quinta-feira, 5 de março de 2009

O Fenômeno voltou

Coluna Luciano Dias - Memória e calculadora esportiva

Fenomenal. Depois de ficar mais de 14 anos sem atuar por um clube brasileiro, o atacante Ronaldo, enfim, sentiu a alegria (?) do retorno. A volta foi nesta quarta-feira, na vitória do Corinthians, por 2 a 0, sobre o Itumbiara, em Goiás, pela Copa do Brasil. Ele entrou aos 23min da etapa complementar. Ronaldo, visivelmente fora de forma, conseguiu se movimentar e fazer algumas jogadas típicas.

A última partida do Fênomeno por um clube brasileiro aconteceu em 7 de agosto de 1994, em amistoso que marcou sua despedida com a camisa do Cruzeiro. O duelo, disputado no Mineirão, foi contra o Botafogo e o placar 1 a 1.

Atuando pelo Cruzeiro, Ronaldo explodiu para o mundo. Com a camisa celeste, o atacante marcou 56 gols em 58 jogos - média de quase um gol por partida. O atacante, que chegou à Raposa em 93, deslanchou na equipe mineira na temporada de 94. Em seu primeiro clássico contra o Atlético, no Campeonato Mineiro, confirmou a sua fama de carrasco do galo, que havia adquirido no junior, marcando 3 gols, na vitória de 3 a 1. Naquele jogo entortou com uma seqüência de dribles de corpo o experiente zagueiro Kanapkis, da Seleção Uruguaia.

Em uma de suas memoráveis atuações, ele marcou 5 gols na vitória sobre o Bahia por 6 a 0. Em um dos gols, o goleiro Rodolfo Rodriguez havia encaixado a bola depois de um chute do jogador Nonato. Mas o arqueiro foi amarrar as chuteiras e deixou a bola no chão. Ronaldo, que estava ali por perto, se aproveitou da ocasião, tirou a bola e tocou para o gol.

Em agosto de 94, Ronaldo foi negociado com o PSV Eindhoven, da Holanda, por US$ 6 milhões. Era a maior transação de um jogador brasileiro para o exterior, até aquele ano. Um fenômeno.

Mais uma conquista

Um currículo invejável. Três vezes melhor jogador do mundo. Conquistou dois mundiais com a seleção, dentre vários outros títulos com a amarelinha. Campeão em várias oportunidades nos clubes. É atualmente o maior artilheiro de todos os tempos em Copas do Mundo, com 15 gols. É o segundo maior artilheiro da Seleção Brasileira com 73 gols em 112 partidas, perdendo apenas para Pelé com 95 gols.

Motivos para comemora neste retorno ao futebol? Ronaldo tem de sobra. Ele não disputava um jogo oficial desde 13 de fevereiro de 2008, quando se contundiu em uma partida do Milan. Foram 384 dias de espera. O dia 4 de março vai ser inesquecível. O dia de mais uma conquista do Fênomeno.


Imagens: Guilherme Jr/ EFE e
cruzeiro

2 comentários:

Fábio disse...

O Fenômeno está de volta. Muito bom isso

mathaus disse...

Grande jogador, matador, perseverante e iluminado, indiciplinado e baladeiro, caracteristicas marcantes do maior goleador das copas. Viva Ronaldo.