segunda-feira, 30 de junho de 2008

Clássicos estaduais terminam empatados

A oitava rodada do Brasileirão apresentou três clássicos estaduais. Todos terminaram empatados – assim como a maioria dos jogos desta rodada - mostrando o equilíbrio deste Campeonato Brasileiro.

Grêmio x Internacional

No estádio Olímpico, em Porto Alegre, o Gre-Nal terminou em 1 a 1, graças a um lance polêmico. O goleiro do Inter, Renan, depois de defender bola cruzada na área, esticou demais a perna e agrediu Rodrigo Mendes. O assistente baiano Alessandro Matos acionou o árbitro mineiro Alício Pena Júnior, que, além de marcar corretamente o pênalti, expulsou o atleta do colorado. Depois de muita reclamação, aos 37min, Roger, com “paradinha”, bateu e igualou o placar. O Inter havia marcado primeiro, com Índio, aos 13min da etapa inicial.

Atlético Paranaense x Coritiba

O Atletiba, disputado na Arena da Baixada, também terminou no 1 a 1. Foi um embate bastante movimentado, com direito a uma expulsão para cada lado, gols anulados e dois tentos no final. Aos 37min da etapa complementar, Alan Bahia, de pênalti, fez o gol do Furacão. Mas, aos 41, Tamandaré apareceu na segunda trave, após cobrança de escanteio, para desviar a bola para as redes de Galatto.

Fluminense x Botafogo

No Rio, um clássico de baixo nível técnico. Fluminense e Botafogo empataram sem gols , no Maracanã quase vazio. O confronto foi marcado pelos erros de passe de ambas as equipes, muito vaiadas pelos torcedores. O Tricolor ainda tem a desculpa de só ter escalado reservas (exceto, o goleiro Fernando Henrique), por causa da final da Copa Libertadores contra a LDU, quarta-feira. Já o alvinegro de Geninho não se acerta e foi, mais uma vez, uma grande decepção.


Luciano Dias

Questionado, Edson evita revés atleticano em Santa Catarina

O Atlético-MG segue sem vencer fora de casa. Neste domingo, o Galo empatou em 1 a 1 contra o Figueirense, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis. O resultado mantém os dois times em posições intermediárias na tabela: o Figueira é o 14º colocado com 9 pontos, enquanto os mineiros estão em 11º com 10.

A partida marcou a estréia de Paulo César Gusmão no comando do Figueirense. O treinador manteve a equipe no mesmo esquema dos tempos de Guilherme Macúglia. O Atlético também teve novidades: Alexandre Gallo alterou o esquema, colocando em campo o tradicional 4-4-2; no gol, Edson ganhou a posição de Juninho; na lateral-direita, Coelho foi vetado, entrando em seu lugar Amaral; e no flanco esquerdo, César Prates, ex-Figueirense, estreiou no setor.

Mesmo com as novidades, ficaram visíveis no começo do embate as limitações técnicas das duas equipes. Diante da pior defesa do campeonato, o Atlético pouco incomodou. De quebra, o time mineiro sofreu um gol aos 39min da etapa inicial, com Marquinhos, de cabeça, que aproveitou cruzamento da direita. Minutos antes, o vaiado César Prates (ele trocou o Figueirense pelo Galo) acertou o travessão de Wilson.

Sem jogadas trabalhadas, a bola parada continua sendo a melhor estratégia atleticana. Aos 10min do segundo tempo, Petkovic cobrou falta com perfeição, no ângulo direito de Wílson, e igualou o marcador. Entretanto, após o gol do Galo, o Figueira exerceu grande pressão, mas o questionado Edson fez várias defesas, se transformando na melhor figura em campo.

Na próxima rodada, o Figueirense joga novamente em casa, desta vez, contra o Vasco. Já o Galo tenta recuperar o caminho das vitórias diante do Palmeiras, no Mineirão.

Imagem: Felipe Christ/Agência Estado

Palmeiras em ascensão

Um gol de pênalti de Alex Mineiro, com direito a "paradinha", e outro de Denílson, que substituiu o artilheiro no segundo tempo, fizeram o Palmeiras bater o Náutico por 2 a 0 neste domingo, no Palestra Itália. O Verdão chegou aos 16 pontos e entrou no desejado G-4 - um ponto atrás de Grêmio e Cruzeiro e três distante do líder Flamengo - do Campeonato Brasileiro.


Luciano Dias

Cruzeiro e São Paulo ficam no empate

Em um jogo de dois tempos distintos, Cruzeiro e São Paulo empataram por 1 a 1, neste domingo, no Mineirão. O resultado mantém o time celeste na terceira colocação com 17 pontos, enquanto o Tricolor caiu para o sétimo lugar com 13.

O Cruzeiro entrou em campo com dois desfalques: Thiago Heleno, suspenso, e Jadílson, por questões contratuais. Em seus lugares, Adilson Batista escalou Léo Fortunato, por ter uma boa estatura, e Marquinhos Paraná, por ter boas características de marcação. A equipe estrelada contou também com os retornos de Ramires e Charles, que serviram a seleção olímpica. Já o São Paulo, que manteve o esquema 3-5-2, teve a volta de Hernanes, que também estava na seleção sub-23.

O Cruzeiro dominou boa parte do primeiro tempo. Não à toa, o time celeste chegou ao seu gol aos 32min, com Guilherme. O atacante recebeu cruzamento de Jonathan, e com oportunismo, mandou para as redes de Rogério Ceni, fazendo o seu sexto tento na competição. Bem postado em campo, a equipe estrelada praticamente não deixou o time paulista jogar.

Entretanto, o São Paulo voltou com outra postura para a etapa complementar. Muricy Ramalho sacou os amarelados Zé Luis e Aloísio, e promoveu as entradas de Richarlyson e Éder Luis, deixando a equipe mais ofensiva. As alterações surtiram efeito rapidamente, já que aos 38seg, o Tricolor logrou o empate. Borges recebeu bom passe de Richarlyson dentro da área, e depois de driblar o marcador tocou de bico para as redes de Fábio.

O time mineiro teve muitas dificuldades no segundo tempo, principalmente depois da equívocada substituição de Adilson Batista, aos 16min, quando tirou Weldon e promoveu a entrada do armador Bruno, deslocando Wagner para o ataque. O Cruzeiro não se achou em campo e as principais oportunidades foram em cobranças de faltas. Já o São Paulo apostava nos contragolpes, principalmente com Éder Luis. O Tricolor teve uma grande chance de virar o placar aos 25min, quando Borges arrematou dentro da área, mas Fábio fez grande defesa a queima-roupa.

Com a igualdade, o Tricolor mantém a invencibilidade de quatro anos sem perder para o Cruzeiro. O próximo adversário do time celeste é o Sport, sábado, na Ilha do Retiro. Já o São Paulo receberá o Ipatinga, no Morumbi.

Imagem: Jorge Gontijo/EM


Luciano Dias

No ritmo do Xodó, Fla vence e se isola na liderança

Obina, o predestinado. Xodó da torcida, como titular, pela primeira vez no comando de Caio Juinor, fez dois gols e deu a vitória do Flamengo sobre o Sport por 2 a 1. o que marcou a partida foi a péssima condição do gramado da Ilha do Retiro.

Embalado pela torcida, o Sport começou melhor e aos três minutos quase abriu o placar com Luisinho Netto. O lateral direito bateu errado na bola e por pouco não surpreendeu o goleiro Bruno.

Cinco minutos mais tarde, novamente um susto para a torcida do Flamengo. Desta vez, Carlinhos Bala arriscou e a bola passou rente ao travessão. A melhor chance dos cariocas surgiu aos 17min. Marcinho tocou na área, a bola sobrou para Ronaldo Angelim que chutou no canto para a boa defesa do goleiro Magrão.

O ritmo caiu e os minutos foram passando. Aos 31, Obina fez boa jogada individual e cruzou para Juan. O lateral tocou de cabeça por cima.

O segundo tempo não foi diferente e o jogo continuou bom. O Sport não conseguia furar o bloqueio carioca. Já o Fla seguia tocando bem a bola e explorando os contra ataques. Aos nove minutos os visitantes abriram o placar. Renato Augusto bateu falta na área e Obina subiu e marcou. A primeira chance do leão veio aos 19min em uma cobrança de falta de Luisinho Netto. O chute saiu forma, mas no meio do gol.

Apesar da pressão, somente aos 29 min o Sport conseguiu o empate. Fernando Alex arrancou do meio e arriscou da entrada da área, a bola ainda desviou no “montinho artilheiro” e enganou o goleiro Bruno.Com o gol, o Sport ditou outro ritmo e o jogo ficou ruim. Pareciam satisfeitos com o empate. Mas nos acréscimos, Obina recebeu na pequena área e tocou para as redes – 2 a 1.

Agora o Flamengo tornou-se líder isolado com dezenove pontos, dois a mais que o vice-líder Grêmio. Na próxima rodada, o líder encara o Náutico, sábado as 18h20min, no Maracanã. No mesmo dia e horário o Sport recebe o Cruzeiro.

Imagem: lancepress


Christiano Soares

Vasco cumpre obrigação e vence novato

Em São Januário, Vasco não fez mais que obrigação ao vencer o Ipatinga por 4 a 2. Mas a vitória não foi tão fácil. A equipe cruzmaltina, teve que suar a camisa para sair da pressão do adversário e conseguir a vitória.

Com uma campanha muito ruim, o Ipatinga até que jogou bem, mas a equipe mineira pecou nas finalizações. O Vasco por sua vez, apostou em contra ataque e a formula deu certo.Logo aos três minutos, Wagner Diniz cruzou da direita, a bola passou por toda área e Alex Teixeira abriu o placar. Aos 11min, novamente pela direita, o Vasco fez mais um com Alex Teixeira. Desta vez ele dominou no peito e bateu com categoria.

O Ipatinga correu, pressionou, mas a falta de pontaria fez com que a equipe não marcasse. Somente aos 28min, que a equipe conseguiu balançar as redes com o zagueiro Gian. As expectativas dos mineiros eram empatar. Mas aos 41min, Leandro Amaral fez o terceiro de pênalti dando fim ao primeiro tempo.

Na etapa final, o tigre voltou pressionando e logo aos seis minutos diminuiu com Adeilson. Após o gol, o Vasco voltou a jogar bem e criou algumas chances. Aos 36, Jean acertou um belo chute de fora da área e encerrou o jogo. Com o triunfo o time cruzmaltino foi a onze pontos na nona posição. Já o Ipatinga continua com cinco pontos na décima nona posição.

