente por Darío Conca (7,5), que fez uma partida excepcional. Envolveu todo o sistema defensivo do São Paulo e não marcou o seu por pouco.
Washington 5,0 - Difícil lembrar algum lance em que participou. Dá muitas declarações desagradáveis culpando o time pela atuação apagada. Devia procurar mais o jogo.
Dodô 4,5 - Fora de ritmo, conseguiu ser pior que o companheiro de ataque. Em 90 minutos, única coisa que conseguiu foi uma falta na intermediária.

Imagem: Eduardo Knapp (Folha Imagem)



Thiago Ricci

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Papagaios recebe as feras do motocross

A cidade de Papagaios, a 136km de Belo Horizonte, será palco da 2ª Etapa do Campeonato Mineiro e da 1ª Etapa da Copa Minas de Motocross.

O evento, que acontecerá nos dias 17 e 18 de maio, promete muita emoção e reunirá os melhores pilotos de minas e também de outros estados.

A pista foi remodelada e contará com uma excelente estrutura. A cidade já se prepara para receber as feras do esporte e a expectativa é de que tenhamos recorde de pilotos inscritos. A disputa pelo título mineiro já está quente e dá mostras de que a corrida será acirrada.

Imagem: tvbrasil


Christian Mascary

terça-feira, 13 de maio de 2008

Raio X do Brasileirão - Parte II

Sport Club Internacional

O Colorado possui um dos elencos mais respeitados do futebol brasileiro. Com Nilmar e Fernandão no ataque, o Inter é um dos candidatos ao título deste Brasileirão. O time de Abel Braga quer conquistar o campeonato pela quarta vez, saindo assim da fila que perdura deste 1979. A equipe conta ainda com jogadores como Alex, em excelente fase, Magrão e Guiñazu.
Estréia: Internacional 1 x 0 Vasco - Beira Rio

Ipatinga Futebol Clube

Fundado há 10 anos, o Ipatinga é a única equipe que disputa pela primeira vez a Série A. O clube quer apagar a péssima campanha do Estadual, quando foi rebaixado ao Módulo II. Para uma recuperação a diretoria do Tigre dispensou vários jogadores e apostou no técnico Giba. Com atletas desconhecidos, o time deve brigar para não cair para a segunda divisão.
Estréia: Ipatinga 0 x 1 Atlético-PR - Ipatingão

Clube Náutico Capibaribe

O Timbu parece ter aprendido com os erros cometidos no passado. Depois de escapar do rebaixamento em 2007, apostou na manutenção da base que disputou o Campeonato Pernambucano e do técnico Roberto Fernandes. Assim como em 2007, quando apostou no uruguaio Acosta (hoje no Corinthians), este ano a novidade é o armador colombiano Laborde, de 20 anos. O meia Geraldo, assim como os experientes Ruy e Eduardo também são destaques da equipe.
Estréia: Náutico 2 x 1 Goiás - Aflitos

Sociedade Esportiva Palmeiras

O grande trunfo do Palmeiras está no banco de reservas. O técnico Vanderlei Luxemburgo chegou no clube no início deste ano e tem como objetivo recolocar o Verdão nas trilhas das conquistas. Para muitos, a simples presença do treinador, maior vencedor do Brasileiro (cinco títulos), já é o suficiente para apontar o Palmeiras como favorito ao título. Entre os jogadores, o destaque é o chileno Valdívia.
Estréia: Coritiba 2 x 0 Palmeiras - Couto Pereira

Associação Portuguesa de Desportos

Depois de cinco anos, a Lusa está de volta à elite do futebol brasileiro. Para reviver os tempos áureos de 1996 (vice-campeão) e 1998 (quarto colocado), o técnico Vágner Benazzi consegue mesclar a juventude de jogadores como o atacante Diogo com a experiência de atletas como Claudecir, Patrício e o centroavante Christian.
Estréia: Portuguesa 5 x 5 Figueirense - Canindé

Santos Futebol Clube

Sem uma geração talentosa de garotos como a que garantiu o título brasileiro de 2002, o Santos buscou na experiência a fórmula para o sucesso na competição deste ano. O irregular começo de ano colocou em xeque o trabalho do técnico Emerson Leão. As apostas da equipe são os xarás Kléber e Kléber Pereira e os gringos Quiñones, do Equador, Molina, da Colômbia, e Trípodi, da Argentina.
Estréia: Flamengo 3 x 1 Santos - Maracanã

São Paulo Futebol Clube

O Tricolor entra no torneio com o objetivo de conquistar o tricampeonato (três títulos seguidos). Além disso, o São Paulo pode acabar com um dilema criado ano passado, quando conquistou o seu quinto campeonato nacional. Com seis canecos, o Tricolor se tornaria maior campeão, independente da discussão sobre o título do Flamengo em 1987 (A CBF reconhece o Sport como campeão). A equipe, que já perdeu alguns jogadores este ano, pode sentir a provável saída de Adriano, cujo empréstimo com a Inter de Milão termina no dia 10 de julho. Mas, mesmo com a saída de atletas, o São Paulo é apontado mais uma vez como um dos favoritos do torneio.
Estréia: São Paulo 0 x 1 Grêmio - Morumbi

Sport Clube do Recife

Bicampeão de Pernambuco, o Sport almeja uma vaga em competições continentais. Para isso, a diretoria manteve a principal figura da equipe: o atacante Carlinhos Bala. Houve investimentos também em reforços como Sandro Goiano. Ano passado, quando depois de cinco anos retornou à elite do futebol nacional, o Leão da Ilha terminou o Brasileiro em um modesto 14º lugar.
Estréia: Botafogo 2 x 0 Sport

Clube de Regatas Vasco da Gama

O time da Colina é apontado como o pior time caricoa que disputa esta edição do Brasileirão. A confiança do torcedor está depositada no habilidoso Morais e no experiente Edmundo, além do retorno de Leandro Amaral, após longo imbróglio judicial. É válido ressaltar também a presença de Antonio Lopes, "eterno" treinador da equipe.
Estréia: Internacional 1 x 0 Vasco - Beira Rio

Esporte Clube Vitória

De volta à Série A, depois de três anos, num dos quais esteve até na terceira divisão, o rubro-negro baiano espera se firmar na elite do futebol nacional e reviver a boa campanha de 1993, quando foi vice-campeão com Dida, Alex Alves, entre outras revelações. A equipe aposta na experiência de atletas como Ramon Meneses, Rodrigão e Marcelo Batatais. As contratações feitas pela cúpula baiana foram modestas, o que deve decretar uma campanha apenas para fugir do rebaixamento.
Estréia: Vitória 0 x 2 Cruzeiro - Barradão


Luciano Dias