quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Os melhores da "Era dos Pontos Corridos"

Luciano Dias (@jornlucianodias)

O São Paulo é o time que fez mais pontos na "Era dos Pontos Corridos" (2003-2011) do Campeonato Brasileiro. Campeão em três oportunidades (2006, 07 e 08), o Tricolor Paulista soma 627 pontos nos nove Brasileirões disputados a partir de 2003.

Apesar de não ter conquistado nenhum título no sistema atual do Campeonato Nacional, o segundo colocado é o Inter, com 577 pontos. A explicação é simples: o Colorado chegou entre os seis primeiros em sete edições.

O Cruzeiro, mesmo com campanhas modestas em 2004, em 2006 e neste ano, está em terceiro lugar, com 570 pontos. Mas, o time celeste conseguiu chegar entre os cinco melhores nas edições de 2007, 2008, 2009 e de 2010. O Santos, vencedor do Brasileirão de 2004, e o Flamengo, campeão em 2009, completam a lista dos cinco primeiros.

É válido destacar que equipes, como Grêmio, Corinthians, Atlético-MG e Vasco, não disputaram todos os campeonatos da "Era dos Pontos Corridos" porque foram rebaixadas em alguma das edições.

Confira a lista dos 20 primeiros na "Era dos Pontos Corridos":

1º - São Paulo – 627 pontos
2º - Inter – 577 pontos
3º - Cruzeiro– 570 pontos
4º - Santos – 564 pontos
5º - Flamengo – 524 pontos
6º - Fluminense – 518 pontos
7º - Atlético/PR – 504 pontos
8º - Corinthians – 502 pontos
9º - Palmeiras – 478 pontos
10º - Goiás – 452 pontos
11º - Grêmio – 452 pontos
12º - Vasco – 435 pontos
13º - Botafogo – 426 pontos
14º - Atlético/MG – 421 pontos
15º - Figueirense – 393 pontos
16º - Coritiba – 339 pontos
17º - Paraná – 281 pontos
18º - Juventude – 266 pontos
19º - Vitória – 246 pontos
20º - São Caetano – 215 pontos

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Adjetivos de um Brasileirão

Luciano Dias (@jornlucianodias)

Disputado, surpreendente, emocionante, triste, tenso... Estes são alguns dos adjetivos que definem o Campeonato Brasileiro deste ano. O título foi para o Corinthians, pela quinta vez. O Timão, mesmo vencendo muitas partidas com placares apertados, foi a equipe mais regular durante a competição. O clube levou o caneco justamente no dia em que perdeu um dos maiores ídolos de sua história. Foi uma bela homenagem ao Doutor Sócrates.

Os cariocas também foram bem. Três equipes garantiram vagas na Libertadores do ano que vem. O Botafogo, se não fossem os tropeços na reta final, também poderia ter arrumado um lugarzinho na maior competição das Américas.

O Vasco é, sem dúvidas, o destaque carioca. O time cruzmaltino levou a Copa do Brasil no primeiro semestre, perdeu o treinador Ricardo Gomes (por causa de um AVC) à beira do campo. Desmotivação? Pelo contrário. Comandado pelo auxiliar Cristovão, o time chegou até a última rodada com chances de conquista.

Foi o campeonato em que o Santos, campeão da Libertadores, estava de férias. Mesmo assim, o Peixe apresentou o desfile de Neymar e o faro de gols de Borges, o artilheiro da competição. Foi o campeonato da surpresa Figueirense. Com um time bom e barato, o clube comandado por Jorginho quase garantiu uma histórica vaga na Liberadores.

Por outro lado, foi a competição das decepções dos rebaixados Atlético-PR, Ceará e Avaí. Foi o campeonato desastroso dos times mineiros. O saldo de Minas é um rebaixado (América) e dois (Cruzeiro e Atlético) que brigaram para não cair e não ficaram sequer com uma vaga na Copa Sul-Americana.

Aliás, o clássico entre Raposa e Galo, disputado na última rodada, merece um comentário à parte. Para muitos torcedores atleticanos, a goleada de 6 a 1 que o Cruzeiro aplicou foi injetada por dinheiro de Perrella e do banco BMG aos jogadores do Galo. Para os celestes, a vitória demonstrou superação, mesmo que demorada, contra a apatia alvinegra. Coisas de torcedores, que só aumentam a emoção do campeonato.

Ótimo, polêmico, alegre, diferente... Este é o Brasileirão, o campeonato com mais adjetivos do mundo.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011