Na próxima rodada, o tigre enfrenta o São Paulo no Morumbi, sábado as 18h10. Já o Vasco recebe o Figueirense fora de casa, domingo, as 16h.

Outros jogos de sábado:

O sábado de futebol teve mais duas partidas. No Canindé, Portuguesa e o desorganizado Santos empataram sem gols. Já no estádio Barradão, o Vitória, em ascensão no campeonato, goleou o Goiás por 3 a 0.

Imagem: Paulo Sérgio/ lancepress


Christiano Soares

domingo, 29 de junho de 2008

Espanha desbanca seleção alemã e conquista a Eurocopa pela segunda vez

Foram 44 anos de espera. Mas, neste domingo, a Espanha quebrou o jejum que perdurava desde 1964 e se sagrou bi-campeã da Eurocopa. Jogando em Viena, na Áustria, a Fúria derrotou a Alemanha por 1 a 0, com gol do atacante Fernando Torres (foto), aos 32min do primeiro tempo.

Mesmo com o desfalque do artilheiro David Villa, que havia se contundido na vitória sobre a Rússia pela semifinal, a Espanha manteve o mesmo futebol de toda a competição. De fato, o time ibérico quebrou o prognóstico de montar boas seleções, mas não conseguir títulos importantes. Já a Alemanha tinha a tradição ao seu lado, já que esta era a sexta final da Eurocopa que disputava, tendo levantado o caneco em três oportunidades.

O título apenas realçou a equipe que mostrou o melhor futebol desde o inicio da competição. Com um futebol vistoso e dinâmico, os comandados de Luis Aragonés mostraram grande entrosamento durante esta Euro. Um brasileiro também pôde comemorar o título. O volante Marcos Senna, naturalizado espanhol, foi titular durante a campanha espanhola e vai concorrer, nesta segunda-feira, ao prêmio de melhor atleta da competição, ao lado de outros nove atletas.

Imagem: Kai Pfaffenbach/Reuters


Luciano Dias

Brasil comemora 50 anos da conquista da primeira Copa do Mundo

O dia 29 de junho de 1958 é inesquecível para os brasileiros. Nesta data, o Brasil conquistara, no estádio Rasunda, em Estocolmo, na Suécia, a primeira Copa do Mundo de futebol. Nossa seleção venceu os anfitriões por 5 a 2 e o capitão Bellini (foto), enfim, levantara a taça Jules Rimet, engasgada desde 1950, quando o Brasil fora derrotado para o Uruguai no fatídico Maracanazo.

Durante a semana que passou, diversas homenagens foram feitas para os nossos primeiros campeões. Na quarta-feira, por exemplo, o Senado homenageou alguns integrantes daquela inesquecível seleção. No cinema, o jornalista José Carlos Asbeg produziu o documentário "1958 - O ano em que o mundo descobriu o Brasil", que conta os detalhes da Copa, com depoimentos de quem a viveu, dentro e fora de campo.

Nesta Copa da Suécia, o planeta conheceu Pelé, então com 17 anos, que se tornaria o melhor jogador de todos os tempos. O que dizer dos dribles desconcertantes de Mané Garrincha e da tranqüilidade e do chute “folha seca” de Didi. Temos que enaltecer também a figura de Zagallo, que participou de quatro títulos mundiais de nossa seleção.

Curiosidades desta Copa são diversas. Uma das mais comentadas se refere ao nervosismo que tomou conta do comando da Seleção Brasileira na véspera do jogo final. Os suecos venceram no sorteio e não abriram mão de jogar com camisas amarelas. O Brasil teria que jogar com camisas de outra cor. O doutor Paulo Machado de Carvalho, chefe da delegação, ordenou que comprasse as melhores camisas azuis que e os componentes da delegação encontrassem. O motivo desta cor foi o manto de Nossa Senhora da Aparecida, a padroeira do Brasil. Um jogo de uniformes completo foi comprado, mas sem numeração. O massagista Mário Américo e o roupeiro Francisco Assis Santos passariam a noite e a madrugada do domingo costurando números avulsos, camisa por camisa.

Confira a equipe brasileira para a decisão:


Gilmar; Djalma Santos, Bellini, Orlando, Nilton Santos; Zito, Didi; Garrincha, Vavá, Pelé, Zagallo.

Suplentes: De Sordi, Dida, Oreco, Castilho, Mauro, Zózimo, Dino Sani, Moacir, Pepe, Joel e Mazzola

É válido lembrar que era proíbida substituições durante a partida, mesmo por contusões.

Veja a campanha de nossa seleção:

1ª fase:
Brasil 3 X 0 Áustria
Brasil 0 X 0 Inglaterra
Brasil 2 X 0 União Soviética

Quartas de final: Brasil 1 X 0 País de Gales

Semifinais: Brasil 5 X 2 França

Final: Brasil 5 X 2 Suécia

Em suma, o mundo conheceu a primeira seleção a jogar o "futebol arte".

Imagens: cbf

Luciano Dias

sábado, 28 de junho de 2008

Enfim, Roberto Dinamite é o novo presidente do Vasco

Após 41 anos, chega ao fim a era Eurico Miranda no Vasco da Gama. Em uma eleição tensa e tumultuada, o maior ídolo da história do Vasco da Gama, Roberto Dinamite (foto), foi eleito novo presidente do clube. Ele obteve 140 votos contra 103 de Amadeu Pinto da Rocha, candidato da situação indicado por Eurico, na reunião do Conselho Deliberativo, realizada nesta sexta-feira, na sede náutica do Vasco.

Maior artilheiro da história da equipe cruzmaltina, com 708 gols, Dinamite vai comandar o clube por três anos a partir do dia 1º de julho. Aos 54 anos, Roberto Dinamite assume a presidência do Vasco com a missão de levar o time às conquistas, o que não acontece desde 2003. Além disso, o dirigente vai ter a missão de recuperar o prestígio e a simpatia do clube, que foram ficando pelo caminho durante a gestão de Eurico Miranda.

Imagem: Divulgação


Luciano Dias

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Alemanha e Espanha medem forças na final da Eurocopa


A 13ª edição da Eurocopa chega ao fim neste domingo. Este ano, a principal competição entre seleções do velho continente foi disputada pela primeira vez em duas sedes: Áustria e Suíça. A grande final será disputada entre a Alemanha, maior vencedora da competição com três conquistas, e Espanha, que venceu a Euro em uma ocasião. Confira algumas características das duas seleções finalistas:

Alemanha

Em toda competição que entra, a Alemanha é sempre considerada favorita, independente do momento que vive. A equipe comandada por Joachim Löw tem como destaques os meias Michael Ballack, Schweinsteiger e Podolski.

Com um futebol previsível, os alemães têm mais uma vez a campanha questionada. A primeira fase foi conturbada, principalmente por causa da derrota para a Croácia por 2 a 1. No entanto, há competições, como a Eurocopa, que a tradição faz a diferença. E com a força da camisa alemã, os tri-campeões do mundo eliminaram, nas quartas-de-final, a badalada seleção de Portugal, com uma difícil vitória por 3 a 2. Nas semifinais, a Alemanha enfrentou a Turquia, e com um gol do lateral Phillip Lahm aos 45 minutos do segundo tempo, os comandados de Joachim Löw conquistaram a vaga para a decisão.

Espanha

A seleção espanhola vem mostrando o futebol mais vistoso desta Euro. Historicamente, a Espanha tem a fama de formar grandes seleções, mas os problemas internos sempre atrapalharam a Fúria nos momentos decisivos. No entanto, a equipe comandada pelo veterano Luis Aragonés vem demonstrando grande união entre os jovens jogadores. E para formar este grupo unido, Aragonés afastou um dos ídolos da torcida espanhola: o craque Raul, do Real Madrid. De fato, apresentar um destaque desta seleção é uma tarefa árdua, mas é válido enaltecer a boa participação do volante brasileiro – naturalizado espanhol - Marcos Senna.

Com um belo futebol, a Fúria fez uma primeira fase tranqüila, com três convincentes vitórias sobre Rússia, Suécia e Grécia. Nas quartas, os comandados de Aragonés eliminaram a tradicional seleção italiana, nos pênaltis, depois de empatar em 0 a 0 no tempo normal. Nas semifinais, a Espanha goleou a Rússia por 3 a 0, não deixando contestações sobre sua bela campanha.



Luciano Dias

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Apático, Flu é goleado no primeiro duelo da final da Libertadores

Com um primeiro tempo desastroso, o Fluminense não começou bem a busca pelo título da Copa Libertadores. A LDU jogou melhor no estádio Casa Blanca, em Quito, no Equador, venceu a equipe brasileira por 4 a 2. Para conquistar o título inédito, o Flu precisa vencer o jogo de volta, no Maracanã, por pelo menos três gols de diferença. Se vencer por dois tentos, a partida irá para a prorrogação, e permanecendo o resultado, o campeão sul-americano vai sair na cobrança de pênaltis.

Os jogadores do Fluminense sabiam que o lado direito da LDU, com o ala Guerrón, era o ponto forte dos equatorianos. Entretanto, mesmo ciente da força do adversário, o Tricolor deixou o bom jogador, já vendido ao Getafe (ESP), fazer a festa pelo lado esquerdo do Flu. De quebra, Guerrón preocupava tanto os cariocas, que Júnior César, destaque do Fluminense nesta temporada, pouco chegou ao ataque.

As emoções do primeiro tempo foram intensas. Com apenas um minuto de jogo, o atacante Bieler abriu o placar, após cruzamento de Guerrón e falha da defesa carioca. Mesmo com o resultado adverso no placar, o time tricolor pareceu não sentir a pressão e equilibrou as ações do embate. O empate veio aos 11min, com o argentino Conca, após uma bela cobrança de falta, no ângulo direito do goleiro Cevallos.

A LDU passou a jogar melhor após o gol do Flu e chegava com perigo ao gol de Fernando Henrique, que fazia algumas defesas importantes. Mas nos momentos em que os equatorianos pressionavam, a defesa do time brasileiro mostrava que não estava em um bom dia. Ainda na primeira etapa, o time do Equador marcou mais três vezes e saiu para o intervalo com um resultado muito confortável.

Aos 28min, após rebote defensivo, Guerrón chutou cruzado, com muita força, e a bola morreu no canto direito do gol Tricolor. Em meio ao apoio da torcida e da falta de reação da defesa do Fluminense, Campos marcou de cabeça apenas quatro minutos depois, ao escorar cruzamento de Bolaños. No minuto final do primeiro tempo, a LDU ainda marcou quarto, com Urrutia de cabeça.

