quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Saldo 48 para afastar fantasma espanhol

Coluna Luciano Dias - Memória e calculadora esportiva


Quatro jogos, 100% de aproveitamento, 49 gols marcados (média superior a 12 por partida), apenas um sofrido, saldo de 48. Quanta eficiência! Estes são os números da Seleção Brasileira masculina de futsal, na primeira fase da Copa do Mundo, realizada no Brasil.

Na estréia, 12 a 1 no Japão. No segundo confronto, impressionantes 21 a 0 sobre a convidada seleção de Ilhas Salomão. A Rússia era considerada o adversário mais difícil, mas o Brasil fez 9 a 0 com esbanjo. E para fechar a primeira fase, também 9 a 0 sobre os cubanos.

Mas, os números são pouco importantes para muitos brasileiros. O que vale neste Mundial é afastar um fantasma chamado Espanha. A Fúria levou as duas últimas Copa do Mundo: 2000, na Guatemala, e em 2004, no Taiwan.

A Fifa organiza o Mundial desde 1989, e antes da Espanha, só o Brasil havia conquistado a Copa - foram três oportunidadades (1989, na Holanda; 1992, em Hong Kong e em 1996, na Espanha).

Os três primeiros mundiais (1982, 85 e 88) foram organizados pela Federação Internacional de Futebol de Salão (Fifusa). O Brasil venceu as duas primeiras edições e o Paraguai surpreendeu em 88. Neste contexto, polêmica aberta, pois apreciadores do esporte acham que as Copas do Mundo devem ser contabilizadas a partir de 1989, quando a Fifa passou a organizar.

Controvérsias à parte, na soma de todos os mundiais (organizados pelas duas entidades), o Brasil é penta também nas quadras e, diferentemente dos gramados, sem sombras. Distantes, um fantasma chamado Espanha, detentora de dois títulos, e um cavalo chamado Paraguai, que contrariou a essência em 1988.

Falcão 250

O craque da nossa seleção de futsal, Alessandro Rosa Vieira, o Falcão, ficou poucos minutos em quadra na partida desta quarta-feira contra Cuba. O suficiente para balançar a rede em duas oportunidades e alcançar a marca de 250 gols com a camisa do Brasil. Somente nesta Copa, Falcão já marcou 11 vezes.

Mais um feito do camisa 12 da Seleção. Mas, dentre os diversos prêmios e títulos do habilidoso jogador, falta uma conquista: ser campeão do mundo pelo Brasil.


Montagem: Luciano Dias

Um comentário:

Anderson Siqueira disse...

Falcão é o cara! Agora que venha a Espanha! Hehe!