domingo, 27 de abril de 2008

Cruzeiro goleia Galo e está com as mãos na taça do Estadual

Festa azul no Mineirão. O Cruzeiro conseguiu um resultado histórico sobre o Atlético ao golear o rival por 5 a 0, neste domingo, no primeiro jogo da decisão do Campeonato Mineiro. Para conquistar o campeonato, o Galo tem que vencer por uma diferença de seis gols no próximo domingo no Mineirão.

Expectativas envolveram as escalações das duas equipes. O “xodó” atleticano Marques entra em campo? E o volante cruzeirense Fabrício, tem condições de jogo? Marques começou jogando, mas além da escalação do atacante, o técnico Geninho surpreendeu ao sacar Renan para a entrada de Xaves e ao escalar Renan Oliveira como um dos atacantes. Desta forma, a equipe ficou sem saída de jogo no lado esquerdo e ficou visível a falta de um centroavante para “brigar” com a zaga cruzeirense. Por parte da Raposa, Fabrício não entrou jogando e desta vez Adílson Batista não fez mais uma de suas invenções.

É normal em clássicos, polêmicas durante a semana que antecede o duelo. Desta vez, as discussões ficaram em torno da arbitragem. Atlético e Cruzeiro, o último principalmente, preteriram os árbitros mineiros para chamarem juízes de outros estados. O responsável pela condução do embate deste domingo foi Paulo César de Oliveira, que teve uma atuação discreta, exceto na não marcação de um pênalti sobre Danilinho na etapa complementar.

O jogo começou movimentado, com o alvinegro tendo um começo melhor. Aos 5min, Marcos, de cabeça, quase abriu o placar para o Galo após cobrança de falta de Danilinho, mas Fábio fez grande defesa. Entretanto, o time celeste foi mais contundente em seu primeiro ataque. Marcelo Moreno inaugurou o marcador aos 11min, após cobrança de falta de Wagner pela esquerda e falha de Juninho, que saiu errado do gol. A equipe estrelada chegava com muita facilidade, principalmente pelo lado esquerdo com o trio Jadílson, Ramires e Wagner. O Galo, em contrapartida, não encontrava alternativas, especialmente pela forte marcação feita por Charles e Thiago Heleno sobre Marques, e Marquinhos Paraná e Henrique sobre Danilinho.

Não bastasse a falta de organização atleticana, o zagueiro Marcos foi incumbido de marcar um gol contra aos 19min e ampliar o placar para o Cruzeiro. O terceiro tento aconteceu aos 38min, com Ramires, que depois de receber primoroso lançamento de Wagner, concluiu por cobertura. O quarto gol quase saiu no final do primeiro tempo, mas Guilherme arrematou fraco diante de Juninho.

Como era de se esperar, o Atlético voltou modificado para o segundo tempo. Os laterais Thiago Feltri e Gérson saíram para as entradas de Augustin Viana e Renan, que atuou no meio, com Márcio Araújo sendo o encarregado de assumir o setor direito. O Cruzeiro voltou com um ritmo lento, apenas administrando a boa vantagem. Diante da cadência cruzeirense, o Atlético quase diminuiu o placar com o jovem Renan Oliveira, mas o atacante, livre, inacreditavelmente finalizou na trave. Em seguida, o prata da casa, que parecia nervoso em seu primeiro clássico, foi substituído por Marcelo Nicácio.

Diante da falta de pontaria alvinegra, a Raposa chegou ao quarto tento aos 21min. Ramires, de cabeça, encontrou Guilherme com total liberdade e o atacante teve tranqüilidade de apenas tirar de Juninho. O contra-ataque era a aposta celeste e para esta proposta de jogo, Adílson Batista colocou um especialista: Leandro Domingues. O meia foi fundamental para o quinto gol. Domingues arrancou do meio-campo e na saída do arqueiro atleticano tocou para Wagner, que teve apenas o trabalho de empurrar para as redes e definir o marcador.

Como não poderia ser diferente, o resultado trouxe muita euforia por parte da torcida cruzeirense, que já comemora o título antecipadamente. Entretanto, os jogadores celestes deixam a festa para as arquibancadas e destacam que faltam 90 minutos de decisão. Por parte dos atletas atleticanos, o descontentamento era visível, mas eles enfatizam que lutarão para reverter esta inglória missão.

Imagem: Paulo Filgueiras/EM


Luciano Dias

5 comentários:

Fabrício Marques disse...

Camaradas, um abraço!

Henrique disse...

Descontamos o ano passado com troco.zeeeeeeero

tiaguim27 disse...

parabens pela materia,e este titulo cruzeirense é pra fechar com chave de ouro o centenário das
galinhas.

Fábio disse...

q sscola!!

Mari... disse...

No ano do centenário do galo quem faz história é o cruzeiro !
hahahaha..
mais do que esperado !

muito boa a matéria !
e o blog continua de parabéns !