O Fluminense voltou para a etapa complementar com um pouco mais de atitude e diminuiu a diferença com apenas seis minutos. Gabriel fez o cruzamento e Thiago Neves marcou de cabeça. O time carioca retornou ao jogo e o confronto ficou aberto. O ímpeto da LDU passou a ser menor e as duas equipes chegavam principalmente em lances de bola parada. Com os sinais de cansaço demonstrados por ambas as partes, o resultado começou a ser encarado como positivo. O próprio técnico Renato Gaúcho incentivava a demora na reposição de bola por parte de seus comandados.

No fim do jogo, a LDU ainda teve uma chance para marcar o quinto, mas o goleiro Fernando Henrique fez bela defesa, e ainda viu a bola bater no travessão, antes voltar às suas mãos. Para Renato Gaúcho, esta intervenção de Fernando Henrique e o gol de Thiago Neves foram momentos essenciais para o Fluminense conquistar o inédito título. Veremos se a previsão de Renato está correta na próxima quarta, dia 2.

Imagem: Dolores Uchoa/AP


Luciano Dias

segunda-feira, 23 de junho de 2008

Massa vence na França e agora lidera o Mundial


Impossível de fazer qualquer prognóstico. Restando ainda dez etapas para o encerramento do Mundial de Fórmula1, o campeonato se destaca por um revezamento na liderança. Desta vez, os brasileiros podem comemorar, já que Felipe Massa pôs fim neste domingo ao jejum que já perdurava por 15 anos. O piloto da Ferrari assumiu a liderança do Mundial de Fórmula 1 depois de vencer o GP da França, em Magny-Cours e agora lidera o campeonato com 48 pontos. O último brasileiro a liderar um Mundial de Pilotos foi Ayrton Senna, depois de triunfar em Mônaco em maio de 1993.

De quebra, Massa também tornou-se o primeiro brasileiro a vencer em Magny-Cours (que faz parte do calendário da F-1 desde 1991) e o segundo a vencer o GP da França. O primeiro foi Nelson Piquet, em 1985.

A Ferrari ainda fez dobradinha, com Kimi Raikkonen terminando em segundo, apesar de problemas no carro. Jarno Trulli, da Toyota, fez uma grande corrida para terminar em terceiro e fazer o seu primeiro pódio no ano. Robert Kubica, da BMW-Sauber, terminou a corrida em quinto e caiu para a vice-liderança do campeonato, com 45 pontos.

Quem também deixou Magny-Cours tendo muito o que comemorar foi Nelsinho Piquet. O brasileiro da Renault saiu em nono, ganhou uma colocação na largada, brigou com as McLarens pela oitava posição boa parte da prova e marcou os seus primeiros pontos na F-1, ao terminar em sétimo, logo à frente do companheiro de equipe Fernando Alonso. Rubens Barrichello terminou a corrida em 14º.

Confira os oito primeiros colocados:

1 Felipe Massa - Ferrari

2 Kimi Raikkonen - Ferrari

3 Jarno Trulli -Toyota

4 Heikki Kovalainen - McLaren

5 Robert Kubica -BMW

6 Mark Webber - RBR

7 Nelsinho Piquet - Renault

8 Fernando Alonso - Renault

Imagem: Jeff Pachoud/ AFP


Luciano Dias

Roger faz três e deixa o Grêmio entre os líderes

O meia Roger (foto) comandou a goleada, por 3 a 0, do Grêmio sobre o Atlético-PR, neste domingo, no estádio Olímpico. Com três gols de pênalti, o armador deixou o Tricolor gaúcho na ponta da tabela, ao lado de Flamengo e Cruzeiro, com 16 pontos. Pelos critérios de desempate o Grêmio é o segundo colocado, atrás do Rubro-Negro, por causa do número de gols marcados. Já o Atlético-PR, segue distante da zona de classificação à Copa Libertadores, na 11ª colocação com 8 pontos.

O goleiro Gallato, agora no Atlético, foi bastante exigido em seu retorno ao estádio Olímpico. Entretanto, antes de sofrer o primeiro gol, a partida estava bastante equilibrada. O problema atleticano foi o volante Fahel, que aos 14min deu inicio a sua trágica atuação, e cometeu pênalti sobre Marcel. Roger cobrou com perfeição e inaugurou o marcador. Ainda no primeiro tempo, Fahel foi expulso depois de cometer uma falta infantil sobre Roger, no meio-campo, e complicou ainda mais a situação dos paranaenses. Mesmo com um jogador a mais, o Grêmio só ampliou no segundo tempo, aos 12 e aos 27 minutos.

Com três belas cobranças de pênalti e uma grande atuação, Roger tenta recuperar o seu futebol esquecido nos tempos de Fluminense. A próxima rodada, domingo, reserva clássicos para as duas equipes. O Grêmio receberá o Internacional no Olímpico, enquanto o Furacão enfrentará o Coritiba na Arena da Baixada.

Outros jogos da rodada

Sem dúvidas, o destaque desta sétima rodada foi o Goiás, que aplicou 4 a 0 no Santos, em plena Vila Belmiro. No Barradão, o Vitória derrotou o Inter por 2 a 1. Finalmente, em São Januário, o Vasco, com seis desfalques, foi derrotado pelo ascendente Palmeiras por 2 a 0.

Imagem: Lancepress


Luciano Dias

Náutico vence Galo e se mantém no G-4

Em um jogo fraco tecnicamente, o Náutico venceu o Atlético-MG por 2 a 1, neste domingo, no Arrudão, e se manteve entre os quatro primeiros do Campeonato Brasileiro com 14 pontos. O Galo, que continua sem vencer fora de casa neste Brasileirão, permaneceu com nove pontos, mas agora em décimo lugar.

O técnico Leandro Machado escalou o Timbu no 4-4-2, com Everaldo improvisado na lateral-esquerda. Já Alexandre Gallo manteve o time alvinegro no 3-5-2, com Nen ganhando a posição na zaga, Serginho entrando na vaga de Rafael Miranda, e Danilinho retornando de contusão, ao lado de Eduardo no ataque.

Os dois times não mostraram vontade de decidir a partida, principalmente nos primeiros 45 minutos de jogo. Faltou ao Atlético aptidão ofensiva. O time ficou muito recuado, esperando o adversário em seu campo. Danilinho, visivelmente fora de ritmo, pouco ameaçou a defesa pernambucana. Irritado com a baixa produtividade ofensiva, o técnico Alexandre Gallo desfez o esquema tático 3-5-2. Ele sacou o amarelado Leandro Almeida e promoveu a entrada do atacante Marinho. Mas a ateração não funcionou, pois a bola não chegava em boas condições para os atacantes do Galo.

Com um tímido domínio, o Náutico abriu o marcador aos 41 minutos, com Warley. O atacante, que entrara na vaga de Felipe com pendências financeiras, venceu a disputa de um rebote com o goleiro Juninho, depois de uma bomba mandada por Geraldo.

O intervalo nos vestiários, no entanto, voltou a esfriar os ânimos de Náutico e Atlético, que retornaram apáticos para o segundo tempo. Na falta de inspiração das duas equipes, a bola parada era a melhor solução para conseguir os gols. Com este artifício, o Galo logrou o empate aos 14min, com Vinicius, que aproveitou escanteio cobrado por Petkovic. A igualdade deu novo ânimo ao alvinegro, que quase virou com Pet em bela cobrança de falta. Mas, o Náutico fez o segundo utilizando a bola parada. Aos 31 min, Wellington aproveitou cobrança de escanteio de Helton, e de cabeça colocou os donos da casa na frente.

Sem inspiração ofensiva, o Atlético não conseguiu reagir, fazendo a alegria dos 15 mil alvirubros no Arrudão, que comemoram a surpreendente campanha do Náutico no Brasileirão. No próximo domingo, o Timbu encara o Palmeiras, no Palestra Itália. No mesmo dia, o Atlético busca a primeira vitória fora de casa contra o Figueirense, no estádio Orlando Scarpelli, em Santa Catarina.

Flamengo continua na liderança

Jogando praticamente em casa, já que a sua torcida era maioria no estádio Ipatingão, o Flamengo derrotou o Ipatinga por 3 a 1 e se manteve na liderança do Campeonato Brasileiro, com 16 pontos. O Tigre, por sua vez, continua na zona de rebaixamento com apenas cinco pontos, em 18º lugar. Juan, Ibson e Kléberson marcaram os gols da vitória da equipe carioca, com Tiago Vieira descontando para os mineiros. Na próxima rodada, o Flamengo encara o Sport em Recife, enquanto o Ipatinga joga com o Vasco no Rio de Janeiro.

Imagem: Edvaldo Rodrigues/Diário de Pernambuco


Luciano Dias

domingo, 22 de junho de 2008

Botafogo e Flu perdem novamente

Pela sétima rodada do Brasileirão, Botafogo e Fluminense novamente decepcionaram suas torcidas e ambos perderam. O Fogão, em casa, e o Flu, em Curitiba.

No Engenhão, o Botafogo foi derrotado por 1 a 0. Apesar da pressão do Fogão, a Portuguesa fez o gol aos 12min, com Edno. Ele recebeu cruzamento da direita e mandou de cabeça para as redes. Com o resultado, a Portuguesa chegou à oitava colocação com onze pontos. Já o Botafogo, permanece com sete, na décima sexta posição.

Na próxima rodada, o Fogão encara fará clássico contra os reservas do Fluminense, domingo, às 18h10, no Maracanã. Já a Portuguesa enfrentará o Santos, em casa, sábado, às 18h10.

Flu continua sem vencer

No Couto Pereira, os reservas do Flu – inclusive sem Renato Gaúcho – perderam mais uma, desta vez por 2 a 1 para o Coritiba – Foi a quinta derrota em sete jogos. Os gols da partida foram marcados por Hugo e Marlos para o Coritiba e Allan para o Flu.

Pelo lado do Coxa, eram cinco partidas sem vitória. Com o triunfo, os comandados de Dorival Junior chegaram aos nove pontos, na nona colocação. Já o tricolor carioca permanece última posição com apenas dois pontos.

Imagem: terra

Christiano Soares

Cruzeiro se reabilita com goleada sobre o Figueira

O Cruzeiro se recuperou, neste sábado, da goleada sofrida para o Palmeiras na última rodada do Brasileirão. Jogando no Mineirão, o time celeste goleou o Figueirense por 3 a 0 e assumiu a liderança, provisória, do campeonato. O destaque do duelo foi o atacante Weldon (foto), que reestreou com a camisa da Raposa e marcou dois gols.

