domingo, 3 de agosto de 2008

De virada, Cruzeiro vence Fla e se mantém na vice-liderança do Brasileirão

Mais uma virada no Maracanã. Há uma semana, o Cruzeiro venceu, de virada, o Fluminense, por 3 a 1, e quebrou um tabu que perdurava por 36 anos de não derrotar o Tricolor no estádio. Neste domingo, o time celeste quebrou outro tabu: sem vencer o Flamengo desde 2000 no Maracanã, a Raposa derrotou o Rubro-Negro, novamente de virada, por 2 a 1, e se manteve na vice-liderança do Brasileirão. Já o Fla, que não sabe o que é vitória há seis partidas, caiu para o sexto lugar do Nacional.

Na tentativa de encontrar um substituto para Marcinho, o técnico flamenguista, Caio Júnior, escalou o garoto Erick Flores, preterindo Diego Tardelli, que ficou entre os suplentes. Outro problema do treinador Rubro-Negro foram os desfalques na zaga. Ronaldo Angelin, suspenso, e Dininho, machucado, obrigou Caio a escalar o jovem Thiago Salles na defesa.

Adílson Batista também continua com dificuldades para escalar o Cruzeiro, especificamente na lateral-direita e no ataque. Elicarlos assumiu a ala enquanto Weldon foi o escolhido da vez para atuar ao lado de Guilherme. Fabrício, contundido, também desfalcou a equipe e em seu lugar Adilson escalou Henrique.

O primeiro tempo foi de domínio cruzeirense. Com um bom toque de bola e em melhor fase que o rival, o time celeste teve as ações do embate. Bruno foi o destaque da etapa, principalmente em defesas de arremates de Guilherme e Charles. Aos 32min, bem na partida, Wagner sentiu o joelho direito e deixou o gramado para a entrada de Gérson Magrão.

Na volta do intervalo, Caio Júnior tirou os dois jogadores mais ofensivos da equipe. Obina e Erick Flores saíram para as entradas do estreante Vandinho e de Diego Tardelli. As modificações surtiram rápido efeito, já que Vandinho marcou de cabeça, após cobrança de escanteio.

Com o placar adverso, Adilson Batista colocou imediatamente Rômulo no lugar de Weldon . A alteração pode ser considerada um fator preponderante para a virada estrelada. Meio a uma alta defesa flamenguista, Rômulo foi um jogador que passou a preocupar a zaga adversária nas jogadas aéreas. E foi com um gol de cabeça que o Cruzeiro conquistou a igualdade no marcador. Aos 22min, Espinoza desviou de cabeça cobrança de escanteio e Guilherme emendou para as redes de Bruno. Foi o décimo gol do atacante na competição, se juntando a Alex Mineiro e Kléber Pereira na artilharia do Nacional.

Três minutos depois, meio a uma desordem Rubro-Negra, a equipe celeste virou o placar, com Rômulo, que em contra-ataque, recebeu bom passe de Charles e finalizou na saída de Bruno. Atrás no placar, o Flamengo também ficou em desvantagem no gramado. Diego Tardelli caiu de mau jeito e fraturou o braço. Como já tinha feito as três alterações, Caio Júnior passou a ter apenas 10 homens em campo.

Consciente, o time celeste passou a explorar os contragolpes, mas a displicência não permitiu que o marcador fosse maior. O Flamengo, por sua vez, não teve fôlego para lograr uma igualdade, perdendo mais uma partida em casa no Brasileirão.

Na próxima quarta-feira, o Flamengo busca reencontrar o caminho das vitórias contra o Goiás, no Serra Dourada. Já o Cruzeiro recebe o Internacional, no Mineirão, na quinta.

Imagem: globo.com

Valdívia faz as pazes com Luxemburgo

O Palmeiras foi a Ipatinga para entrar na zona de classificação para a Libertadores. E volta para São Paulo também com a paz entre Valdívia e Vanderlei Luxemburgo. Com dois gols do chileno, um deles comemorado com um abraço no treinador, o Verdão venceu o lanterna por 2 a 1. O triunfo coloca o Palmeiras na terceira colocação do campeonato, com 31 pontos.


Luciano Dias

Um comentário:

Fábio disse...

Vitória de campeão...
abraços