sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Quedas de treinadores marcam a 18ª rodada

Qual é a solução para uma equipe que não vive uma boa fase, perde partidas seguidas e não consegue engrenar no campeonato?

A resposta no futebol brasileiro é simples: dispensar o treinador. Nesta rodada, a penúltima do primeiro turno, três técnicos foram demitidos. A cúpula vascaína dispensou Antônio Lopes, após mais um revés, desta vez sofrido para o Coritiba, em pleno São Januário. A diretoria cruzmaltina agiu rápido e contratou Tita, que como jogador ficou marcado por fazer o gol do título vascaíno do Campeonato Carioca de 1987.

Quem também não resistiu a pressão de resultados negativos foi Pintado no Náutico. O treinador assumiu o Timbu quando a equipe ainda brigava pelas primeiras colocações, no entanto, as seis partidas sem triunfos (cinco derrotas e um empate) selou a rescisão de seu contrato com Alvi-Rubro. Para o lugar de Pintado, a diretoria do Náutico confirmou o retorno de Roberto Fernandes, que desenvolveu bom trabalho no time no ano passado e foi demitido há duas rodadas do Atlético-PR.

O outro treinador que caiu nesta rodada foi Cuca, no Santos. A derrota para o Galo foi a gota d´água para que a cúpula santista demitisse o técnico. De fato, Cuca não conseguiu dar um padrão de jogo ao Peixe e a sua saída era um fato iminente.

Os técnicos Ricardo Drubscky, do Ipatinga, Valdir Espinosa, da Portuguesa, e até mesmo Caio Júnior, do Flamengo, podem ser as próximas vítimas desta ingrata lei do futebol brasileiro, na qual o treinador é sempre o culpado das derrotas.

Luciano Dias

Um comentário:

Lucas disse...

muito bom