A equipe estrelada entrou em campo sem Charles e Ramires, que estão servindo a seleção olímpica. Em seus lugares entraram Jonathan, deslocando Marquinhos Paraná para o meio, e Camilo. Desta forma, o Cruzeiro atuou com dois armadores, lembrando os tempos de Dorival Júnior. Já o Figueira, que tem a pior defesa da competição (19 gols sofridos), foi escalado por Guilherme Macuglia no esquema 4-4-2.

Mesmo com mais um homem de criação no meio, o Cruzeiro tinha dificuldades para vencer a forte retranca catarinense. Com um meio congestionado, as laterais eram as melhores opções do time celeste, principalmente pelo lado esquerdo, com Jadílson em dia inspirado. A equipe catarinense, por sua vez, explorava os contra-ataques e os erros da equipe mineira. Aos 19min, em contragolpe, Tadeu (revelado pelo Cruzeiro) escapou rápido, ficou de frente para a meta de Fábio, sem marcação, mas arrematou mal.

Aos 33min, Ânderson Luiz cometeu pênalti sobre Guilherme (o quarto pênalti sofrido pelo Cruzeiro na competição. O mesmo Guilherme converteu, cobrando no canto direito de Wilson. O atacante, enfim, inaugurou o telão do Mineirão. O gol deu mais tranqüilidade ao Cruzeiro que passou a explorar o artifício utilizado pelo Figueira: os contragolpes.

Aos 8min da etapa complementar, Weldon foi lançado nas costas da zaga cortou o zagueiro, mas frente-a-frente com Wilson, o atacante fez o mais difícil e perdeu um gol feito. No entanto, aos 11, Weldon se redimiu, e depois de receber primoroso cruzamento de Wagner, marcou de cabeça o segundo tento celeste. Weldon marcou o terceiro, depois de uma desconcertante jogada de Jadílson pela ponta esquerda. Com o triunfo garantido, o Cruzeiro apenas administrou o restante da partida.

O próximo compromisso do Cruzeiro será o São Paulo, domingo, no Mineirão. Já o Figueira busca a reabilitação em contra o Atlético-MG, no estádio Orlando Scarpelli, em Santa Catarina.

No finalzinho, São Paulo mantém ascensão

O São Paulo mostrou dificuldade para criar jogadas neste sábado, mas, no sufoco, conquistou sua terceira vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro. Aos 45min do segundo tempo, Hugo aproveitou bola espirrada na área para mandar para as redes do Sport, que amarga a segunda derrota seguida após o título da Copa do Brasil. Embalado pelos triunfos que obteve sobre Atlético-MG e Flamengo nas rodadas passadas, o Tricolor soma agora 12 pontos. Já o Sport continua com oito.

Imagem: Paulo Filgueiras/EM


Luciano Dias

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Bambuí recebe a 4ª etapa do Campeonato Mineiro de Motocross

A cidade de Bambuí, a 270 Km de Belo Horizonte, será sede, nos dias 21 e 22 de junho, da 4ª Etapa do Mineiro de Motocross. A pista, feita especialmente para o evento, foi preparada para receber os melhores pilotos de Minas. Os pilotos, que após promoverem um verdadeiro show em Nova Serrana, voltam à pista para buscar o título da competição.

Os treinos livres acontecerão no sábado a partir do meio-dia. Já no domingo, os treinos cronometrados acontecerão a partir das 8 horas com a prova prevista para às 12 horas. A premiação será de dez mil reais.


Christian Mascary

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Brasil e Argentina empatam sem gols no Mineirão

Foi um verdadeiro show - somente fora das quatro linhas. Muita expectativa envolveu a partida entre Brasil e Argentina – um dos maiores clássicos do futebol mundial. No entanto, a o duelo desta quarta-feira ficou marcado por muita festa fora de campo e falta de inspiração dentro dele. Resultado: um 0 a 0 insosso, placar que não acontecia há 20 anos.

O Mineirão foi todo remodelado para receber o confronto. Destaques para os novos placares (com grandes telões), novos bancos de reservas, além de uma reestruturação dos vestiários. Se os atletas não corresponderam os mais de 50 mil pagantes, os shows ficaram por conta das bandas mineiras Jota Quest (antes do jogo) e Skank (no intervalo) e da bela apresentação de Gal Costa ao cantar o hino brasileiro.

Deixando as festividades de lado, falaremos agora da partida. Dunga promoveu algumas alterações no Brasil em relação ao revés contra o Paraguai no último domingo. Adriano, Anderson e Júlio Baptista entraram nas vagas de Luis Fabiano, Josué e Diego, respectivamente. Já Alfio Basile escalou os argentinos no 3-5-2, com Gutiérrez fazendo o papel de ala pela esquerda, anulando as investidas de Maicon.

De fato, o clássico reuniu duas seleções com medo. O Brasil entrou em campo sob a pressão dos insucessos contra Venezuela e Paraguai. A Argentina carregou nas costas as recentes derrotas para o seu maior rival. Com excesso de respeito das duas equipes, poucas chances foram criadas durante o jogo. No primeiro tempo, nossa seleção teve as melhores oportunidades: aos 22 minutos, Robinho arrematou de longe, a bola bateu na zaga e sobrou para Júlio Baptista. Mesmo livre dentro da área, o jogador do Real Madrid chutou em cima de Abbondanzieri. Dois minutos depois, Robinho escapou nas costas da zaga, passou pelo goleiro adversário na ponta esquerda, mas demorou para definir, facilitando a recuperação da zaga.

Na etapa complementar, o futebol continuou sem empolgação. Os argentinos tiveram um pequeno domínio, mas nada que fizessem com que saíssem vitoriosos. A melhor chance brasileira foi com Júlio Baptista, em uma cobrança de falta aos 17min, quando Abbondanzieri fez uma bela intervenção.

Ficou claro nestes dois últimos jogos das Eliminatórias a falta de mobilidade do meio-campo brasileiro. Gilberto Silva e Mineiro se destacam (negativamente) por errarem passes em demasia. Além disso, é válido lembrar a falta do camisa 9. Como resultado, três partidas (Venezuela, Paraguai e Argentina) sem marcar sequer um gol, contrariando a história de nossa seleção. As esperanças são os retornos de Ronaldinho Gaúcho e Káká.

O placar desta quarta-feira foi melhor para os argentinos, que ficam na segunda colocação das Eliminatórias Sul-americanas com 11 pontos. Já o Brasil amarga uma seqüência de duas apresentações sem vitória na competição e fica com apenas nove, em quarto lugar. Os pentacampeões ainda podem ser ultrapassados por Venezuela ou Chile, que se enfrentam nesta quinta-feira.

Na próxima rodada, a seleção brasileira vai tentar a reabilitação fora de casa diante o Chile, em Santiago. Já a Argentina enfrenta o Paraguai, em Buenos Aires. As Eliminatórias Sul-americanas seguem no mês de setembro.

Pelé inaugura Calçada da Fama do Mineirão

O maior nome do futebol de todos os tempos inaugurou a Calçada da Fama do Mineirão, instalada no hall principal. O Rei Pelé, que já havia recebido homenagem do governo do estado, no Palácio das Mangabeiras, deixou a marca de seus pés eternizadas no estádio. Após o aquecimento das equipes do Brasil e da Argentina no gramado, ainda recebeu a maior homenagem da noite. No palanque montado atrás de um dos gols, o governador Aécio Neves entregou um troféu a Pelé, como reconhecimento do povo de Minas Gerais a toda a história esportiva do mineiro de Três Corações.

Outros resultados:

A sexta rodada das Eliminatórias começou na terça-feira, com a goleada do Uruguai sobre o Peru, por 6 a 0, no estádio Centenário, em Montevidéu. Na quarta, além do 0 a 0 entre Brasil e Argentina, Equador e Colômbia empataram com o mesmo placar, em Quito. Em La Paz, os bolivianos golearam o Paraguai por 4 a 2. A rodada termina nesta quinta-feira com o duelo entre Venezuela e Chile, em Puerto La Cruz.

Imagem: Evaristo Sá/ AFP


Luciano Dias

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Boston Celtics conquista a NBA após 22 anos

Foi um verdadeiro massacre. Após 22 anos de espera, o Boston Celtics deu adeus ao jejum e na noite desta terça-feira voltou a levantar a taça de campeão da NBA. Paul Pierce, Kevin Garnett e Ray Allen, o reverenciado Big Three, e cia. venceram o Los Angeles Lakers por 131 a 92 (58 a 35 no primeiro tempo), fechando a série em 4 a 2 com a maior diferença da história em um placar decisivo.

Com o Banknorth Garden lotado, a equipe mais vitoriosa da história da Liga conquistou seu 17º título. Por ironia do destino, justamente sobre os Lakers, responsáveis pela frustração na final de 1986-87. Kevin Garnett e Ray Allen foram os cestinhas da partida, com 26 pontos. Garnett fez um double-double: pegou 14 rebotes. Paulo Pierce foi o MVP das finais. Pelos Lakers, Kobe Bryant foi o maior pontuador, com 22.

Dona da melhor campanha na fase regular (66 vitórias e 16 derrotas), a franquia comandada pelo técnico Doc Rivers bateu o Atlanta Hawks, o Cleveland Cavaliers e o Detroit Pistons para chegar à decisão. Na série decisiva, antes do massacre desta terça, o Celtics venceu os dois primeiros confrontos (98 e 88 e 108 a 102), foi surpreendido no terceiro (87 a 81), reagiu no quarto (97 a 91) com uma virada emocionante no último período (após desvantagem de 24 pontos), mas tropeçou mais uma vez no domingo (103 a 98).

Imagem: Reuters


Luciano Dias

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Acuado, Brasil sofre mais um fiasco

Mais um vexame da seleção de Dunga. Depois de perder pela primeira vez na história para a Venezuela, o novo fiasco aconteceu neste domingo pelas Eliminatórias do Mundial de 2010. O Brasil perdeu por 2 a 0 para o Paraguai, no estádio Defensores del Chaco, em Assunção. Com o revés, a nossa seleção caiu para quarto lugar no torneio - com oito pontos, cinco atrás dos líderes paraguaios.

