terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Scout do Brasileirão

Coluna Luciano Dias - Memória e calculadora esportiva

A coluna desta terça-feira coloca a calculadora para funcionar. Em destaques, alguns dados do Campeonato Brasileiro 2008, considerado o mais emocionante da "era dos pontos corridos".

Fatos históricos:
Foi o primeiro campeonato da "era dos pontos corridos" a ser decidido apenas na última rodada.
São Paulo - se transformou no maior vencedor - seis conquistas. Além disso, o Tricolor Paulista foi o primeiro a triunfar na competição por três temporadas seguidas.
Vasco - a equipe cruzmaltina foi rebaixada pela primeira vez da competição - ficou em 18º lugar. O atacante Edmundo se despediu do futebol de maneira melancólica.
Estrante: O Ipatinga disputou o Brasileiro pela primeira vez, mas, com uma campanha pífia, foi rebaixado.

Ataque:

Melhor: Flamengo - 67 gols

Mesmo com um bom ataque e com um bom saldo de gols (19), o Flamengo não conseguiu a classificação para a Libertadores do ano que vem. A equipe rubro-negra pecou em partidas importantes dentro do Maracanã, como na derrota por 3 a 0 para o Atlético-MG e no inexplicável empate por 3 a 3 contra o Goiás.
Pior: Ipatinga - 37 gols
Uma equipe que tem um ataque inoperante como este do Ipatinga teria que terminar mesmo rebaixada. Mas, mesmo com um setor ofensivo deficiente, o atacante Adeílson impressionou por sua velocidade.

Defesa:
Melhor: Grêmio - 35
Não à toa, o goleiro Victor é eleito pela maioria da mídia como o melhor arqueiro do campeonato. Destaques também para os zagueiros Léo e Réver
Pior: Figueirense - 73
Os quatro rebaixados (Figueirense, Vasco, Portuguesa e Ipatinga) são os donos das piores defesas do Brasileirão. O Figueira, inclusive, sofreu a maior goleada: 7 a 1 contra o Grêmio. Os catarinenses sofreram mais do que o dobro de gols, em comparação com os gremistas.

Time que mais venceu:
São Paulo, Grêmio e Cruzeiro - 21
Nada mais, nada menos, do que os três primeiros colocados.

Time que mais empatou:
São Paulo, Fluminense, Santos e Atlético-MG - 12
Por incrível que pareça, o número de empates fez a diferença para o Tricolor Paulista. Depois que a vitória passou a valer três pontos, muito se fala que empatar é um péssimo negócio. No caso do São Paulo, os três empates a mais do que o Grêmio foram cruciais para o título.

Time que mais perdeu:

Ipatinga - 21
Simplesmente o lanterna do Brasileirão.

Mandante:
Melhor: Cruzeiro - 15v, 2e e 3d
O time celeste foi quase imbatível no Mineirão, mas os apagões fora de casa tiraram a equipe da busca pelo título.
Pior: Vasco - 7 v, 4e e 8d
O Vasco contrariou a tradição em São Januário, que sempre foi considerado um caldeirão para os adversários.

Visitante:
Melhor: São Paulo - 7v, 8e e 4d
Além de ter um belo retrospecto no Morumbi (é o segundo melhor), o São Paulo jogou com personalidade fora de casa. Outro critério que diferenciou a equipe das demais.
Pior - Ipatinga: 0v, 5e 14d
Uma equipe que joga 19 vezes fora de casa e não vence nenhuma partida, tem que ser rebaixada.

Cartões vermelhos:
Mais cartões: Botafogo - 12
Um time que tem o zagueiro André Luis em seu elenco não se pode esperar muita disciplina. Só o defensor foi expulso em três oportunidades.
Menos cartões: Santos - 2
O Santos mostrou disciplina, mas pouco futebol.

Faltas:

Mais faltas: Grêmio - 877
O estilo gaúcho - de pegada forte - prevaleceu. Historicamente, as equipes comandadas por Celso Roth possuem esta característica.
Menos faltas: Flamengo - 614
O pouco número de faltas pode ser explicado pelo meio-campo rubro-negro, que é muito técnico. Mas, há aqueles polêmicos que destacam que os árbitros beneficiam o Flamengo e ignoram faltas cometidas pelo time carioca.

Desarmes:
Maior: Flamengo - 752
O Flamengo mostrou que para desarmar não precisa fazer faltas.
Menor: Vasco - 454
O pouco número de desarmes foi um dos motivos para o Vasco ter uma das piores defesa do Brasileirão e ser rebaixado.

Maior goleada:
Figueirense 1 x 7 Grêmio - Orlando Scarpelli
Show de Perea, que marcou três gols neste jogo.

Placar mais repetido:
1 a 0 - 69 vezes
Foi o placar que deu o título ao São Paulo, na última partida, contra o Goiás.

Artilheiros:
Keirrison, Kleber Pereira, Washington - 21 gols
Por incrível que pareça, nenhuma das equipes destes artilheiros conseguiram muita coisa neste Brasileiro. Coritiba, Santos e Fluminense terminaram apenas em posições intermediárias.

5 comentários:

Vinicius Grissi disse...

Só uma correção: em 2004 o campeonato foi decidido na última rodada. E salvo engano, em 2005 também.

fábio disse...

o cruzeiro tropeçou demais fora de casa. isso complicou a briga pelo título.

Acréscimos - Ano II disse...

Tem razão Grissi.

Precipitação da minha parte.

abs

Bruno Miranda disse...

Faltou um dado: time que ficou mais tempo na 12ª posição: galo.rsrs. oh centrenário decepcionante viu.
abraços

Saulo disse...

Foi o campeonato mais equilibrado e emocionante que já vi.
Valeu amigo e até mais.