terça-feira, 7 de abril de 2009

Imperador das confusões

Coluna Luciano Dias - Memória e calculadora esportiva

O Imperador Adriano voltou. Voltou a aparecer na mídia com suas confusões extracampo. O jogador não se reapresentou à Internazionale de Milão, após servir (no banco de reservas) a seleção brasileira no confronto contra o Peru, pelas Eliminatórias, na quarta-feira passada.

No último domingo, a Conferderação Brasileira de Futebol (CBF) e o empresário de Adriano, Gilmar Rinaldi, afirmaram que o jogador segue no Brasil, sem data para retornar à Itália pois estaria resolvendo problemas particulares. De acordo com o agente do jogador, Adriano ficou três dias numa favela da zona norte do Rio de Janeiro, o Morro da Chatuba. Logo, especulou-se sua presença na favela com ligação ao tráfico de drogas. Boato já desmentido pela polícia.

Mas, essa não é a primeira e, provavelmente, não será a última confusão de Adriano. Primeiro, vamos mostrar alguns fatos elogiáveis na carreira do Imperador. Foi goleador em todos os lugares que passou - Flamengo, Parma, Fiorentina, Inter de Milão, São Paulo e seleção brasileira. Esteve no auge em 2005. Chamado de Imperador pela torcida e mídia italiana, ele massacrava seus adversários em campo como um verdadeiro gladiador. Brilhou na Copa das Confederações com a camisa brasileira e garantiu uma vaga de titular no time que jogaria a Copa do Mundo na Alemanha, em 2006.

Mas, a carreira de Adriano ficou comprometida justamente no Mundial. Após uma desastrosa campanha na Copa da Alemanha e a morte do pai, o jogador caiu de produção. Envolveu-se em confusões, separou-se da mulher, abusou das idas a boates, cansou de beber em excesso e não cumpriu compromissos com a Inter de Milão. Resultado: esquentou bancos de reservas e ficou longos períodos afastado do clube italiano.

O Imperador das confusões já fez de tudo para acabar com a sua carreira. Bebeu champanhe no gargalo, brigou em boate e chegou de ressaca a treino, entre outros "feitos".


Confira algumas (apenas algumas) noitadas do Imperador das confusões:

Dezembro de 2006
Adriano vai a uma noitada e não comparece a treino do dia seguinte. Roberto Mancini, então técnico da Inter, se irrita, mas não barra o atacante.

Março de 2007
Revista italiana "Novella 2000" publica fotos do Imperador bebendo champanhe no gargalo de uma garrafa durante comemoração de seu aniversário, em uma boate de Milão. Atacante é barrado por chegar de ressaca no treino do dia seguinte.

Março de 2007
Adriano se envolve em briga com o jogador de basquete Rolando Howell durante noitada na boate Hollywood, também em Milão.

Dezembro de 2007
Recém-contratado pelo São Paulo, o Imperador curte a folga de fim de ano no Rio e assiste a show da banda Jota Quest ao lado do Fenômeno. Adriano é flagrado tomando cerveja. Ele admite ter problema com o alcool. Além disso, chega atrasado ao treino Tricolor.

Dezembro de 2007

Se envolve em um acidente automobilístico, no Rio de Janeiro.

Outubro de 2008
Adriano vai a discoteca após empate com o Genoa e curte a balada até as 4h30 da manhã. A atuação do jogador e a noitada irritam Mourinho, que barra o brazuca. Foram cinco jogos sem ser relacionado.

Lembrando: A listagem apresenta apenas confusões relacionadas a noitadas.

3 comentários:

mathaus disse...

Aff. Imperador sempre foi o Tanque.

Vinicius Grissi disse...

Uma pena! Um jogador, ao meu ver, perdido. Provavelmente não será mais o grande jogador que foi um dia nunca mais.

Bruno Miranda disse...

Um grande jogador. Uma péssima cabeça.