Dunga levou a campo três volantes e o Brasil pareceu com medo do Paraguai durante todo o primeiro tempo. E que nossa seleção não reclame da falta de sorte. O Paraguai ainda finalizou duas bolas na trave (com o “gordinho” atacante Cabañas) e jogou quase todo o segundo tempo com um a menos - Verón foi expulso aos 2 min da etapa final.

O selecionado de Dunga abusou dos erros individuais e coletivos. Robinho e Anderson foram os únicos que tentaram alguma coisa. No mais, toda vez que a seleção tinha a posse de bola, buscava o mais fácil: levantá-la sobre a área. O lateral-esquerdo Gilberto insistia nos cruzamentos, não acertava nenhum deles. Do lado direito, Maicon teve uma média um pouco mais eficiente.

Veloz nos contra-ataques, o Paraguai abriu o placar aos 25min do primeiro tempo, após cobrança de escanteio em que toda a zaga do Brasil falhou e Roque Santa Cruz completou sem marcação na pequena área. O segundo tento saiu logo aos 3min da etapa complementar. O carrasco dos brasileiros (que o diga Flamengo e Santos) Cabañas aproveitou rebote de Júlio César e não desperdiçou.

Agora, resta esperar uma reabilitação no clássico contra a Argentina, nesta quarta-feira, no Mineirão.

Outros jogos da rodada


O 1 a 1 foi o placar mais repetido nesta quinta rodada das Eliminatórias. No sábado, as partidas entre Uruguai e Venezuela, no estádio Centenário, em Montevidéu, e Peru e Colômbia, no estádio Monumental de Lima, terminaram com este placar.

No domingo, o 1 a 1 foi visto na partida entre Argentina e Equador, no Monumental de Nuñes, em Buenos Aires. O detalhe, é que "nuestros hermanos" empataram o duelo apenas aos 48min da etapa final, com um gol salvador de Palácios. Finalmente, nos 3.660m de La Paz, a Bolívia foi derrotada por 2 a 0 para o Chile.

Imagem: Paulo Whitaker/REUTERS

Luciano Dias

domingo, 15 de junho de 2008

São Paulo derrota o último invicto do Brasileirão

Uma equipe com personalidade e eficiente. Neste sábado, o São Paulo lembrou o time do ano passado, quando se sagrou bi-campeã brasileira. Jogando no Maracanã com mais de 55 mil pagantes, o Tricolor derrubou o último invicto do Campeonato Brasileiro e goleou o Flamengo por 4 a 2.

Os gols da equipe paulista foram feitos por Borges, em duas oportunidades, Aloísio e Eder Luís, enquanto Ibson, cobrando dois pênaltis, ambos no segundo tempo, fez os gols rubro-negros. No segundo, ele teve de concluir duas vezes, já que, no primeiro chute, Rogério Ceni defendeu parcialmente.

A vitória são-paulina embola a classificação. O Flamengo segue líder ao lado de Cruzeiro e Grêmio com 13 pontos, mas vê a aproximação de adversários importantes. Com duas vitórias seguidas, o próprio Tricolor paulista já se aproxima das principais colocações, com nove pontos.

Na próxima rodada, no sábado, o São Paulo encara do Sport no Morumbi. Já o Flamengo viaja ao Vale do Aço mineiro para enfrentar, no domingo, o Ipatinga.

Outros jogos do sábado

O Figueirense carimbou a faixa o Sport, de campeão da Copa do Brasil, ao vencer os pernambucanos por 3 a 1, em Florianópolis. No Beira Rio, num jogo muito disputado, em que a raça prevaleceu sobre a técnica, o Internacional, na estréia do técnico Tite, derrotou o Botafogo por 2 a 1.

No Arruda , em Recife, o Vasco surpreendeu o Náutico, num jogo dramático, em que foi dominado no primeiro tempo. Depois, brilhou a estrela do atacante Edmundo, que, em um lance de raça, fez o gol vascaíno. Pouco depois, o Náutico empatou com Wellington, de bicicleta. A partida foi disputada no estádio do Santa Cruz porque o Aflitos está interditado devido aos incidentes na partida entre Náutico e Botafogo.

No Serra Dourada, em Goiânia, o Grêmio venceu o Goiás por 3 a 0. Destaque para o futebol do ex-cruzeirense Marcel, que marcou dois gols, um em cada tempo. Com o resultado, os gaúchos chegaram à ponta da tabela, junto com Flamengo e Cruzeiro. Em contrapartida, o Goiás, começa o Brasileirão muito mal, e este ano é apontado mais uma vez como um dos sérios candidatos ao rebaixamento.

No Canindé, a Portuguesa fez o dever de casa, derrotando o Atlético-PR por 1 a 0. O gol foi marcado por Washington, logo no primeiro minuto de jogo. E, completando a rodada, no Estádio Couto Pereira, Coritiba e Vitória empataram por 0 a 0. O atacante Hugo, do Coxa, desperdiçou uma penalidade aos 9min do segundo tempo.

Imagem: Vipcomm


Luciano Dias

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Contundente, Palmeiras goleia e tira a invencibilidade do Cruzeiro

Muita gente fala que a melhor defesa é o ataque. Esta, no entanto, não parece ser a opinião do técnico cruzeirense, Adilson Batista, que mais uma vez atuando fora de casa deixou o Cruzeiro muito defensivo. O resultado foi a primeira derrota no Campeonato Brasileiro. De forma contundente, o Palmeiras, jogando no Palestra Itália, fez 5 a 2 no time celeste e chegou de forma provisória ao quinto lugar com 10 pontos. O Cruzeiro se estabilizou no segundo posto com 13.

Bem compacto, o Cruzeiro abriu o placar com Guilherme, em cobrança de pênalti, aos 16min. Entretanto, no primeiro erro de posicionamento da defesa, o Verdão, que não achava o seu jogo, encontrou um pênalti aos 28min. O chileno Valdívia foi lançado atrás da linha de zagueiros, ficou diante de Fábio e caiu após um leve empurrão de Thiago Martinelli. O árbitro Héber Roberto Lopes (PR) não só marcou o pênalti como expulsou o zagueiro, último homem. Com “paradinha” Alex Mineiro empatou o placar.

Adílson recompôs a zaga ao colocar Léo Fortunato no lugar de Marcinho. A mudança deu segurança ao Cruzeiro, mas chamou o Palmeiras para cima, já que Marcinho deixou de preocupar a defesa rival. Atento como sempre, Luxemburgo tirou Léo Lima, homem de combate, e lançou o criativo Diego Souza no time.

No segundo tempo, o excesso de cautela do treinador cruzeirense foi preponderante no placar. Adilson sacou Guilherme, o único atacante do time, e escalou o volante Henrique. Desta forma, o embate virou um “samba” de apenas um ritmo: Palmeiras no ataque e o Cruzeiro defendendo. Com intensa pressão, Valdívia virou o placar, depois de aproveitar um rebote e arrematar no canto esquerdo de Fábio. Acuado, a Raposa sofreu o terceiro com Diego Souza, que sem marcação, concluiu no canto direito do arqueiro celeste.

Adilson Batista promoveu a entrada de Weldon, que fez a sua reestréia com a camisa do Cruzeiro. Entretanto, o comandante sacou Wagner, ao invés de tirar um dos quatro volantes. Mesmo com Weldon isolado no ataque, o time estrelado diminuiu o marcador graças a um “frango” de Marcos em chute de Charles. Mas o Cruzeiro nem teve tempo para armar a reação, já que quando o Palmeiras voltou à frente, a bola foi lançada na área e Henrique cabeceou no canto esquerdo de Fábio. O quinto do Palmeiras nasceu de uma jogada pela direita de Pierre. Ele cruzou rasteiro, Alex Mineiro se adiantou à zaga, e de carrinho mandou para as redes. O placar poderia ser mais elástico, mas Fábio evitou um revés maior.

O Cruzeiro volta a jogar pelo Brasileirão com o Figueirense, no dia 21, um sábado, no Mineirão. O Palmeiras enfrentará o Vasco em São Januário no dia 22.

Flu cede empate nos acréscimos e continua sem vencer

O Fluminense no Brasileirão, definitivamente, não é o mesmo da disputa da Libertadores. Mesmo escalando seus principais jogadores o Tricolor continua sem vencer na competição nacional e apenas empatou por 1 a 1 com o Santos, nesta quinta-feira, no Maracanã.

Washington abriu o placar para o Flu logo no começo do duelo, mas, já nos acréscimos, Tiago Luis, que entrara no segundo tempo, empatou a partida com um leve toque de cobertura sobre Fernando Henrique. O resultado manteve o Tricolor na lanterna com apenas dois pontos. Em contrapartida, o Peixe se livrou da zona de rebaixamento, mas está apenas em 15º com cinco pontos.

Imagem: Agência


Luciano Dias

Em jogo doméstico, Galo goleia Ipatinga

No primeiro encontro entre Atlético e Ipatinga na primeira divisão do Campeonato Brasileiro prevaleceu a força da equipe alvinegra. Mesmo atuando com um jogador a menos durante todo o segundo tempo, o Galo conseguiu fazer 4 a 2 na equipe do Vale do Aço. O triunfo, além de transmitir nova tranqüilidade ao Atlético, o coloca, provisoriamente, na sexta colocação, com nove pontos. Já o Tigre se encontra na parte debaixo da tabela, e de quebra perdeu o treinador Giba, que pediu demissão após o revés.

Mesmo com a goleada sofrida na última rodada para o São Paulo, Alexandre Gallo manteve no alvinegro o esquema com três zagueiros (Leandro Almeida, Welton Felipe e Vinicius). Renan assumiu a vaga de Calisto (contundido) na ala esquerda e o ataque foi formado por Eduardo e pelo estreante Beto. O Ipatinga, por sua vez, atuou num esquema que pode ser chamado de 4-5-1, já que Adeílson, mesmo com esporádicas aproximações de Gerson Magrão e Luciano Mandi, atuava isolado.

Já no primeiro minuto do duelo, os pouco mais de cinco mil pagantes se empolgaram com o primeiro gol atleticano. Leandro Almeida cabeceou para as redes de Fred, após cobrança de escanteio de Coelho. No entanto, aos 14min, Welton Felipe dava inicio a mais uma atuação insegura. Em cobrança de corner, o zagueiro cometeu pênalti ao tocar a bola com a mão dentro da área. Gérson Magrão foi o encarregado pela cobrança, empatando a partida.

