quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Vasco começa com mais de R$17 milhões de vantagem na Série B

Thiago Ricci
Vou ser breve para não cansar, mesmo que o assunto mereça mais tempo. Antes, gostaria de reforçar que o título supracitado garante que, com uma administração competente (nada mais do que isso), é possível fazer com que um time grande rebaixado realize um passeio indigesto na Série B - como o Corinthians no ano passado.

O Vasco da Gama, somente com o dinheiro da televisão, vai ganhar cerca de R$17,5 milhões a mais que 16 adversários da segunda série de importância do futebol brasileiro. Portuguesa (R$7,1 mi), Bahia (R$5,1 mi) e Guarani (R$4,9 mi) também saírão na frente dos rivais em termos de receita.

Lógico que, quanto maior o time, maiores são as despesas e maiores tendem a ser as dívidas - mesmo que causadas por má administração. Sem falar que grande parte desta quantia já foi recebida pelo Vasco no ano passado - para pagar dívidas, agravadas pela crise.

Por outro lado, esse valor é somente o valor recebido pelo Clube dos 13 da Globo pelos direitos de transmissão. Verbas provenientes de marketing, vendas de jogadores, sócios etc. não estão computadas.

Para quem não sabe, o Clube dos 13 recebe R$410 milhões pelos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro - para a TV aberta e o chamado pay-per-view. Deste valor, são descontados 5% direito de arena para os atletas e mais 5% para o INSS. Antes, era descontada uma porcentagem para o Clube dos 13. Agora, R$10 mi brutos vão para a associação.

Os times associados são separados em grupos e recebem pedaços diferentes da quantia de R$300 mi - que são destinados à TV aberta. Em relação ao PPV, o assinante revela qual é o time do coração na hora da compra e o restante do dinheiro (R$110 mi) é separado baseado nessa pesquisa.

Abaixo, os grupos e a respectiva quantia:

GRUPO 1 - R$21 MI
Flamengo, Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Vasco da Gama

GRUPO 2 - R$18 MI
Santos

GRUPO 3 - R$15 MI
Grêmio, Internacional, Cruzeiro, Atlético Mineiro, Fluminense, Botafogo

GRUPO 4 - R$11 MI
Atlético Paranaense, Coritiba, Goiás, Sport, Vitória

GRUPO 5 - R$5.5 MI
Portuguesa

GRUPO 6 - R$3.3 MI
Bahia, Guarani

CONVIDADOS - (não divulgado)
Náutico, Avaí, Santo André, Barueri

A seguir, reproduzo a tabela completa das quantias recebidas pelos times (contando o valor do PPV). Clubes com pequeno número de "torcedores" recebem uma cota mínima do PPV.
















Fonte: Olhar Crônico Esportivo




- O que você acha desse sistema?
- É justo Cruzeiro, Inter e Grêmio receberem o mesmo valor do que Fluminense, Botafogo e Atlético-MG, que nunca foram campeões da Libertadores?
- Esse sistema não impossibilita que novos times apareçam no futebol brasileiro?

Dê a sua opinião. Participe!

5 comentários:

fabio disse...

Bem complicado...
Acho que independente do tamanho da torcida do time, os direitos deveriam ser iguais. Um valor para todos as equipes na primeira divisão, um valor menor para TODOS os times na segunda

Thiago Ricci disse...

Mas seria justo um Corinthians, que é responsável por diversos picos de audiência, receber a mesma quantia que o Barueri, que não consegue nem encher o próprio estádio?

Luciano Dias disse...

É uma questão bem complexa.
Na Europa, as cotas de tv também favorecem aos grandes. Lá, dificilmente os títulos saem das mãos de três clubes em cada país. Na Espanha, por exemplo, o caneco sempre vai para Barcelona e Real Madrid (o Valência assusta algumas vezes)

As cotas aumentam a hegemonia de algumas equipes. Isso atrapalha o surgimento de equipes menores.

Resumidamente, se for olhar o lado de tv, é lógico que a divisão das cotas é correto. Flamengo e Corinthians trariam mais retorno.

Mas, se for olhar pelo lado da competitividade do futebol, a distribuição desigual de cotas é prejudicial

Vinicius Grissi disse...

É assim em todo lugar do mundo. Quem aparece mais, recebe mais da TV. É uma realidade, infelizmente. Dificulta sim o surgimento de novos times. E para quem vai para a Segunda Divisão então, a diferença é espantosa, como você mostrou. Mas fazer o que?

Anderson Siqueira disse...

A questão é a manutenção política. Quem tem mais torcida ganha mais porque vende mais. Mas isso é um assunto que dá pano pra manga!