terça-feira, 14 de outubro de 2008

Copa do mundo das revelações para o Brasil

Rafael Rebuiti - O especializado

Todos os holofotes estavam sobre o campeão Olímpico dos 50m livres, César Cielo e o finalista Olímpico Thiago Pereira. Mas, quem roubou a cena na primeira etapa da Copa do Mundo de natação em piscina curta foi a meninada brasileira que não ficou pra trás dos grandes nomes. Você já ouviu falar de Felipe França, de Isabelle Longo, Amanda Macedo e do minastenista Henrique Rodrigues? Não!!! Então, está na hora de conhecer.

Eles fizeram bonito na piscina da Rua da Bahia. Felipe bateu o recorde sul-americano nos 50m peito, com o tempo de 27s17, deixando para trás o ex-detentor do recorde Eduardo Fischer, que ficou em quarto lugar. Outro nadador de destaque foi Henrique Rodrigues, de apenas 17 anos, que ficou na segunda colocação nos 100 e 200m medley.

Outros destaques da equipe masculina foram Luis Rogério Arapiraca, que quase venceu os 1500m livres (prova mais longa da natação), depois de chegar 44 centésimos atrás do atual campeão olímpico da prova, o tunisiano Oussama Mellouli. Kaio Márcio ganhou a prova de 200m borboleta sem muitas dificuldades. O ex-recordista mundial da prova em piscinas curtas fez o tempo de 1min56s74.

Outro brasileiro que subiu no lugar mais alto do pódio foi Armando Negreiros, que chegou na frente nos 400m livres. Ele também conseguiu o bronze nos 1500m . Nicolas Santos deixou Cielo para trás e venceu os 50m borboleta com o tempo de 23s06. Nicolas também foi bronze nos 50m livres.

Equipe feminina - As mulheres tambêm se destacaram. A veterana Fabíola Molina (foto), 33, foi o grande nome da natação nesta Copa do Mundo. Ela disputou três provas e venceu todas, os 50m costas, os 100m medley e 100m costas. Fabíola também bateu dois recordes sul-americanos.

O presidente da CBDA Coaracy Nunes acredita que Fabíola vai nadar até os 40 anos. “A Fabíola é quem nem uísque, quanto mais velha melhor”, brincou. O exemplo do sucesso de Fabíola nestes anos dedicados a natação do país, fez com que várias meninas ingressassem no esporte. Duas delas foram Isabelle Longo e Amanda Macedo. Elas disputaram as mesmas provas e ganharam as mesmas medalhas. Isabelle chegou em segundo nos 400m medley e 800m livres, já Amanda conseguiu o bronze.

Joana Maranhão foi outro nome muito esperado pela torcida que encheu a arquibancada do complexo aquático. Ela conseguiu duas medalhas, nos 200 e 400m medley. Outro destaque foi Tatiana Lemos, responsável pela medalha de número 500 do país em Copa do Mundo, com a terceira posição nos 200m livres. Ela também ganhou bronze nos 100m livres.

Agora, não podemos deixar de falar de Thiago Pereira e César Cielo. Os dois maiores nomes da natação do país na atualidade também fizeram bonito. Thiago venceu duas provas, os 100 e 200m medley, provas de sua especialidade. Já Cielo, mesmo não estando em sua melhor forma, papou três medalhas, dois ouros, nos 50 e 100m livres, e um bronze nos 50m borboleta. Ele ainda desafiou Michael Phelps que vai nadar as provas do brasileiro. “Eu não tenho medo dele” disse.

Saldo Final

No final dos três dias de provas, o Brasil ficou em primeiro lugar no quadro de medalhas com 10 de ouro, 14 de prata, 18 de bronze, 42 no total. Após a etapa de Beagá, 538 medalhas soma o Brasil em sua história nas Copas do Mundo da FINA. Caso o Minas Tênis fosse um país ele chegaria em quinto lugar no quadro de medalhas com três ouros, seis pratas e cinco bronze, 14 no total.

O que ninguém mostrou

Durante as provas, duas situações inesperadas aconteceram.Uma no primeiro dia de finais. A toca de um dos nadadores ficou na piscina por 5 minutos. A organização só deu conta quando as nadadoras já estavam balizadas para a largada dos 200m medley. Joana Maranhão teve que pular na piscina para retirar o objeto. No segundo dia, o que caiu na piscina foi um quarda-sol que protegia os juízes. E pra variar, quem estava competindo? Joana Maranhão. Só que desta vez quem pulou para apanhar o aparato foi um dos nadadores que fazia o aquecimento na piscina secundaria. Coisas que só acontecem no Brasil.


Imagem: Satiro Sodré

Um comentário:

Anderson Siqueira disse...

AUhaUh! Fatos cômicos são muito legais! Mas não podem atrapalhar em nada. Só podem ficar no "cômico" mesmo. E parabéns pra meninada-futuro-do-esporte. Hehe!
Abraço.