O empate ipatinguense deu inicio a uma sucessão de erros do Atlético. Para piorar a situação, Rafael Miranda, com uma fisgada na coxa esquerda, precisou ser substituído por Serginho. Mas, mesmo atuando mal, o Galo chegou ao segundo gol com Coelho, que finalizou um cruzamento de Eduardo pela esquerda. No final, Welton Felipe mostrou infantilidade ao fazer uma falta em Gérson Magrão no meio-campo e ser expulso. O jogador que estreou muito bem contra a Portuguesa, sendo tema de várias reportagens, não mostrou a mesma concentração nas duas últimas partidas.

Com dores na coxa, Coelho não retornou para o segundo tempo. Nen entrou em seu lugar, fazendo a sua estréia com a camisa atleticana. Márcio Araújo fez as vezes de ala-direito. Mesmo com um jogador a menos, o estreante Beto marcou o terceiro aos 7min, depois de receber bom passe de Petkovic. Aos dez, Serginho fez bela jogada e foi derrubado dentro da área. Na cobrança, Pet bateu com perfeição e marcou o quarto. Aos 23, o Ipatinga teve a chance de diminuir em outra penalidade na partida, mas Gérson Magrão cobrou para a fora. Mas, aos 31mi, Wilian diminuiu o revés, aproveitando cruzamento de Adeílson.

Administrando a vantagem, Leandro Almeida quase fez o quinto, mas acertou o travessão de Fred. Com a paralisação para a disputa das eliminatórias da Copa, o Galo só volta a campo no dia 22, quando enfrenta o Náutico, em Recife. Já o Ipatinga, que mostra várias deficiências, enfrenta o Flamengo, no Vale do Aço.

Imagem: Jorge Gontijo/EM


Luciano Dias

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Sport usa o regulamento e leva a Copa do Brasil para o Nordeste

Carlinhos Bala, ao terminar o primeiro jogo da final da Copa do Brasil, disse que o gol de Enílton, na derrota por 3 a 1 do Sport contra o Corinthians, daria o título para o Leão. A previsão do atacante foi confirmada nesta quarta-feira com a vitória da equipe pernambucana por 2 a 0 sobre o time paulista. O Sport sagrou-se campeão pela primeira vez da competição utilizando o regulamento: gol marcado fora de casa.

Os gols do rubro-negro foram marcados na etapa inicial por Carlinhos Bala, o nome do título, e Luciano Henrique, que substituiu Romerito à altura nas finais. A Ilha do Retiro, com mais de 30 mil pessoas, fez mais uma vez a diferença, se transformando em um verdadeiro caldeirão.

A conquista leva o Sport pela segunda vez à Libertadores e, ao contrário da participação em 1988 (em função do título do Módulo Amarelo da Copa União de 1987, que correspondia à atual segunda divisão), não será de maneira contestada. É válido destacar também que é a primeira vez que alguma equipe do Nordeste conquista a competição. O triunfo do Sport é muito merecido, já que a equipe eliminou clubes favoritos ao título como Palmeiras, Internacional e Vasco.

Imagem: Alexandre Gondim/Diário de Pernambuco


Luciano Dias

Jorge Negretti e Joaninha marcam presença em Nova Serrana

A emoção do Motocross se fez presente nos dias 7 e 8 de junho na cidade de Nova Serrana,a 120 km de Belo Horizonte. O município recebeu a 3ª Etapa do Campeonato Mineiro e 2ª Etapa da Copa Minas de MotoCross. O evento aconteceu no Centro de Convenções e reuniu aproximadamente 15 mil pessoas nos dois dias de festa.

No sábado, Jorge Negretti e Joaninha deram um verdadeiro show, com saltos incríveis do Freestyle . Os dois mostraram que o Brasil está muito bem representado na modalidade. Com manobras como Tsunami, Heel Clicker e Superman, levantaram a multidão. O mais impressionante ocorreu quando Joaninha executou com muita perfeição e por duas vezes, a manobra mais famosa do Freestyle: o backflipe, o primeiro realizado em Minas

Intermediária

A primeira bateria do dia teve a participação de 22 pilotos. Vinícius Almeida, o Amin, conseguiu fazer uma largada perfeita e já na primeira volta, assumiu a ponta, não a perdendo mais. Rogério Ferreira, o Rogerim, conseguiu se desvencilhar do bolo da primeira curva e chegou em segundo lugar, 14seg atrás de Amim. Amadeu Jr e Adélio Jr continuavam na disputa pela terceira posição e já na penúltima volta, Adélio Jr, dono da melhor volta da pista (1:09.473), conseguiu a ultrapassagem e comemorou bastante o terceiro lugar , seguido de Amadeu em quinto. Destaque também para Leandro Douglas, que após sofrer uma queda, deu um show na pista com ultrapassagens incríveis e terminou em quinto. Adélio Júnior é o líder do campeonato na categoria agora com 57 pontos seguido por Vinícius Amin com 50.

Máster

Na Máster, a briga também foi boa do início ao fim. Evaristo Lemos, com uma bela largada, venceu a prova com relativa tranqüilidade. De quebra, ele foi o dono da melhor volta (1:07.815). Dário de Oliveira Jr chegou em segundo e se manteve na liderança isolada do campeonato com 61 pontos - 11 a mais que Evaristo. O terceiro lugar da bateria ficou com Wilson Lambari, seguido por André Leal, que com ultrapassagens incríveis roubou a quarta posição de Rodrigo Chulipa, que se contentou com quinto lugar.

65cc


A 65cc foi marcada por constantes brigas por posições. Gustavo Lima, o Gustavinho, terminou na frente e venceu com 24 segundos de vantagem sobre Tuilzinho. Felipe Gonçalves, que fez a melhor volta da prova (1:13.689), conseguiu fazer uma prova espetacular e terminou na terceira colocação. Gadernal, mesmo após sofrer uma queda, terminou em quarto, seguido pelo quinto colocado Rodriguinho Chulipinha. Felipe Gonçalves é o líder da 65cc com 56 pontos, seguido por Gustavinho com 50.

Nacional

A categoria Nacional possui o maior número de participantes - 29 no total. Tuniquinho Miranda, dono da melhor volta (1:09.580), venceu, mesmo muito pressionado por Roncalle Costa, segundo colocado. Everaldo Fonseca, que largou em primeiro, acabou em terceiro sem muitos problemas. Guilherme Gontijo ficou com a quarta colocação, suportando a intensa pressão de Rafael Fernandes, que se contentou com o quinto lugar. Guilherme Gontijo e Tiago Martins dividem a liderança da categoria com 46 pontos .

MX2

Tuniquinho Miranda e Adriano Guarnieri travavam um verdadeiro duelo de Titãs. Melhor para Tuniquinho, que mostrando muita habilidade, venceu a categoria, com Adriano terminando em segundo. Rômulo Bottrel conseguiu abrir vantagem e terminou na terceira colocação. Evaristo Lemos soube administrar bem a sua corrida e ficou com o quarto lugar. Cesinha, em uma bela recuperação, terminou em quinto. Tuniquinho lidera a categoria com 63 pontos, seguido por Rômulo Bottrel com 56 .

50cc

Com seis pilotos na pista, o show ficou por conta de João Vitor Xavier Salles, o Dederinha. Dederinha, com a melhor volta da corrida (1:23.877), disparou na frente, terminando com a vantagem de 46 segundos com relação ao segundo colocado, Gabriel Souza. Dedeirinha continua sem perder em 2008. Eduardo Pereira, o Dudu, terminou em terceiro sem muitos problemas. Leonardo Ribeiro, o Léo Laranjinha, terminou na quarta posição e com uma grande evolução nos últimos dias mostra que pode dar trabalho na 50cc. Arthur Lima, o Tuta, que caiu na largada, conseguiu recuperar uma posição e terminou em quinto lugar. Dederinha se distanciou ainda mais na liderança da categoria com 75 pontos seguido por Gabriel Souza com 56.

85cc

A 85cc teve 17 pilotos na disputa. Já na largada, Victor Garcia largou na frente e venceu a categoria com a vantagem de 12seg com relação ao segundo colocado,Victor Garcia. Luis Miranda, o Lôro, terminou em terceiro, mesmo pressionado por Gustavo lima, o Gustavinho, que finalizou em quarto. Tauane, que não fez uma boa largada, terminou na quinta colocação. Victor Garcia é o líder do campeonato com 65 pontos seguido por Luis Miranda com 61 pontos.

MX1

A categoria mais esperada do dia era promessa de muita emoção. A prova teve as presenças de Tuniquinho Miranda, Eudes Guedes, Yuri Moreira, Rômulo Bottrel, Adriano Guarnieri. Jorge Negretti também disputaria a categoria, mas não se sentiu bem, ficando de fora. Adriano Guarnieri, dono da melhor volta (1:03.494), venceu, suportando a pressão do segundo colocado, Tuniquinho Miranda. Rômulo Bottrel terminou na terceira colocação, seguido por Cesinha em quarto. Eudes Guedes suportou bem a pressão de Yuri Moreira e terminou na quinta colocação. A prova estava prevista para 25 minutos mais uma volta, mas precisou ser interrompida antes por causa do fator tempo, já que estava escurecendo e a visibilidade não era a melhor. Com intuito de garantir segurança aos pilotos, a direção de prova encerrou a MX1 com 15 minutos de prova. O líder da categoria é Tuniquinho Miranda com 70 pontos seguido por Evaristo Lemos com 50 pontos.

Imagem: mascaryshow


Christian Mascary

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Nadal humilha Federer e conquista o tetra em Roland Garros

Rafael Nadal mostrou para o mundo que é realmente o rei do saibro. O espanhol é o novo tetracampeão de Roland Garros, e após vencer as últimas três edições, sacramentou o título pela terceira vez seguida em cima de Roger Federer.

O jogo foi desigual desde o começo. Nadal impôs um ritmo muito forte e fechou o primeiro set com extrema facilidade após três quebras. O segundo set foi o único em que Federer tentou alguma reação. O jogo se manteve em 3 a 3, até que Nadal deslanchou e venceu novamente, dessa vez por 6 a 3. O último set, o mais humilhante para o número 1. O espanhol massacrou desde o início e fez o chamado "pneu"- um 6 a 0 contundente.

Roger Federer amarga o tabu de não conseguir surpreender o espanhol em Roland Garros. O suiço ainda não conseguiu levantar o torneio francês, o único Grand Slam que ainda falta em sua carreira.
Imagem: AFP


Luciano Dias

Goleadas e lances inusitados marcam a quinta rodada do Brasileirão


A quinta rodada do Campeonato Brasileiro foi recheada de goleadas e de lances incomuns. O Flamengo lidera a competição com 13 pontos, mesma pontuação do Cruzeiro, que leva desvantagem no saldo de gols. Na parte debaixo da tabela, equipes favoritas ao título ou à classificação para Libertadores freqüentam a zona de rebaixamento. Fluminense, finalista da Libertadores, Internacional, com um bom elenco, e Santos ocupam o indesejado grupo, que conta ainda com o Goías.

