sexta-feira, 13 de junho de 2008

Contundente, Palmeiras goleia e tira a invencibilidade do Cruzeiro

Muita gente fala que a melhor defesa é o ataque. Esta, no entanto, não parece ser a opinião do técnico cruzeirense, Adilson Batista, que mais uma vez atuando fora de casa deixou o Cruzeiro muito defensivo. O resultado foi a primeira derrota no Campeonato Brasileiro. De forma contundente, o Palmeiras, jogando no Palestra Itália, fez 5 a 2 no time celeste e chegou de forma provisória ao quinto lugar com 10 pontos. O Cruzeiro se estabilizou no segundo posto com 13.

Bem compacto, o Cruzeiro abriu o placar com Guilherme, em cobrança de pênalti, aos 16min. Entretanto, no primeiro erro de posicionamento da defesa, o Verdão, que não achava o seu jogo, encontrou um pênalti aos 28min. O chileno Valdívia foi lançado atrás da linha de zagueiros, ficou diante de Fábio e caiu após um leve empurrão de Thiago Martinelli. O árbitro Héber Roberto Lopes (PR) não só marcou o pênalti como expulsou o zagueiro, último homem. Com “paradinha” Alex Mineiro empatou o placar.

Adílson recompôs a zaga ao colocar Léo Fortunato no lugar de Marcinho. A mudança deu segurança ao Cruzeiro, mas chamou o Palmeiras para cima, já que Marcinho deixou de preocupar a defesa rival. Atento como sempre, Luxemburgo tirou Léo Lima, homem de combate, e lançou o criativo Diego Souza no time.

No segundo tempo, o excesso de cautela do treinador cruzeirense foi preponderante no placar. Adilson sacou Guilherme, o único atacante do time, e escalou o volante Henrique. Desta forma, o embate virou um “samba” de apenas um ritmo: Palmeiras no ataque e o Cruzeiro defendendo. Com intensa pressão, Valdívia virou o placar, depois de aproveitar um rebote e arrematar no canto esquerdo de Fábio. Acuado, a Raposa sofreu o terceiro com Diego Souza, que sem marcação, concluiu no canto direito do arqueiro celeste.

Adilson Batista promoveu a entrada de Weldon, que fez a sua reestréia com a camisa do Cruzeiro. Entretanto, o comandante sacou Wagner, ao invés de tirar um dos quatro volantes. Mesmo com Weldon isolado no ataque, o time estrelado diminuiu o marcador graças a um “frango” de Marcos em chute de Charles. Mas o Cruzeiro nem teve tempo para armar a reação, já que quando o Palmeiras voltou à frente, a bola foi lançada na área e Henrique cabeceou no canto esquerdo de Fábio. O quinto do Palmeiras nasceu de uma jogada pela direita de Pierre. Ele cruzou rasteiro, Alex Mineiro se adiantou à zaga, e de carrinho mandou para as redes. O placar poderia ser mais elástico, mas Fábio evitou um revés maior.

O Cruzeiro volta a jogar pelo Brasileirão com o Figueirense, no dia 21, um sábado, no Mineirão. O Palmeiras enfrentará o Vasco em São Januário no dia 22.

Flu cede empate nos acréscimos e continua sem vencer

O Fluminense no Brasileirão, definitivamente, não é o mesmo da disputa da Libertadores. Mesmo escalando seus principais jogadores o Tricolor continua sem vencer na competição nacional e apenas empatou por 1 a 1 com o Santos, nesta quinta-feira, no Maracanã.

Washington abriu o placar para o Flu logo no começo do duelo, mas, já nos acréscimos, Tiago Luis, que entrara no segundo tempo, empatou a partida com um leve toque de cobertura sobre Fernando Henrique. O resultado manteve o Tricolor na lanterna com apenas dois pontos. Em contrapartida, o Peixe se livrou da zona de rebaixamento, mas está apenas em 15º com cinco pontos.

Imagem: Agência


Luciano Dias

Um comentário:

Izabel disse...

O Adilson Batista estava empolgado pelo time estar jogando em casa,os jogadores do Cruzeiro deixaram bem claro que pretendiam sair vitoriosos dessa partida.
Já o Palmeiras se complicou no Brasileirão depois dessa goleada de domingo,pois somou duas derrotas consecutivas e permaneceu com 36 pontos.O que resta a equipe alviverde,é tentar buscar a sua reabilitação diante do Botafogo na quinta-feira.
Não esquecendo de destacar que esta foi a maior goleada que o Palmeiras sofreu para o rival mineiro na história do Campeonato Brasileiro. (Uhuuu).
"Vamos,vamos cruzeirooo!Vamos,vamos a ganhar..."