sexta-feira, 11 de abril de 2008

São Paulo perde, ressucita rival e vê classificação ameaçada

Em mais um capítulo sombrio da fase que passa, o São Paulo perdeu para o frágil Audax Italiano por 1 a 0 na madrugada desta sexta-feira, em Santiago, e vê a classificação ameaçada. Com o resultado, o time brasileiro caiu para a segundo colocação do Grupo 7 e precisa vencer o líder Atlético Nacional no próximo dia 23, no Morumbi. Já o Audax, que ficaria em situação delicada se empatasse a partida, pode se classificar até com um empate contra o lanterna Sportivo Luqueño.

Momentos antes de viajar para o Chile, na quarta-feira, o meia Hugo foi reintegrado ao elenco tricolor graças às suspensões de Fábio Santos e Carlos Alberto. Com o elenco enxuto, Muricy Ramalho escalou o São Paulo com duas linhas de quatro. Uma mais recuada, formada por Éder, André Dias, Miranda e Richarlyson; e outra à frente, com Éder Luís (mais adiantado), Joílson, Hernanes e Jorge Wagner.

O primeiro tempo foi chato e sonolento. Como já virou de praxe, o time brasileiro sofreu pela falta de criação. Para piorar, por orientação do técnico ou, mais provável, decisão dos jogadores, Adriano recuava para o meio-campo e Jorge Wagner, são-paulino mais envolvente, fazia as vezes de centroavante. A equipe chilena também nada criava.

A primeira etapa pode ser definida em dois lances. Aos 18min, Richarlyson, em noite desastrosa, falhou e a bola sobrou para Rieloff. O lateral foi à linha de fundo e deixou Orellana na cara do gol, mas Rogério Ceni apareceu bem para salvar o tricolor paulista. Aos 28min, Joílson puxou rápido contra-ataque e colocou Éder Luís na cara do gol. Como Rogério Ceni, o goleiro Villasanti apareceu bem e interceptou o chute.

No segundo tempo, o Audax Italiano voltou um pouco mais agressivo. Aos 9min, em outra falha de posicionamento de Richarlyson, Toledo se infiltrou pela direita e cruzou para a área. Joílson interceptou na última hora. Mas o ímpeto chileno durou pouco e o São Paulo equilibrou a partida.
Aos 17min, Hernanes, que já vinha realizando grande partida, pegou a bola no meio-campo, passou por três marcadores e quase marcou um belo gol - a bola passou à esquerda do gol adversário. Aos 23min, lance incrível. Hernanes fez lançamento primoroso e deixou Adriano na cara do gol, mas o Imperador chutou isola a bola toscamente.

Aos 31min, o centroavante pegou a bola no meio, girou e deu boa assistência à Daboberto, que entrara momentos antes no lugar de Borges. O atacante cortou e chutou forte, mas acima do gol. Um minuto depois, quando o tricolor paulista estava melhor na partida, os donos da casa abriram o placar. Corvetto cruzou para o meio da área, Richarlyson não conseguiu tirar e Ramos completou para o fundo da rede.

Notas dos jogadores

São Paulo

Rogério Ceni
- 6,5. Seguro durante toda a partida, mais uma vez foi muito acionado na saída de bola e ainda fez uma senhora defesa no começo da partida. Não teve culpa no gol chileno.
Éder - 5,0. Pode solucionar o problema da lateral-direita, tem boa técnica e velocidade. Mas nesta partida foi afobado na defesa e não apareceu bem no apoio. Foi substituído por Hugo (sem nota), que não teve tempo de fazer nada.
André Dias - 5,5 Realizou boa partida. Foi seguro nas divididas durante todo o jogo, mas falhou no gol chileno.
Miranda - 6,5. Se não o melhor, um dos melhores zagueiros que atuam no Brasil. Desarma todas com segurança, é muito técnico e dá chutão na hora que precisa.
Richarlyson - 2,5. Cada dia pior. Falhou em todos os lances de perigo dos chilenos. É incrível como caiu de rendimento neste ano e como fica abalado se erra no início do jogo. Lembrou a atuação bisonha de 2006 contra o Chivas, no Morumbi, quando não acertou nenhum cruzamento.
Hernanes - 7,0. Extremamente seguro e preciso na marcação. É melhor ainda na saída de bola, habilidoso e com boa visão. Quase marcou um golaço.
Joílson - 5,5. Fez a melhor partida com a camisa tricolor. Parece que sua posição não é mesmo a lateral-direita.
Jorge Wagner - 4,5. Apagadíssimo e perdido em campo. No primeiro tempo, abandonou a meia para jogar dentro da área.
Éder Luís - 4,5. Difícil avaliar um jogador que joga quinzenalmente e totalmente fora de posição. Não jogou bem e foi substituído por Júnior (sem nota).
Borges - 4,0. Não estava em noite inspirada. A equipe não ajudou: jogou isolado na frente contra, no mínimo, dois marcadores. Dagoberto (sem nota) entrou com muita disposição no jogo, mas teve pouco tempo.
Adriano - 5,0. Não se contenta em fazer o que sabe dentro da área. Salvo se for orientação técnica (quase impossível pelas declarações de Muricy), atrapalha o funcionamento tático da equipe e o desempenho pessoal. Errou grotescamente gol feito.

Audax Italiano

A equipe chilena é fraca tecnicamente e não apresenta nem um sistema defensivo sólido, como a maioria dos times medianos da Libertadores. Pelo futebol apresentado, não mereceu vencer, mas agora depende de uma vitória simples na última rodada para se classificar.



Imagem: AFP


Thiago Ricci