Confira os resultados da quinta rodada:

São Paulo 5 x 1 Atlético-MG – Morumbi

O Tricolor conquistou a sua primeira vitória no Brasileirão. Em apenas 15 minutos, o São Paulo já vencia o irreconhecível Atlético por 3 a 0. Os gols são-paulinos foram marcados por Hernanes, Joilson, André Dias e Hugo, em duas oportunidades, enquanto Coelho descontou para o alvinegro. Com o triunfo, o time paulista chegou a à 11ª posição, com seis pontos, mesma pontuação do Atlético, porém o Galo leva desvantagem no saldo de gols.

Ipatinga 0 x 0 Náutico – Ipatingão

Jogo muito fraco tecnicamente. O Ipatinga continua mostrando as suas deficiências técnicas, perdendo preciosas oportunidades de gol. Já o Náutico, que realiza uma surpreendente campanha (3º colocado, com 10 pontos), perdeu a chance de se aproximar dos líderes do Campeonato.

Flamengo 5 x 0 Figueirense – Maracanã

Show de Marcinho. Em uma partida impecável, o armador marcou três gols e teve participação em outros dois marcados por Sousa. A goleada coloca o Flamengo na liderança da competição, ao lado do Cruzeiro, com 13 pontos. Já o Figueira, com uma defesa muito frágil (15 tentos sofridos) ocupa a 16ª posição com cinco pontos.

Atlético-PR 5 x 0 Goiás – Arena da Baixada

Não podemos tirar os méritos do Furacão nesta goleada, mas o Goiás deu uma tremenda ajuda neste elástico placar. Os esmeraldinos vivem um péssimo momento, e neste duelo ficou visível a desconcentração da equipe. Além da atuação ruim do goleiro Harlei, os goianos proporcionaram um lance inusitado: após um ataque do Atlético, o volante Amaral achou que o árbitro havia marcado uma falta e tocou a bola com a mão dentro da área. O juiz Paulo César de Oliveira (SP) assinalou pênalti, convertido por Marcelo Ramos.

Grêmio 2 x 1 Fluminense – Olimpico

Pela primeira vez, o Flu utilizou a maioria dos titulares neste Brasileirão. Mesmo assim, a equipe continua sem vencer. O Grêmio, por sua vez, faz uma boa campanha, ocupando a quarta colocação com 10 pontos. Neste duelo de tricolores, o colombiano Perea foi o destaque, marcando os dois gols dos gremistas. O tento do Fluminense foi feito por Dodô, em cobrança de pênalti.

Sport 2 x 0 Palmeiras – Ilha do Retiro

Mesmo com um time reserva, o Leão provou ser o algoz do Palmeiras nesta temporada. O Sport, finalista da Copa do Brasil, foi melhor durante todo o jogo. Os gols foram marcados por Luciano Henrique, no primeiro tempo, e Roger, na etapa complementar.

Portuguesa 3 x 1 Internacional – Canindé

O Colorado não vive mesmo um bom momento. Com um bom elenco e apontado como um dos favoritos ao título, a equipe não consegue deslanchar na competição, amargando a 17ª posição, com apenas quatro pontos. Já a Lusa do bom atacante Diogo conquistou a sua primeira vitória, mas mesmo assim ocupa o pífio 14º lugar, com cinco pontos.

Vitória 1 x 0 Santos – Barradão

Outra equipe que não se encontra na competição é o Santos. Na estréia do técnico Cuca, o Peixe mostrou as mesmas deficiências dos tempos de Leão. O gol dos baianos foi marcado por Dinei, ex-atacante do Guaratinguetá. Com o triunfo, o Vitória subiu para o oitavo lugar, com sete pontos. Já o Santos se encontra em situação complicada, ocupando a 18ª posição, com quatro pontos.

Cruzeiro 1 x 0 Vasco – Mineirão

No jogo em que apenas o Cruzeiro atacou, o goleiro do Vasco Tiago e o árbitro Wilson de Sousa Mendonça foram os protagonistas. O arqueiro vascaíno fazia uma das melhores atuações de sua carreira, defendendo inclusive um pênalti cobrado por Guilherme. No entanto, aos 23min, Tiago cometeu um anti-jogo: o goleiro colocou as mãos na bola depois de já tê-la posto em jogo e sem que outro jogador a tenha tocado (regra 12). Polêmicas de lado, o Cruzeiro se aproveitou do tiro livre indireto e chegou ao seu gol com Charles. O resultado coloca o time celeste em segundo lugar, com 13 pontos – mesma pontuação do líder Flamengo. Já o Vasco estacionou no sétimo lugar, com sete.

Botafogo 2 x 1 Coritiba - Engenhão

Na estréia do técnico Geninho no Fogão, o time carioca venceu o Coxa contando com a ajuda dos gandulas, que foram advertidos pela arbitragem ao retardar por vários momentos a reposição da bola. O Coritiba, que apresenta um time limitado, mas um bonito futebol, tem cinco pontos e está em 13º lugar. Já o Botafogo subiu oito posições, ocupando a nona posição, com sete pontos.


Luciano Dias

domingo, 8 de junho de 2008

Kubica vence e lidera o campeonato

Roberto Kubica, da equipe BMW Williams, venceu o GP do Canadá, em Montreal, depois de uma excelente corrida e assumiu a liderança do campeonato mundial de Fórmula 1 com 42 pontos. Porém, o piloto polonês contou com o erro grosseiro e infantil de Lewis Hamilton, que depois de sair dos boxes não viu a luz vermelha e “atropelou” Kimi Raikkonen da Ferrari.

Felipe Massa realizou ultrapassagens arrojadas, mas ficou apenas na quinta posição. O brasileiro Rubens Barrichello da equipe Honda mostrou que sua experiência conta pontos a favor e conquistou o sétimo lugar. Nelsinho Piquet se retirou após rodar na pista.

1. Robert Kubica (BMW) - 1h36min24s447
2. Nick Heidfeld (BMW) a 16s495
3. David Coulthard (Red Bull) a 23s352
4. Timo Glock (Toyota) a 42s627
5. Felipe Massa (Ferrari) a 43s934
6. Jarno Trulli (Toyota) a 47s775
7. Rubens Barrichello (Honda) a 53s597
8. Sebastian Vettel (Toro Rosso) a 54s120
9. Heikki Kovalainen (McLaren) a 54s433
10. Nico Rosberg (Williams) a 54s749
11. Jenson Button (Honda) a 1min07s540
12. Mark Webber (Red Bull) a 1min11s299
13. Sebastien Bourdais (Toro Rosso) a uma volta


Roberto Lopes

sábado, 7 de junho de 2008

Hamilton é pole no Canadá

As Ferraris decepcionaram no treino oficial do GP do Canadá em Montreal. Os pilotos Felipe Massa e Kimi Raikkonen sentiram a perda de força do carro na terceira parcial do circuito e conquistaram apenas as 6ª e 3ª posições, respectivamente.

Quem dominou o o treino foi o inglês Lewis Hamilton da Mclaren que depois de ser sete décimos mais rápido que Robert Kubica da BMW Williams conquistou a pole position.

A surpresa deste GP foi espanhola, Fernando Alonso, da equipe Renault, que conseguiu um ótimo quarto lugar no grid de largada.

Rubens Barrichello fez boas voltas e conquistou a nona posição. Nelsinho Piquet foi eliminado na segunda parte e largará na 15ª posição.
Confira o Grid completo :

1. Lewis Hamilton (ING/McLaren) S3: 1min17s886

2. Robert Kubica (POL/BMW) S3: 1min18s498

3. Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) S3: 1min18s735

4. Fernando Alonso (ESP/Renault) S3: 1min18s746

5. Nico Rosberg (ALE/Williams) S3: 1min18s844

6. Felipe Massa (BRA/Ferrari) S3: 1min19s048

7. Heikki Kovalainen (FIN/McLaren) S3: 1min19s089

8. Nick Heidfeld (ALE/BMW) S3: 1min19s633

9. Rubens Barrichello (BRA/Honda) S3: 1min20s848

10. Mark Webber (AUS/Red Bull)S1: 1min17s582 S2: 1min17s523

11. Timo Glock (ALE/Toyota)S1: 1min18s321S2: 1min18s031

12. Kazuki Nakajima (JAP/Williams)S1: 1min17s638S2: 1min18s062

13. David Coulthard (ESC/Red Bull)S1: 1min18s168S2: 1min18s238

14. Jarno Trulli (ITA/Toyota)S1: 1min18s039S2: 1min18s327

15. Nelsinho Piquet (BRA/Renault)S1: 1min18s505S2: 1min18s393

16. Sebastien Bourdais (FRA/Toro Rosso)S1: 1min18s916

17. Adrian Sutil (ALE/Force India) S1: 1min19s108

18. Giancarlo Fisichella (ITA/Force India)S1: 1min19s165

19. Jenson Button (ING/Honda)S1: 1min23s565

20. Sebastian Vettel (ALE/Toro Rosso)

imagem : terra.com


Roberto Lopes

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Copa Oeste de Motocross agita Várzea da Palma

A 3ª Etapa da Copa Oeste Retimac de Motocross aconteceu nos dias 31 de maio e 1º de junho, na cidade de Várzea da Palma, a 314km de Belo Horizonte. Com um público espetacular e com manobras sensacionais, o evento se tornou um dos melhores do ano.

Máster

Wilson Lambari, com uma excelente largada, venceu a prova com tranqüilidade. A segunda colocação ficou com Gilson Alves, que largou na ponta. Roberto Pires promoveu grande pressão em Gilson, mas terminou mesmo em terceiro lugar. Tauane se aproveitou de quedas de Rodrigo Chulipa e Rogério Gasolita para terminar em quarto. Mesmo com a queda, Chulipa conseguiu terminar em quinto.

