domingo, 4 de maio de 2008

Cruzeiro derrota Galo mais uma vez e conquista o Estadual


Prevaleceu a organização e a tranqüilidade de ter uma grande vantagem. Previamente decretado campeão, com a vitória sobre o Atlético por 5 a 0 no primeiro jogo da decisão, o Cruzeiro voltou a derrotar o arqui-rival, desta por 1 a 0, e conquistou pela 34ª vez o Campeonato Mineiro.

Novidades marcaram as escalações das duas equipes. Pensando no duelo da próxima quarta-feira, pela Libertadores, contra o Boca Juniors (ARG), o técnico cruzeirense Adilson Batista utilizou uma equipe mista – artifício usado na maioria dos jogos do Campeonato Mineiro. Espinoza, Henrique, Ramires (suspenso) e Guilherme foram os considerados titulares que não começaram o clássico. Thiago Martinelli, Jonathan, Elicarlos e Marcinho entraram nos respectivos lugares. Desta forma, a equipe atuou no chamado 4-5-1, com Marcinho aberto na direita e Wagner na ponta esquerda. Assim como no clássico anterior, Marquinhos Paraná – mais uma excelente partida – ficou com a incumbência de marcar o veloz Danilinho.

Pelo lado alvinegro, as grandes novidades foram o lateral-esquerdo Augustin Viana, que barrou o então titular Thiago Feltri; Eduardo, que assumiu o comando de ataque; além do retorno de Coelho, após longo período machucado. Marcos, contundido, cedeu lugar para Vinicius. Assim como nos confrontos anteriores (Náutico e Cruzeiro), o Galo atuou no 4-3-3, porém desta vez com um centroavante: Eduardo.

Mesmo com a grande vantagem, o Cruzeiro foi superior na etapa inicial. Entretanto, a primeira oportunidade foi do Galo, logo no primeiro minuto de jogo, após arremate de Gérson de fora da área. O troco cruzeirense aconteceu aos 5min, com Marcelo Moreno, que depois se desvencilhar de Leandro Almeida, tentou encobrir Juninho, mas a bola passou por cima da baliza atleticana. Com um meio de campo coeso, principalmente pela versatilidade de Fabrício, a Raposa comandava as ações da partida.

O Atlético, por sua vez, criava chances provenientes de erros da equipe estrelada. Em uma destas falhas, aos 38min , Jadilson – muito bem ofensivamente – foi displicente em uma saída de bola, originando roubada de bola de Danilinho, que tocou para Marques, mas o “xodó” atleticano foi travado na hora da conclusão. A chance mais contundente do Cruzeiro aconteceu aos 38min. Jadilson cruzou, Juninho saiu errado, mas Marcinho passou da bola, facilitando o corte da zaga alvinegra.

O Galo voltou para o segundo tempo marcando a saída de bola celeste. Geninho apostou no volante Renan para assumir a lateral-esquerda, no lugar do burocrático Viana. Mas, de maneira consciente o Cruzeiro apenas cadenciava o jogo, apostando em contra-ataques. A tranqüilidade celeste aumentou depois que Renan foi expulso, após agredir o árbitro verbalmente. Neste contexto, a torcida cruzeirense pediu Guilherme no time. Atendendo aos pedidos das arquibancadas, Adilson colocou o atacante no lugar do exausto Fabrício. Antes, já tinham entrado no Cruzeiro, Henrique na vaga do cansado Elicarlos, e Charles no lugar de Jadilson, que saiu machucado. Desta forma, o polivalente Marquinhos Paraná assumiu a lateral-esquerda. Já Geninho apostou em Marinho e Xaves, nos lugares do apagado Eduardo e do contundido Coelho. Márcio Araújo fez as vezes de lateral-direito.

Entretanto, Marcelo Moreno decretou o título do Cruzeiro, aos 30min. O boliviano aproveitou cruzamento na medida de Wagner e cabeceou para as redes de Juninho. Os cantos provocativos das arquibancadas se transferiram para o gramado. Aos 34, Danilinho e Charles trocaram agressões verbais e o atleticano foi expulso por dar um tapa no cruzeirense. A confusão foi generalizada, e antes que partida fosse reiniciada, o árbitro Evandro Rogério Roman (PR) expulsou o o volante celeste. Amenizada a situação, o Cruzeiro apenas tocou a bola até o final do jogo, no ritmo de gritos de “olé” vindos das arquibancadas.

Imagem: Bruno Cantini/ Divulgação

Campanha estrelada:

Cruzeiro 4 x 0 Uberaba - Mineirão

Cruzeiro 3 x 0 Democrata;SL - Mineirão

Guarani 2 x 3 Cruzeiro - Farião

Cruzeiro 3 x 2 Villa Nova - Mineirão

Social 1 x 2 Cruzeiro - Ipatingão

Atlético 0 x 0 Cruzeiro - Mineirão

Cruzeiro 0 x 1 Rio Branco - Mineirão

Democrata-GV 1 x 2 Cruzeiro - Mamudão

Ituiutaba 1 x 1 Cruzeiro - Fazendinha

Cruzeiro 2 x 0 Ipatinga - Mineirão

Tupi 1 x 2 Cruzeiro - Mário Helênio

Semifinais - Ituiutaba 4 x 4 Cruzeiro - Mineirão; Cruzeiro 3 x 1 Ituitaba - Mineirão

Finais - Atlético 0 x 5 Cruzeiro - Mineirão; Cruzeiro 1 x 0 Atlético - Mineirão

V-11; E-3; D-1; GF-35, GC, 14; S-21; aproveitamento-80%

Fontes: fmf

Luciano Dias

2 comentários:

Lucas George disse...

Foi humilhante. Tanto dentro de campo quanto nas arquibancadas.

Henrique disse...

fácil d+.
Muito boa a matéria