Local

A categoria Local, que conta com a participação de pilotos das cidades que serão sede da Copa Oeste em 2008, começou com uma excelente largada do piloto da casa, Maurício Aguiar Silva. No entanto, ele foi logo ultrapassado por Luis Eduardo Pires, o Tico, que andou muito forte e venceu a categoria sem muitos problemas. Maurício, que foi um dos responsáveis pela construção da pista, soube tirar proveito do seu conhecimento com relação ao traçado do circuito e terminou em segundo. A terceira colocação ficou com César Augusto Oliveira, seguido por Giovanni Coutinho, que mesmo pressionado pelo sósia do Lambari, Marcílio Moreira Lopes, terminou em quarto lugar. Marcílio se manteve na quinta posição. Caio Diniz, também de Várzea da Palma, brigava com Maurício pelo segundo posto, mas uma queda o fez abandonar a prova.

Intermediária

A vitória na categoria ficou com Vinícius Almeida, o Amin, que deu um verdadeiro show na pista. Everaldo Fonseca ficou em segundo lugar, superando Gilson Alves, que mesmo fazendo uma largada incrível se contentou com a terceira posição. Assim como na categoria Máster, Roberto Pires pressionou Gilson, mas novamente não conseguiu superá-lo, terminando em quarto. A quinta colocação ficou com Marcelo Hummel, que soube administrar a posição desde o início da prova.

Estreantes

A categoria Estreantes trouxe muita emoção. Paulo Henrique e Joaquim Teodoro Júnior, o Juninho travaram um verdadeiro duelo de gigantes na pista. Paulo Henrique levou a melhor, após um erro de Juninho no final da prova. Juninho teve que se contentar com a segunda colocação. Fernando Otávio, sem muito trabalho, terminou na em terceiro, seguido por Lucas Silva Guerra, em quarto. Daniel Silva Guerra, irmão de Lucas, terminou na quinta colocação, depois de se aproveitar do abandono de Marciano Palhares.

Nacional

Vitória de Antônio Eustáquio de Miranda Júnior, o Tuniquinho Miranda, que mesmo não fazendo uma boa largada, fez uma excelente prova de recuperação. Everaldo Fonseca, que fez uma ótima largada terminou em segundo lugar, muito pressionado pelo terceiro Wilson Lambari. Roncalli Costa freqüentou a primeira colocação, mas sofreu uma queda ao errar um salto. Mesmo com o susto, o piloto teve uma boa recuperação, terminando em quarto lugar. César Boaventura, o Cesinha, que também sofreu uma queda, terminou na quinta posição. Tiago Martins abandonou com problemas mecânicos.

65cc

A categoria 65cc foi marcada pelo retorno de Vinícius Oliveira, o Gadernal, e a estréia de João Vitor Xavier Salles, o Dederinha. Gustavo Lima, o Gustavinho, largou na frente e se distanciou dos demais. Gustavinho, que está na sua melhor fase, andou na frente toda a prova e venceu a 65cc com muita tranqüilidade. Vinícius Gadernal, voltando de lesão, após ter fraturado a clavícula na segunda etapa da Copa Oeste em Três Marias, andou na segunda posição até o finalzinho da prova, quando começou a sentir dores no ombro e foi ultrapassado por Rodrigo Maia Filho, o Chulipinha, que mostrou preparo para ser campeão em 2008. Gadernal, na corrida da superação, terminou em terceiro. Arthur Bruno, o Meio Kilo, estava na quarta colocação, mas sofreu uma queda muito forte, causando preocupação a todos na pista. Por sorte, nada de grave aconteceu. Dederinha assumiu a quarta colocação, seguido por Gabriel, que travou uma emocionante disputa com Dudu pela quinta posição.

MX2

Prevaleceu mais uma vez a técnica de Tuniquinho Miranda. Mesmo não largando bem, ele fez uma bela prova de recuperação e venceu a categoria. Leandro Douglas terminou em segundo lugar, seguido por Wilson Lambari, na terceira colocação, e Rodrigo Chulipa na quarta. Cesinha, que liderou boa parte da prova, e Loro, não terminaram , não tendo, desta forma, na MX2 um quinto colocado.

50cc

A 50cc teve mais uma vez a supremacia de João Vitor “Dederinha”, que já na largada deu mostras de que viria para vencer mais uma. O piloto ainda não perdeu nenhuma corrida em 2008 e pelo andar da carruagem, dificilmente perderá alguma. Arthur Lima, outra ferinha que está voltando a andar forte, assumiu a segunda colocação e andou até o final pra receber a bandeirada. Gabriel Sousa terminou na terceira colocação, seguido por João Vitor Gontijo, em quarto, e Leonardo Ribeiro, em quinto.

85cc

A 85cc prometia a revanche de Luis Miranda, O Lôro e Gustavo Lima, O Gustavinho, já que os dois travaram um bom duelo em Três Marias, com vitória do Gustavinho. Em Várzea da Palma a história foi diferente: Lôro largou muito bem e venceu com certa tranqüilidade. Gustavinho, por sua vez, largou em segundo, mas sofreu uma queda e perdeu várias posições. João Matheus assumiu a segunda colocação, seguido por Gustavinho, em terceiro, e Wildemberg, em quarto. A 85cc não teve o quinto lugar, já que Tauane abandonou após sofrer uma queda.

Força Livre

A categoria mais esperada do dia finalizou com muita emoção e um pega incrível entre Leandro Douglas e Felipe Almeida. No entanto, a vitória ficou com Tunico Miranda, que andou tranqüilo e venceu mais uma. Cesinha, que deu um verdadeiro show, terminou em segundo, seguido por Lambari, em terceiro. Já na quarta colocação, Felipe se segurava como podia, já que Leandro fazia "melhor volta em cima de melhor volta” e dava um show nas curvas usando as escoras. Porém, na ultima parte, Leandro escapou na curva e Felipe terminou na quarta colocação. Leandro, que fez a diferença na Força Livre, terminou em quinto lugar.

Destaque

São dois os destaques da prova: Vinícius Gadernal, que mesmo machucado e sentindo fortes dores, chegou até o final da categoria 65cc e ainda terminou em terceiro; e Leandro Douglas, que soube buscar o resultado na Força Livre e mostrou persistência. Leandro terminou em quinto, mas o resultado teve sabor de vitória pela bela corrida que fez.

Imagem: mascaryshow


Christian Mascary

quinta-feira, 5 de junho de 2008

Motocross invade Nova Serrana

A cidade de Nova Serrana, a 120 quilômetros de Belo Horizonte, será sede de um dos maiores eventos em duas rodas nos dias 7 e 8 de junho. Acontecerá a 3ª Etapa do campeonato Mineiro e a 2ª Etapa da Copa Minas de Motocross. A prova será realizada no Centro de Convenções e é esperado a presença de um público superior a 10 mil pessoas, como aconteceu nas outras edições.

No sábado, ocorrerá treinos livres a partir das 13:00hs e a noite, Nova Serrana recebe as feras do Freestyle. Show com Negretti, Natan e Joaninha, que vêm com a promessa de realizar o Back Flip. No domingo, acontecerá os treinos cronometrados a partir das 09:00hs. As 13:00hs as feras voltam à pista para acelerar forte e buscar as vitórias.


Christian Mascary

Com determinação, Corinthians larga na frente na final da Copa do Brasil

Quando esta edição da Copa do Brasil começou, equipes como Internacional, Palmeiras, Grêmio e Botafogo eram apontadas como os grandes favoritos. Poucos esperavam um time nordestino e um clube que amarga a segunda divisão na final. Entretanto, esta competição permite a chegada de azarões. Como não esquecer os títulos do Juventude, em 1999, do Santo André, em 2004, e do Paulista em 2005.

Com favoritismos deixados de lado, os azarões (adjetivo de acordo com a história recente) Corinthians e Sport iniciaram, nesta quarta-feira, a disputa da final da Copa do Brasil, torneio considerado o caminho mais curto para a Copa Libertadores da América. Melhor para o time paulista, que no Morumbi lotado (64.186 pagantes) venceu a equipe pernambucana por 3 a 1. Com o resultado, o Timão poderá perder até por um gol de diferença em Recife para ficar com o troféu. A segunda partida da decisão será disputada dia 11, na Ilha do Retiro.

O Corinthians entrou em campo no tradicional 4-4-2. Sem contar com o armador Douglas (não está inscrito na Copa do Brasil), Alessandro e Diogo Rincón foram os incumbidos para organizarem as jogadas. Mesmo com um time pouco técnico, o Timão mostrou a histórica raça e determinação, somando-se ainda à força de sua fanática torcida. Nelsinho Batista manteve o Sport no 3-5-2, com dois volantes de marcação.

Mas, mesmo com a formação defensiva, o Leão foi facilmente envolvido pela velocidade corintiana. O Sport parecia muito nervoso, mesmo jogadores experientes como Igor, Luisinho Netto e Carlinhos Bala. O Corinthians, por sua vez, entrou com um ritmo alucinante, não deixando os pernambucanos trocarem sequer três passes seguidos. Desta maneira, a etapa inicial terminou 2x0 para o Timão.

O primeiro gol saiu aos 19 minutos, com Dentinho aproveitando um rebote dentro da área e com o goleiro Magrão já no chão. O segundo não demorou muito a sair. Após o árbitro Heber Roberto Lopes deixar de marcar uma falta clara em cima de Luciano Henrique, os paulistas puxaram o contra-ataque e Herrera (foto) completou para o fundo das redes. Além de sair à frente do placar, os corintianos ainda perderam pelo menos três gols feitos, dois com Dentinho e um com Herrera.

Posturas diferentes no segundo tempo. O Sport voltou alterado para a etapa, com o centroavante Roger entrando na vaga do armador Luciano Henrique, que pouco produziu. A mudança fez com que os leoninos segurassem mais a bola no ataque, o que não havia acontecido nos primeiros 45 minutos. A proposta do Corinthians era clara: apostar nos contragolpes. E a escolha paulista deu certo, já que aos 31min a equipe logrou o terceiro gol. Após uma partida desastrosa, Luisinho Netto fechou com chave de ouro entregando uma bola de bandeja para Herrera, que puxou a marcação de Igor e Durval e tocou para Acosta mandar para as redes de Magrão.

Precisando marcar um gol para amenizar o revés, o Sport foi para cima e por pouco não diminuiu em uma cabeçada de Roger, que o goleiro Felipe fez um verdadeiro milagre. Mas, aos 45, Enílton marcou o gol de honra em uma jogada de muita raça, renovando, desta forma, as esperanças da torcida leonina. Mesmo com a boa vitória do Corinthians, nada está decidido na Copa do Brasil, levando-se em consideração o bom retrospecto do time pernambucano na Ilha do Retiro.

Imagem: Marcos Ribolli/ Globoesporte


Luciano Dias